Cedar Camps

Metaphysical Ideas

Search Metaphysicals
 

Metaphysical Newsletters

The weekly Metaphysical Newsletter is provided to campers, staff, alumni, friends and the CedarS family at no charge however contributions help defray the costs of running this service.

Click here for more about how you can provide support!
 

Delivered to You FREE!

Available in five languages, get it delivered to your inbox weekly!

Subscribe Now!

Descubra o poder e a presença de Deus em suas curas, devido à confiança de que o mal é irreal Estudo Metafísico do Acampamento dos Cedros - Tema: São reais o pecado, a doença e a morte?

Kerry Jenkins, C.S., House Springs, MO
Posted Monday, October 2nd, 2017

CIÊNCIA CRISTÃ - LIÇÃO BÍBLICA

[Descubra o poder e a presença de Deus em suas curas, devido à confiança de que o mal é irreal]

São reais o pecado, a doença e a morte?

08/outubro/2017

__________________________________________________

Abreviações: Bíblia – B; Bíblia na Nova Tradução na Linguagem de Hoje – NTLH;

Bíblia Mensagem - MSG; Ciência Cristã – CC; Ciência e Saúde – CS; Lição Bíblica – LB

__________________________________________________

Esta semana, vamos descobrir a nulidade do pecado, da doença e da morte. Jesus, mais do que ninguém, revelou o Deus onipotente que governa Sua criação com amor, que não deixa lugar em Seu reino para o erro existir. A Sra. Eddy descobriu as leis por trás das obras de Jesus e deu-nos a chave (tanto a Ciência Cristã como o livro Ciência e Saúde) para nos auxiliar a demonstrar mais prontamente a irrealidade desse trio de erros. À medida que descobrimos o poder, a bondade e a presença de Deus em nossa vida por meio de curas, ficamos mais confiantes na declaração retumbante de que o mal é irreal. É o senso material que nos “fala” daquilo que se opõe à Verdade da totalidade de Deus. Nesta lição, vamos colher algumas ideias para combater o falso senso. Substituiremos a mentira pelo quadro mais claro que obtemos, quando nos apoiamos no senso espiritual, outorgado por nosso Pai-Mãe.

Texto Áureo (Jeremias 1:8; “Não temas diante deles, porque eu sou contigo para te livrar, diz o Senhor.”). No TA, encontramos a chave para erradicar a falsa evidência do senso material. “Não temas”. Essa é a chave para a cura. Na página 411 de Ciência e Saúde (CS23), Eddy diz: “Sempre começa teu tratamento acalmando o medo dos pacientes.” Ela continua explicando que acalmar o medo “alivia os sintomas de toda doença.” Se conseguirmos “eliminar inteiramente o medo”, somos curados! Por que será que isso é assim? Por que seria o medo uma parte importante da aparente realidade da doença e da morte, em especial, bem como do pecado? Uma explicação talvez seja que, quando temos medo de algo, é porque aceitamos sua aparente realidade. Se algo maléfico fosse real, então seria natural temê-lo! “Não temas diante deles” é seguido pela expressão: “porque sou contigo para te livrar, diz o Senhor.” Nós não precisamos temer diante das “faces” do mal, quaisquer que sejam. E a razão para isso é que Deus é todo o bem, e governa plenamente.

Leitura Alternada (Salmo 27:1, 8; 30:1-4; 24:3-5) Em vez de ficar com medo das “faces” do mal citadas no TA, podemos procurar a face de Deus! É o que nos diz os versículos 8 e 9 do Salmo 27. A Nova Tradução Viva não aborda a questão da “face” com clareza, mas é uma bela versão: “Meu coração ouviu dizeres: 1vinde a mim e falai comigo1. 9 Meu coração responde: ‘Senhor, eu venho a Ti’”. Há uma conotação infantil que é inspiradora. Quando sentimos como que sendo arrastados “para a cova” de alguma maneira, seja doença ou pecado, tristeza, rancor, ou mesmo a morte, podemos voltar-nos para a “face” de Deus. Isso sugere uma proximidade ao nosso Pai divino, um senso de sermos vistos por Ele, de vermos e compreendermos Sua identidade, sem nenhuma distância entre nós e Ele. Nós certamente não sentiremos medo quando voltarmos a face a Deus e percebermos que Ele tem Sua face voltada a Seus descendentes.

Seção 1: O mal – Deus não o criou, nem o conhece.

Acho um pouco extremo que, na Ciência Cristã, Deus seja onisciente, mas não conhece o mal. Posso estar errada, mas acho que é uma compreensão de Deus não amplamente mantida (sustentada). Nas duas lições anteriores, tivemos excertos da história da criação do Gênesis. Nesta seção, temos a história da criação do livro de João. Ali se afirma que ‘Todas as coisas foram feitas por Deus, e que sem Ele nada do que foi feito se fez’. Isso quer dizer que ou Deus criou o mal e tem conhecimento dele, ou não o criou, e este é um engano dos sentidos. Na citação B4 (Isaías 41:10-12), aprendemos a não ter medo, porque a presença de Deus, Sua onipotência, nos mantém seguros, saudáveis e íntegros. A percepção desse fato faz o mal desaparecer. Algo que é verdadeiro, que é da Verdade, tem substância e integridade. Tive uma cura rápida e eficaz há alguns meses, enquanto trabalhava como praticista para um grupo de estudantes de nível médio num acampamento. Estava me sentindo muito mal, mas consegui trabalhar durante o dia. À noite, não jantei e me deixei cair na cama. Minhas orações pareciam não impulsionar muito progresso e o desconforto era grande. Solicitei apoio metafísico, e fui lembrada de que não há uma única causa fora de Deus/o Bem. Despertei, no dia seguinte, bem disposta. Naquele dia, precisaram de mais um adulto para uma caminhada nas montanhas junto com um dos grupos, e eu me ofereci como voluntária. Caminhamos cerca de 16 km naquele dia, incluindo uma subida de 660m. Ao longo do dia, eu me sentia cada vez mais livre na caminhada, foi uma alegria conviver com esses jovens alegres e amáveis, que se apoiavam mutuamente à medida que se familiarizavam. Por reconhecer em meu coração que não há causa senão para o bem (e com a ajuda de uma praticista), pude sentir a verdade se estabelecendo na minha consciência e na minha experiência. A doença então desapareceu.

Seção 2: Conheça sua individualidade e será liberto do pecado

O pecado pode ser um assunto complexo, porque pode, às vezes, parecer divertido. Podemos evitar seguir nossas vontades erradas quando vislumbramos, mesmo que brevemente, a nossa pura e amada semelhança a Deus. Para isso, temos que praticá-la (CS13, p. 405). Isso significa que temos de praticar diariamente as qualidades da nossa verdadeira identidade. Embora essas qualidades tenham rendições únicas, elas incluem ternura, compaixão, coragem moral, pureza, integridade, inteligência, sabedoria, paciência, discernimento e assim por diante. A cada momento podemos pensar sobre como incorporamos e praticamos essas qualidades. Logo, começamos a vê-las como parte natural de nosso ser/existir, pois elas assim são! José certamente praticou esse tipo de autoconhecimento. Ele sabia, desde cedo, que tinha discernimento espiritual e visão que vinha de Deus. (Poderia ser argumentado que ele talvez não fosse tão sábio em estar revelando esta visão divina a seus irmãos)! Mas em toda seriedade, cada passo da sua vida se desdobrou para trazê-lo ao ponto onde ele se tornou o homem que salvara todo o Egito, e grande parte de Israel e dos países adjacentes, da fome em massa. Nessa particular encruzilhada de sua vida, trabalhando como um superintendente para um egípcio abastado, ele recusou os avanços persistentes da mulher do seu mestre. Essa é a prática de integridade de José. Essa é uma qualidade que o vemos demonstrar com diligência em cada encruzilhada da história de sua vida. Ele é injustamente maltratado, mesmo assim, sua prática de integridade sempre o leva a prosperar. Nossa defesa contra as tentações do pecado vem através desse verdadeiro autoconhecimento. Dessa maneira, realmente podemos nos manter superiores “ao pecado, porque Deus nos fez superiores e governa ao homem…” (CS9, p. 231).

Seção 3: Não há mal no reino dos céus

Verdade! Não há nenhum mal no reino dos céus, e, se ele parece existir, aguardamos a nossa consciência se aperfeiçoar até uma compreensão mais profunda, e a falsa imagem desse mal se desfazer. Esta seção contém a parábola do joio e do trigo. O homem que semeia a boa semente está completamente imperturbável nesta história ao saber através de seus trabalhadores de que há joio (erro) crescendo em seu campo. Em primeiro lugar, ele não começa a questionar se a semente que foi plantada era boa. Se na parábola o fazendeiro representa o Pai, Deus, então Ele só faz o bem! Ele está imperturbável com a sugestão de que o mal está crescendo ao lado do bem, ele certamente não questiona a qualidade de sua semente (Sua criação). Ele nem sequer se concentra em retirar esses joios. Em vez disso, ele espera até serem fáceis de serem identificados, removidos e queimados. (São os trabalhadores que precisam desenvolver sua capacidade de reconhecer o nada desse joio, e não o fazendeiro!) Depois de queimar (purificar o pensamento), tudo o que pode ser visto é o que é bom, como tem acontecido o tempo todo. Sim, parece aos nossos sentidos que o mal esteja "crescendo" ao lado do que é bom. Mas quando compreendemos mais profundamente que Deus é a única fonte e só faz o bem, podemos permanecer tão imperturbáveis, ​​quanto o fazendeiro nesta parábola, pela sugestão de uma "realidade" do mal. A citação CS18 (p. 122) descreve o processo mental de compreensão dos "grandiosos fatos da vida" que derrotam o testemunho do senso material. A citação B11 (Lucas 12:32) reitera o chamado para que "não tenha medo.”

Não temer significa que podemos enfrentar as sugestões do mal sem ficar impressionados. Este processo é descrito na citação CS17 (p. 300) desta forma: "[...] a ciência separa o trigo do joio, pela compreensão de que Deus está sempre presente e de que o homem reflete a semelhança divina". Esta compreensão da onipresença de Deus é uma maneira segura de afugentar o medo! Uma maneira interessante de realmente sentir a onipresença de Deus é ler a Bíblia ou os escritos da Sra. Eddy, especialmente o livro Ciência e Saúde. Há alguns anos, enquanto estávamos em uma viagem de família, meu filho mais velho, Huck, deixou cair uma pedra pesada no pé enquanto estava com os primos em um rio. Parecia que tinha quebrado o dedão do pé. Aquele dedo não parecia nada "normal" e estava causando muito desconforto. Eu o carreguei de volta à nossa cabana e, juntos, compartilhamos algumas verdades que aprendemos sobre Deus. Mas naquela noite, ele não conseguiu descansar porque a dor parecia muito intensa. Eu já lhe havia dado um bom tratamento pela Ciência Cristã, então apenas abri o C&S e comecei a lê-lo em voz alta. Huck imediatamente se acalmou, ficou sereno e, pouco depois, adormeceu e descansou durante toda a noite. No dia seguinte, estava em pé e apenas mancando um pouco. Menos de uma semana depois, correu uma maratona de 5 quilômetros e fez um bom tempo também! Essa não foi a única vez que percebi que ler diretamente do livro Ciência e Saúde trouxe cura quase instantânea de vários desconfortos dos meus filhos!

Seção 4: Com a ‘face’ de Deus brilhando sobre nós, podemos perder nosso medo à doença.

Nesta seção, Jesus cura uma mulher sujeitada a doze anos de uma doença que não só lhe causava, sem dúvida, grande dificuldade física como lhe causou a exclusão social. Ao curar essa mulher, Jesus viu sua necessidade de reconhecimento após anos de marginalização. Por reconhecimento, não quero dizer tanto o reconhecimento público como a visão dela como pessoa de valor, de pureza e de semelhança a Deus. Ele sabia que a mente mortal estava clamando por cura, por Amor (CS19, p. 86). A resposta do Amor destruiu o medo da mulher a essa doença. Sem o medo para dar à doença um senso de realidade, esta desapareceu.

Gosto de sair com nosso cão, Buttercup, para uma caminhada. Muitas vezes atravessamos um terreno da vizinhança ao lado da nossa entrada. Havia meses que essa caminhada estava se tornando muito desafiante por causa de um cão, Maya, que saía e latia ferozmente para nós, arreganhando os dentes, e certa feita, até mordendo Buttercup. Sua proprietária afirmava que ela (o animal) era inofensiva, muitas vezes uivava chamando a dona, o que esta descuidava. Chegamos ao ponto em que praticamente andávamos meio às escondidas para dar mais espaço a Maya e para que não se sentisse ameaçada por nossa presença. Um dia, me dei conta de que não havia sequer pensado em orar por Maya. (Sabia seu nome por ter ouvido sua dona chama-la muitas vezes!) Dei logo um tratamento para toda a situação. Tomei por base de que Maya, sendo uma ideia de Deus, não podia ter medo, sentir-se ameaçada ou insegura. Ela vive no reino do Amor e é governada pelo Amor divino e pela Mente. Alguns dias depois passamos de novo perto do território de Maya, ela latiu apenas uma vez, e depois veio correndo lamber-me a mão. Desde então, tive vários encontros com ela, e todos foram cheios de carinhos. A remoção do medo, meu e de Maya, fez com que as falsas qualidades de agressão e insegurança desaparecessem.

De certo modo, Maya estava ansiando pelo Cristo sanador como aquela mulher. Nossa tarefa é reconhecer o apelo quando vem e atendê-lo com Amor.

Seção 5: Até a morte pode ser enfrentada e curada

Pode ser pedir demais, mas Podemos praticar diligentemente esta Ciência de ver a realidade e preparar nossa consciência para tomar esse passo rumo a um maior reconhecimento da Vida eterna do homem. Quando praticamos as qualidades que fazem o pecado ser nada para nós—quando o pecado não mais sustentar a tentação ou o medo—também estaremos dando os passos para destruir a sugestão da realidade da morte. Em Romanos 6:16 lemos: “Não sabeis que daquele a quem vos ofereceis como servos para obediência, desse mesmo a quem obedeceis sois servos, seja do pecado para a morte ou da obediência para a justiça?” Por que ‘do pecado para a morte’? Porque, enquanto estivermos tentando aproveitar a matéria, estaremos, de certo modo, vivenciando e vivendo no sonho da matéria. A matéria não é a Vida. Mas quando vencemos o pecado, descobrimos que nossa consciência está se espiritualizando. A mente mortal se torna mais “transparente” e cada vez menos um obstáculo à nossa compreensão da Vida eterna. Nessa prática perdemos cada vez mais o elemento medo e o medo é certamente um grande elemento na sugestão da morte. A cura relatada na citação B20 (Lucas 7:12-16) tem dois aspectos. Ao trazer o jovem de volta à vida, Jesus também deu um presente vital à sua mãe. Como viúva, ela estaria condenada a uma vida de mendicância, ou pior que isso, não teria seu filho de volta. Jesus sabia disso e suas primeiras palavras foram de conforto à mãe, antes de curar o filho.

Seção 6: A Ciência Cristã revela a bondade e totalidade Deus

Se Deus é bom e é tudo, então o mal tem de ser nada. Esta seção é uma bênção sobre toda a lição, pois tem uma postura radical quanto à irrealidade do mal. Essa demonstração não está além de quem quer que seja. Podemos dedicar-nos a isso a qualquer minuto do dia, uma sugestão de cada vez. Podemos reconhecer o poder de Deus em ação governando nosso temperamento, apetites, saúde, alegria, estabilidade, e ansiedade ou medo. Lembrem-se de que somos ideias espiritualmente estabelecidas, que receberam domínio desde o princípio da criação. Cada uma das últimas três lições demonstrou isso, de uma ou outra maneira. Podemos assumir essa verdade com confiança, coragem e autoridade.

_________________

Este estudo metafísico foi preparado por Kerry Jenkins, CS, House Springs, Missouri.

A equipe de tradução para o português é composta por Ana Paula Wagner, Dulcinea Torres, Igor Souza, Leila Kommers, Ovídio Trentini e William Trentini. Visite o site Associação dos Alunos de Ciência Cristã do Professor Orlando Trentini, CSB. Ali você encontrará esta tradução e as anteriores para estudo, podendo baixar e partilhar esse copo de água fresca com seus amigos.

Os estudos metafísicos dos Cedros sobre o estudo diário da Lição Bíblica da Ciência Cristã, contendo ideias de aplicação metafísica, são oferecidos, durante todo o ano, para que os amigos da Ciência Cristã vejam e demonstrem o grande valor do estudo diário da LB.

Os Cedros são um suplemento para a LB. O estudo em inglês será postado, no link abaixo, na 2a. feira. Sua tradução para o português será postada até a 4ªfeira. Busque e leia o texto em inglês em http://www.cedarscamps.org/metaphysical.

Metaphysical

Claim your pure-as-gold heritage! - Most of us don’t like the word sin. And, yet, those of...
Latest Lesson Application Idea

Newsletters

Get free weekly uplifting newsletters (available in English, Spanish, French, German and now in Portuguese!)
Subscribe or Update Subscription

Facebook

Find CedarS on Facebook for the latest news, heart-warming fruitage, facility upgrades and more!
Go to the CedarS' Facebook Page