Cedar Camps

Metaphysical Ideas

Search Metaphysicals
 

Metaphysical Newsletters

The weekly Metaphysical Newsletter is provided to campers, staff, alumni, friends and the CedarS family at no charge however contributions help defray the costs of running this service.

Click here for more about how you can provide support!
 

Delivered to You FREE!

Available in five languages, get it delivered to your inbox weekly!

Subscribe Now!

Confiem em Deus, e decidam sabiamente. Estudo Metafísico do Acampamento dos Cedros - Tema: A Mente.

Craig L. Ghislin, C.S., Glen Ellyn (Bartlett), IL
Posted Monday, February 13th, 2017

CIÊNCIA CRISTÃ - LIÇÃO BÍBLICA
[Confiem em Deus, e decidam sabiamente]
De 13 a 19-2-2017
A Mente

__________________________________________________
Abreviações: Bíblia – B; Bíblia na Nova Tradução na Linguagem de Hoje – NTLH;
Bíblia Mensagem - MSG; Ciência Cristã – CC; Ciência e Saúde – CS; Lição Bíblica – LB
__________________________________________________
Decisões, decisões. Quase a todo momento em nossa vida temos escolhas a fazer que determinam nossa experiência. Estou lendo ‘O Alquemista’, de Paulo Coelho. O livro traça a vida de um menino chamado Santiago, que enfrenta muitas decisões que influenciarão sua vida. No começo da história ele encontra um homem que lhe fala da “maior mentira do mundo”. O velho lhe diz: “É esta: que em certo momento da nossa vida perdemos o controle do que nos acontece, e a nossa vida torna-se controlada pelo acaso. Esta é a maior mentira do mundo.” O menino acaba descobrindo que o velho é um rei, que retira de seu colar peitoral de joias duas pedras e as dá ao menino. “Pegue-as”, disse: “Elas se chamam Urim e Tumim. A pedra preta significa “sim” e a branca “não”.” Elas foram dadas ao menino para ajudá-lo a tomar decisões quando não soubesse o que fazer.
Contudo, eventualmente o menino precisou tomar suas próprias decisões em vez de confiar na escolha casual por uma pedra. A história implica em que uma vez que conhecemos nossa “lenda pessoal” ou nosso verdadeiro caminho, o “universo” nos apoia em seguir esse caminho. O que orienta nossas decisões? Como nós, que acreditamos em Deus, enfrentamos encruzilhadas, sejam pequenas ou grandes?
No Texto Áureo (Isaías 340:21) o profeta Isaías não nos encoraja a confiar em pedras, mas sim na voz de Deus para cada diretiva em nossa vida. A alusão a “ouvir uma palavra atrás de ti” parece referir-se ou à voz de um professor que está por trás de seus alunos, de um pastor por trás de ovelhas ou um viajante mais experiente dando assistência a quem se perdera pelo caminho.
O teólogo Albert Barnes (17908-1820) explica: “O pensamento essencial é para que não ficassem sem um guia ou instrutor; que, se estivessem inclinados a se afastarem, seriam chamados para o caminho da verdade e do dever...” Barnes também sugere que a imagem do desviar-se “para a direita ou para a esquerda” o profeta queria dizer: “qualquer tipo de transação que tencionemos realizar ... de modo que tudo o que empreendermos, tenhamos Deus como guia e que Ele sempre regule nossas transações por Sua autoridade, quer tenhamos que ir “pela direita” ou “pela esquerda”.
A Leitura Alternada (Provérbios 2:6-11; 4:7, 25, 26; 3:5, 6) continua a instrução para olharmos a Deus por sabedoria em nossos assuntos. Uma “sã sabedoria” significa verdadeira sabedoria que é permanente, em oposição à flutuação da sabedoria humana. Uma sabedoria teórica não é suficiente. Somos instados a “adquirir sabedoria”. Em outras palavras, nós precisamos interiorizar, e aprender as lições. Relendo os conselhos e qualidades advogadas nos versículos de Provérbios, verificamos que o mundo ainda deixa a desejar nesse tocante. Como seria melhor o nosso mundo se mais atenção e esforço fossem colocados na justiça, juízo, equidade, discrição e conhecimento?
Hoje em dia somos bombardeados com informação instantânea, “Tweets” reacionários e muita retórica viciosa que estão por cima de todas as outras decisões em nossa vida. É fácil ficar distraído. As escrituras nos urgem a “ponderar” nosso caminho e olhar para a frente aonde queremos ir. Com tanta ênfase em instrumentos eletrônicos que invadem nossa vida, o alerta bíblico pode ser adaptado assim: “Parem de olhar para essas telinhas”. Olhem para o alto e cuidem para onde estão indo!” Precisamos parar de sermos levados para o tumulto e agitação de pontos de vista conflitantes na mídia, e focar na realidade espiritual das coisas a fim de não enganar-se.
É hora de confiar em Deus e dar atenção à Sua Direção.

Seção 1: Encontrando o caminho reto e estreito.
Da próxima vez que tiver uma decisão a tomar, em vez de contar consigo mesmo, ou com o conselho de amigos, ou familiares, da Internet ou ainda no cara ou coroa, por que não buscar a resposta em Deus? Afinal, Deus é o único poder e não há limite para o seu entendimento (B1, Salmos 145:5). Deus é a única Mente e não há nada que Ele não tenha criado (B2, Isaías 45:5,12,13). O salmista volta-se a Deus para que Ele lhe mostre como as coisas realmente são (B3, Salmos 25:4,5). Quando estamos tomando nossas próprias decisões, geralmente acabamos atolados em prós e contras, estatísticas e detalhes, mas voltar-se à Mente que tudo sabe para orientação ajuda a contornar a confusão mental. No livro de Jó, Eliú introduz seu discurso reconhecendo que Deus é a única fonte de inspiração (B4, Jó 32:8). Paulo nos diz que todas as coisas são “dEle” – provenientes de Deus como a única Fonte –, “por meio dEle” – transmitidas, mantidas e governadas por Ele –, “para Ele” – o reino dos céus é nosso destino final (B5, Romanos 11:33-36).
Para receber a sabedoria de Deus, temos que abrir mão da opinião humana e alinhar nosso pensamento com Ele. Ciência e Saúde declara: “Deus não está separado da sabedoria que Ele outorga” (CS1, p.6). Quando nos sintonizamos com Sua sabedoria, nós nos sintonizamos com Deus. Não há nenhuma sabedoria além da dEle; nenhuma verdade, amor, vida ou bem além do que Ele outorga (CS2, p.275). Todo talento, tudo de bom que possuímos são de Deus. Tudo o que é real é a Mente, Deus, manifestada. Lembre-se, porém, de que isso não significa que Deus esteja “na criação”. Não. Toda a criação está nEle e tudo o que existe está em e é de Deus. É por isso que nosso livro-texto pode declarar que “tudo é Mente”.
Quando nos deparamos com decisões, é sempre bom reconhecermos que Deus é o único “EU SOU” ou Ego (CS3, p. 336). Esta é uma das coisas mais difíceis de se dominar, porque parece que somos todos egos separados com nossos desejos e projetos, medos e desafios. Mas, na verdade, Deus é o único Ego e Deus está refletido na individualidade espiritual de cada um de nós. Outro ponto importante é que o homem é a ideia de Deus. Isso é muito diferente de Deus ser a ideia do homem. O que é um absurdo. Nossa consciência e individualidade são reflexos de Deus (CS9, p.336). Isso significa que não podemos pensar em algo separado de Deus ou daquilo que Ele está pensando. Assim, não temos como ter medo nem ficarmos confusos sobre qual direção tomar. Deus transmite todo o entendimento que precisamos para nos guiar na direção certa (CS4, p.505).
Observe, também, que como essa compreensão vem diretamente de Deus, não é um processo intelectual. Geralmente, passamos muito tempo tentando “elaborar” ou “ponderar”, ou ainda “captar”. Esta abordagem trai a crença de sermos mentes pequenas separadas de Deus, que precisemos descobrir o que Deus quer que façamos. Mas Deus não depende das mentes mortais para fazer Seu trabalho. Deus já fez o Seu trabalho e a compreensão espiritual é “a realidade de todas as coisas trazida à luz” (CS4, p.505). Para encontrar o “caminho reto e estreito” (CS5, p.151), precisamos reconhecer que “tudo o que realmente existe é a Mente divina e sua ideia”.

Seção 2: Saia de sua zona de conforto.
Reconhecer que “tudo é a Mente e a ideia da Mente” (C&S p.492), significa que, em primeiro lugar, precisamos abandonar nosso desejo pessoal. O Livro dos Provérbios nos diz: “Confia no Senhor de todo o teu coração e não te estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas” (B6, Prov. 3:5,6).
Às vezes, nos sentimos encorajados por nossa decisão inicial e saímos de nossa zona de conforto sem ouvir as orientações por completo, ou no meio do caminho nos deparamos com um obstáculo não previsto. Esta era a condição de Moisés e dos Filhos de Israel quando fugiram do Faraó (B8, Êxodo 14:5-16). Quando eles estavam no caminho, ficou evidente que estavam sendo perseguidos. Não importa se é esperado ou não, é fácil perceber como a realidade de ver um exército perseguindo você pode ser alarmante. Além da ameaça por trás, havia o Mar Vermelho à frente. Eles pareciam encurralados. Moisés encoraja o pessoal a não ter medo e a testemunhar o poder de Deus para libertá-los. Embora o alerta de Moisés tenha sido confiante, a história conta que Deus repreendeu Moisés dizendo: “Por que clamas a mim?”
O teólogo Adam Clarke (c.1760-1832) traz um ponto bem interessante com relação a este versículo. Apesar da ordem de Deus para Moisés, o texto não menciona Moisés “clamando” a Deus ou dando qualquer indicação verbal de preocupação sobre a situação. Adam Clarke postula que Moisés devia estar profundamente angustiado internamente, e observa que Deus ouve e responde a todos os pedidos de ajuda, mesmo que não expressados verbalmente. Às vezes, ficamos perturbados demais para conseguirmos formular uma oração e simplesmente choramos, suspiramos ou estendemos a mão angustiados. A ideia é que Deus responde até mesmo nossas orações não-verbais. Na história, Deus diz a Moisés para seguir em frente apesar do obstáculo à frente, e o mar se parte, proporcionando, assim, um caminho para libertá-los de seus perseguidores. Deve ter sido assustador atravessar o mar – sendo cercado por paredes de água –, mas eles seguiram em frente.
A observação do salmista com relação à superação da confiança nos métodos convencionais lembra-nos de que não importa que as soluções materiais possam ser impressionantes, os verdadeiros crentes voltam-se a Deus em busca de respostas (B10, Salmos 20:7).
Quando enfrentamos situações ameaçadoras, sem nenhuma rota aparente para escapar, nós também podemos colocar nossa total confiança em Deus (CS6, p.444). A Sra. Eddy salienta que Moisés levou toda uma nação a uma compreensão mais avançada de Deus (CS7, p.200). Os Filhos de Israel estavam em cativeiro, mas estavam bastante confortáveis para serem complacentes. E, mesmo depois de estarem a caminho da liberdade, eles começaram a pensar se não deveriam retornar à condição anterior. É duro deixar a zona de conforto – mesmo que esta zona de conforto seja um cativeiro. Dá trabalho seguir em frente.
Hoje, a Sra. Eddy nos incita a sair de nossa zona de conforto de cativeiro do pensamento material. Precisamos decidir se vamos continuar a dar ouvidos à mente mortal ou se vamos nos voltar à Mente divina e estar dispostos a nos libertar do antigo modo de pensar (CS8, p.195). Não precisamos nos preocupar que Deus possa nos mandar para o caminho errado, porque isso é impossível. Tudo o que Deus faz é bom. Se vem de Deus, é harmonioso (CS9). Dar um pequeno passo para longe do erro é bom, mas estar disposto a pisar no Mar Vermelho – olhar para a situação com coragem a partir de um ponto de vista da Ciência Cristã – é um passo em direção à liberdade (CS10, p.296).
A chamada zona de conforto da crença mortal parece real e nos atrai para voltarmos, mas estas crenças são vazias (CS11, p.478). Se confiarmos o suficiente em Deus para nos apoiarmos nEle e deixarmos completamente de lado o pensamento material, estaremos exercitando nossos direitos divinos de “governo de si mesmo, a razão e a consciência” (CS12, p.106). Muitas teorias e práticas estão competindo pela nossa atenção. Às vezes, podemos achar que estamos dando passos ousados e corajosos rumo à liberdade, quando, na verdade, estamos adentrando ainda mais no cativeiro. Só somos verdadeiramente “governados por si próprios” quando somos governados por Deus.

Seção 3: Distinguir fatos da ficção
Esta seção nos fornece uma história interessante a qual não lemos com muita freqüência. Além dos próprios acontecimentos em si sobre como ser guiado a encontrar algo perdido, há também o tema mais profundo sobre a percepção espiritual. Na seção 2 (B9, Exodus 15:20,21) temos uma breve menção de Míriam, uma profetisa, cantando louvores a Deus após o incidente no Mar Vermelho. Nesta seção temos Saul em uma viagem na busca de algumas jumentas que haviam se perdido (B12, I Samuel 9:3-6,10,18-20). Ele procura ajuda de um "vidente", Samuel, que prontamente dá uma resposta a Saul. Em Mateus temos a declaração confiante para que "não tenham medo de ninguém. Tudo o que está encoberto será conhecido" (B13, Mateus 10:26).
Nos Estados Unidos, o clima atual de "falsa notícia" especialmente requer visão espiritual. Sempre foi verdade que nem sempre podemos acreditar em tudo o que lemos, ouvimos ou vemos através dos nossos sentidos. De fato, do ponto de vista espiritual, não podemos acreditar em nada disso. É por isso que o sentido espiritual é tão importante para nós. Mas hoje tudo está sendo questionado, mesmo de fontes tradicionalmente confiáveis. A menos que alguém esteja orando a Deus por respostas, é muito improvável que a verdade seja conhecida. Deus é a Verdade e a Verdade é a Mente. Quando nos alinhamos com a única Mente, Deus, temos acesso à Verdade.
Nosso livro texto nos diz: "é a Mente, não a matéria, que vê, ouve, sente, e fala" (CS13, p.485). O livro Ciência e Saúde também nos diz que os antigos profetas confiaram totalmente no aporte espiritual para discernir o que era verdadeiro e o que era falso (CS14, p.84). A Sra. Eddy claramente percebeu que a capacidade de ver profeticamente, ou espiritualmente, ainda é possível hoje, e para fazê-lo, temos que comungar com a Mente divina. Ela nos diz que devemos olhar "além das formas finitas" para "obter o verdadeiro senso das coisas" (CS15, p.264). Onde mais, ela pergunta, devemos olhar, senão "no reino insondável da Mente".
As seguintes frases são igualmente motivantes: "Temos de olhar para onde queremos caminhar, e temos de agir como possuidores todo poder dAquele em quem existimos. À medida que os mortais alcançam perspectivas mais corretas a respeito de Deus e do homem, inumeráveis objetos da criação, que antes eram invisíveis, se tornarão visíveis".
Isso nos diz para desviar o olhar da evidência material e fixar o olhar no reino da realidade espiritual. E uma vez que o fizermos, mais claramente perceberemos o que de fato nunca existiu. Numa ocasião ou outra todos já tivemos a sensação que existe mais realidade do que aquela que o olho percebe. Os escritores de ficção científica e de fantasia prosperam nessa possibilidade. Não é maravilhoso que a Ciência Cristã explique o que devemos fazer para percebermos isso? Temos vislumbres dessa realidade cada vez que vemos a verdade e experimentamos a cura. Cada idéia espiritual que seguimos, aceitamos e fazemos por nós mesmos abre um pouco mais nossa visão. E dar o próximo passo, pôr fim a visão limitada dos sentidos, é possível a medida que aprendemos mais sobre Deus. Seguir essas ideias espirituais nos leva à realidade e ao senso espiritual do ser (CS16, p. 298). Então, não seremos meramente capazes de dizer quem está mentindo e quem está dizendo a verdade, mas seremos capazes de ver através de cada mentira do pecado, da doença e da morte, a realidade espiritual do ser.

Seção 4: Ter a Mente de Cristo
O salmista anseia por compreender melhor os caminhos elevados de Deus - as verdades profundas do ser que podem ser percebidas de forma prática na vida diária (B14, Salmos 67:1,2). Elucidando o profundo desejo do salmista, Barnes escreve que o ele queria conhecer era: "A lei de Deus; Os princípios e métodos da administração divina; A maneira pela qual Deus governa a humanidade e pela qual ele concede suas bênçãos sobre todos ". Ele diz que a felicidade e a realização da humanidade dependem de encontrar as respostas satisfatórias para esses anseios.
O ensinamento de Cristo Jesus cumpre o desejo do salmista. Jesus veio para pregar, ensinar e curar. Ele queria que seus seguidores aprendessem o que é a realidade, e provassem isso através da cura. Jesus clamou aos discípulos a deixarem o pensamento mundano e entrarem no caminho do despertar e da prática espiritual (B15, Marcos 1:14-17, 21,22,23,34). O apóstolo Paulo nos ordenou que tivéssemos a "mente de Cristo" (B16, I Coríntios 2:16).
A Ciência Cristã ensina que não é somente possível ter a mente de Cristo, mas que também é um prelúdio essencial para a cura eficaz (CS17, p.180). Jesus ensinou seus alunos a curar através da Mente. Este poder de cura está disponível a cada um de nós para ser aprendido e praticado. Para alguns, os exemplos dos discípulos de Jesus, dos profetas e dos apóstolos parecem ser modelos que só podemos sonhar em imitar. É possível, na atualidade, realmente deixar tudo por Cristo?
A Sra. Eddy – a qual foi tão marcante em cumprir os requisitos para ser uma curadora cristã - ainda permite que cada aluno se volte da matéria para o espírito em seu devido ritmo, da sua própria maneira. Ela não limita a capacidade de curar apenas àqueles que "deixam suas redes". Ela dá àqueles que "lançam suas redes do lado direito" igualmente oportunidades e potencial (CS18, p.271). É verdade que, mesmo que chegássemos perto do ministério de cura que Jesus e Sra. Eddy fizeram, teríamos que abandonar todas nossas outras atividades. Mas, à medida que se trabalha nesse sentido, o importante é "abandonar os fundamentos dos sistemas materiais" (CS19, p.326). Isso na verdade exige até mais do que abandonar uma carreira e ostensivamente entrar na prática de cura. De fato, abandonar a crença em fundamentos materiais é mais essencial do que abandonar a própria vocação.
O raciocínio humano e as disputas intelectuais são insuficientes para superar a doença. É a comunhão com a Mente única, através da atividade do Cristo, que cura (CS20, p.145). Quando abandonamos o pensamento mortal e deixamos que Deus nos guie, a cura se concretiza (CS21, p.149).

Seção 5: A Mente é um lugar seguro
Em muitos lugares em todo o mundo, incluindo os Estados Unidos, a agitação política e o crime parecem estar surgindo de tal forma que muitos sentem sua segurança está sendo ameaçada. Escolas, shoppings, teatros e até mesmo locais de culto - tradicionalmente e quase universalmente tratados como santuários de segurança - tornaram-se alvo de violência. A polarização de ideais e agendas está destruindo o tecido da sociedade de forma alarmante. Existe algum lugar onde nos podemos sentir verdadeiramente seguros? As escrituras têm consistentemente sustentado que confiar no Senhor proporciona um refúgio, e um lugar de completa segurança (B17, Prov 18:10). A injustiça social cometida aos menos capazes de se ajudar a si próprios continuou ao longo dos séculos, e as palavras do salmista ainda prometem a proteção de Deus. A frase "soprar nele" significa "desprezar e tratar com extremo desprezo" (John Gill -Explicações da Bíblia ). O clima político nos Estados Unidos é abundante com as pessoas “desprezando-se" mutuamente. A única resposta é recorrer a Deus para obter orientação (B19, Salmos 32:0). Barnes expande a linguagem de Jeremias: "A idéia é de que alguém que diz a outro qual caminho ele deve tomar ... e a pessoa diz que o vigiará ou o observará com cuidado; Ele não vai deixá-lo agir errado.” Isso me lembra do doce, terno cuidado de um pai ou avô ao orientar uma criança como ela pode aprender a andar.
A Mente divina - a única Mente que existe, considera todas as Suas idéias com extrema compaixão e ternura. Não há futuro incerto, ou medo de ser extinguido ou maltratado. Deus, a única Mente, vê o caminho o ou objetivo desde o início e o resultado é sempre segurança, satisfação e paz (B20, Jeremias 29:11-13)). Este refúgio é encontrado quando nos voltamos a Deus com todo o nosso coração. II Tessalonicenses pede orações de libertação de "homens irracionais e ímpios" que "não têm fé" (B21, 2 Tess 3:1-3). Esta oração poderia ter sido escrita ontem. A solução também é tão verdadeira hoje como era há dois mil anos. Devemos afastar nossos corações das ideologias políticas ou religiosas, em direção ao "amor de Deus e à paciente espera pelo Cristo”.
Que fique entendido que isso não invade as outras religiões. O Cristo é universal e sempre presente na consciência humana, independentemente de qualquer persuasão religiosa com a qual se possa identificar. Até os ateus têm o Cristo. Nosso livro-texto declara, sem reservas, que a única maneira de encontrar segurança é por meio do Cristo, a Ciência divina (CS22, p.232). Esta Ciência coloca todos os homens na "panóplia do Amor" (CS23, p.571). Observe que a proteção em si não é proteger-se de outras pessoas, nações, partidos políticos ou religiões, mas do "ódio humano". O ódio é uma ameaça para todos. O ódio é o inimigo. O amor o desmonta.
Ciência e Saúde oferece uma solução surpreendente para todas as nossas aflições: "O exterminador do erro é a grande verdade de que Deus, o bem, é a única Mente" (CS24, p.469). Pense nisso - a ÚNICA Mente. Se pudermos entender isso, o conflito se torna impossível. Nossa Líder estava bem ciente das "tendências despóticas" (CS25, p.225), da crença mortal, e que essas tendências se reinventam constantemente. Sua observação da revolta em curso no pensamento mortal (CS26, p.96) foi escrita há mais de cem anos. Ela previu esses momentos como sinalizando "o conflito final", mas, com essa visão, ela viu os Cientistas Cristãos como tendo um lugar na cura desta grande divisão. Portanto, temos um dever especial para com o mundo e para com a humanidade. Como cumpriremos esse dever? Nós o cumprimos esperando pacientemente em Deus, e buscando a Verdade com retidão (CS27, p.254).

Seção 6: "Certifique-se de que Deus dirige o seu caminho; Em seguida, apressa-te a seguir em todas as circunstâncias.”*
Em caso de dúvidas persistentes, a última seção revisita o tema do TA. Em nossa jornada de vida, às vezes encontramos bifurcações na estrada, e todos os dias tomamos decisões sobre qual caminho seguir. A maneira mais segura de saber que estamos no caminho certo é confiar plenamente em Deus.
Agora, onde você acha que esse caminho está levando? A citação (B22, Isaias 48:17) diz: "Eu sou o Senhor teu Deus que te ensina a lucrar." Adivinhe o quê? Na Concordância Exaustiva de Strong à Bíblia, a primeira definição da palavra traduzida como "lucro" é "ascender!" Isso coloca uma teoria completamente diferente neste texto. O caminho certo é sempre o caminho que leva à ascensão. O TA é repetido (B23, Isaias 30:21), sugerindo que Deus está sempre à mão guiando e dirigindo-nos. No entanto, a Bíblia não está dizendo que Deus está nos empurrando. Paulo nos encoraja a "lutar pela marca" (B24, Filipenses 3:14,15)). A imagem que recebo é um corredor olímpico colocando cada metro de força em cruzar a linha de chegada, e se inclinando para ele, tanto quanto possível, para ser o primeiro na linha de chegada. Esse compromisso total de deixar de lado o senso pessoal, o raciocínio material e a escutar a Deus para guiar, dirigir e proteger-nos até o céu é a "mente de Cristo" da qual precisamos.
A Sra. Eddy instrui seus alunos a obedecer fielmente às orientações da Mente divina e a provar através da demonstração de que o caminho de Cristo é de fato o único caminho para a salvação (CS28, p.458). Para fazer isso, precisamos olhar para além dos modelos de sucesso impulsionados pela mídia e manter Jesus como nosso modelo (CS29, p.407). Nós não podemos fazer isso por reconhecimento, ou riquezas, ou fama. Nosso motivo de amor a Deus e ao homem tem de ser o primeiro plano do pensamento (CS30, p. 326). Quando nossos motivos estão certos, e Deus é o nosso único guia, é como ter todos os nossos "patos em uma fileira" com todos os canais abertos, e nossos pensamentos alinhados com o Cristo (CS31, p.467). Isso é ter a "Mente de Cristo". Quando o fazemos, descobrimos que as decisões já foram tomadas para nós. Estamos em harmonia e simpatia com Deus, e nossa direção é clara, levando ao caminho para a ascensão.
* (Escritura Diversos 117: 31)

_________________
Este estudo metafísico foi preparado por Craig L. Ghislin, C.S., Glen Ellyn, Illinois (Bartlett) EUA, Tel. +1 (630) 830-8683, craig.ghislincs@icloud.com
A equipe de tradução para o português é composta por Ana Paula Wagner, Dulcinea Torres, Elisabeth Z. Friedrichs, Leila Kommers e Ovídio Trentini. Visite o site Associação dos Alunos de Ciência Cristã do Professor Orlando Trentini, CSB. Ali encontrará esta tradução e as anteriores para estudo, para baixar e partilhar esse copo de água fresca com seus amigos.
Os estudos metafísicos dos Cedros sobre o estudo diário da Lição Bíblica da Ciência Cristã, contendo ideias de aplicação metafísica, são oferecidos, durante todo o ano, para que os amigos da Ciência Cristã vejam e demonstrem o grande valor do estudo diário da LB.
Os Cedros são um suplemento para a LB. O estudo em inglês será postado, no link abaixo, na 2a. feira. Sua tradução para o português será postada até a 4ª feira. Busque e leia o texto em inglês em http://www.cedarscamps.org/metaphysical.

Metaphysical

Claim your pure-as-gold heritage! - Most of us don’t like the word sin. And, yet, those of...
Latest Lesson Application Idea

Newsletters

Get free weekly uplifting newsletters (available in English, Spanish, French, German and now in Portuguese!)
Subscribe or Update Subscription

Facebook

Find CedarS on Facebook for the latest news, heart-warming fruitage, facility upgrades and more!
Go to the CedarS' Facebook Page