Cedar Camps

Metaphysical Ideas

Search Metaphysicals
 

Metaphysical Newsletters

The weekly Metaphysical Newsletter is provided to campers, staff, alumni, friends and the CedarS family at no charge however contributions help defray the costs of running this service.

Click here for more about how you can provide support!
 

Delivered to You FREE!

Available in five languages, get it delivered to your inbox weekly!

Subscribe Now!

Experimentem os frutos do Espírito. Esqueçam as soluções baseadas na matéria e vejam o Espírito como o único poder real e efetivo! Estudo Metafísico do Acampamento dos Cedros - Tema: O Espírito.

David Price, CS, Denver CO
Posted Monday, July 31st, 2017

CIÊNCIA CRISTÃ - LIÇÃO BÍBLICA
[Experimentem os frutos do Espírito. Esqueçam as soluções baseadas na matéria e vejam o Espírito como o único poder real e efetivo!]
31 julho a 6 agosto - 2017
Tema: “O Espírito”

__________________________________________________
Abreviações: Bíblia – B; Bíblia na Nova Tradução na Linguagem de Hoje – NTLH;
Bíblia Mensagem - MSG; Ciência Cristã – CC; Ciência e Saúde – CS; Lição Bíblica – LB
_________________________________________________

Como aprendemos desde nossas primeiras lições na Escola Dominical, Deus é o Espírito. Mas o que é que isso significa realmente e como podemos apreender e experimentar este modo de ver a Deus? Primeiro, o Espírito não é nem pode ser algo que concebemos usando nosso cérebro humano. O Espírito, em si e de per si, é atividade infinita em andamento agora mesmo. O Espírito é eterno, de modo que não houve começo nem haverá fim para Deus. O Espírito é a única coisa que cria, de fato. Isto quer dizer que somos criados pelo Espírito, espiritualmente, exclusivamente.
Assim, esta lição trata, realmente, de conhecermos o Espírito ativo agindo de modo criativo e renovador em nossa vida. Esse trabalho é sempre bom e harmonioso. Um modo de ver esse trabalho ativo é por meio da metáfora de “anjos”; um tema que perpassa a lição desta semana. Gosto de pensar sobre a ideia de anjos não separados de Deus, e certamente não como um corpo humano com asas, halos e penas. Esta lição propicia um sentido expandido de anjo visitante que vem ao nosso pensamento que ensina e eleva a fim de dar uma melhor compreensão do Espírito, de como Deus está nos guiando, agora mesmo.
O Texto Áureo (1Cor 2:12) da lição desta semana começa com um maravilhoso senso de recepção, não do tipo de recepção que ocorre em festas com amigos ou a família ou em algum encontro mais formal com personagens dos esportes ou um casamento. Em vez disso, tem a ver com o recebimento do presente do Espírito. Paulo, escrevendo à igreja de Corinto, mas em verdade dirigindo-se a cada um de nós, encoraja e assegura que nos foi dado um senso pleno da presença de Deus, o Espírito, que guarda, guia e cura. Ele também nos assegura que esse presente não é algo reservado para uma classe especial de pessoas, ou algo que tenhamos de merecer; é simplesmente um presente.
Paulo deixa claro que esse presente não tem nada a ver com coisas materiais—como a agitação quando você recebe um telefone novo ou um computador; em verdade, este é um sentido temporário, algo que não é real, porque não é permanente. O que Paulo está falando é sobre o senso da presença de Deus.
Esse presente do Espírito, explica Paulo, não é algo para mais tarde no dia, ou no futuro quando estivermos prontos para recebe-lo, este é um presente “recebido”. Cada um de vocês já tem esse presente, ainda que não o saibam.
Lembro de uma experiência que tive quando passava pelo curso primário da CC. Fomos instados a simplesmente sentir a presença de Deus. Eu estava ali sentado no quarto do hotel por horas procurando esse esquivo senso da presença do Espírito. Quando finalmente fui dormir à noite, eu não tinha nada, e me sentia muito desanimado. Fiquei sabendo, depois, que não fui o único a não realizar a tarefa de imediato. Na tarde seguinte, solicitado a tentar novamente, me vi acometido de muitas dores fortes. Não adiantava espreguiçar, deitar, sentar ou tomar uma ducha; nada me aliviava. Como orei durante o dia, tive algum alivio quando trabalhei junto com um praticista; mas no momento em que telefonei para o praticista para desengajar seu trabalho, a dor voltou.
Percebi que isso era algo que eu precisava resolver sozinho. Finalmente fui capaz de vencer por meio de uma tranquila e fervorosa persistência. Naquela noite, quando estava deitado simplesmente senti uma clara voz que me afirmava que minha identidade estava intacta. Nesse momento senti a presença de Deus, e nesse exato momento fui curado. A coisa é o seguinte: a presença de Deus não era algo externo, como se fosse uma fruta tropical que eu nunca tinha experimentado. Aquele senso do Espírito era algo que eu sempre havia sabido e sentido. Eu simplesmente não havia juntado o dois mais dois. Eu havia já e sempre “recebido” o Espírito.
Como esse senso eterno de recepção é verdadeiro a cada um de nós, nós não precisamos falar às outras pessoas a respeito de Deus de um modo como se estivéssemos tentando convence-las a respeito do cuidado e da permanência de Deus. Podemos falar-lhes sabendo que elas já receberam o dom do Espírito, ainda que não o saibam.
A Leitura Alternada (1 Cor.12:4, 6-9, 11; Gálatas 5:22, 23, 25) expande esse conceito do dom (presente) do Espírito e nos lembra que Deus, a Mente divina, é infinita em sabedoria e inteligência, de modo que esses dons devem ser complexos e diversos. Gosto do senso de que cada um recebe o dom de Deus de modo único e diferenciado. Por exemplo, algumas pessoas são boas em falar com outros sobre Deus, outras sentiram o amor de Deus de modo tão agudo que se tornaram super-compassivas, há as que estão tão confiantes no cuidado de Deus que simplesmente transpiram abnegação.
E Paulo esclarece de que mesmo sendo os dons diferentes, há um só Espírito, o que significa que as qualidades divinas tais como fidelidade, compaixão e bondade têm de agir juntas harmoniosamente. Gosto de pensar numa orquestra. Exímios violinistas não tocam flauta, pianistas de concertos não tocam trombone, etc., mas a tarefa que cada músico dedica à sua atribuição, tocando juntos resulta na fluidez, ritmo e harmonia de uma grande sinfonia.
Gosto de como Paulo insta os gálatas—é quase como se dissesse—“tomai os frutos do Espírito e vivenciai-os na experiência diária”. E o que são esses frutos do Espírito? Bem, Paulo dá uma lista não-exclusiva: “amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio” (B22, Gál. 5:22). Estas são qualidades que devemos incorporar; são qualidades “livremente doadas” a nós por Deus.
Assim, qual é o ponto importante no tocante a essas qualidades? A resposta de Paulo: Contra estas cousas NÃO HÁ LEI!” Pensem na gravidade dessa afirmação. Incorporar o amor de Deus, a alegria de Deus, a paz de Deus, etc. é algo impenetrável, imune à perseguição e condenação (ver Seção 5). Por exemplo, não importa o quanto alguém lhe odeia, ou seus amigos, sua comunidade, seu mundo, se você está expressando e transpirando amor, sua identidade como expressão do Amor Divino não muda e não é afetada.
Experimentem essas qualidades, ou frutos do Espírito. Deus vô-las deu sem compromisso. Vejam quão poderosas e sanadoras elas são.
O tema do Espírito ou Deus revelado por meio de anjos é enfatizado ao longo da lição da semana, e nos lembra da força e segurança, da presença tangível e cuidado palpável que é a bondade do Espírito.
Seção 1: Você já conhece o Espírito? Há um exército de ideias (anjos) revelando hoje o que você precisa saber sobre Deus.
Uma fonte importante para encontrar relatos e aprender como compreender o Espírito é dos ensinamentos encontrados na Bíblia (ou Escrituras como muitos cristãos se referem à Bíblia). Considerem o Primeiro Fundamento da CC: “Como adeptos da Verdade, tomamos a palavra inspirada da Bíblia como nosso guia suficiente para a Vida eterna” (CeS, p. 497). O que faz um guia? Bem, ele orienta durante a jornada e provê o que você precisa para chegar ao destino. É exatamente o que a Bíblia faz, ela é seu guia à compreensão de Deus, o Espírito, e isso o ajuda a compreender seu permanente relacionamento com o Pai/Mãe, uma ajuda presente em qualquer situação.
Como todos sabemos, não podemos ver ou ouvir o Espírito com os olhos ou os ouvidos materiais porque é impossível conceber algo infinito e eterno em natureza e Amor em termos de matéria. Mas, o Espírito pode ser compreendido por símbolos/metáforas. A Sra. Eddy coloca do seguinte modo: “O Espírito é simbolizado pela força, presença e poder, e também por pensamentos sagrados, alados de Amor” (CS5, p. 512).
Essa seção destaca a bondade de Deus afirmando que o Espírito é o Criador: “...com sabedoria as fizeste” (B2, Salmo 104). De fato, é a palavra do Espírito que é tanto criativa como renovadora. Gosto da ideia de renovação. Significa que independente da rotina em você se encontra ou a cisma que estejas fazendo a respeito de algo desagradável, Deus renova a bondade em você, permitindo-lhe a pôr de lado esse falso sentido, e de seguir em frente com Ele.
É um pouco tentador pensar: bem, não sou espiritual o suficiente, ou não tenho uma compreensão suficientemente profunda de como deixar-me guiar pelo Espírito. Mas a metáfora da lição dessa semana é confiar que os pensamentos angelicais o guiarão, e não são poucos os anjos: “são mais do que se pode contar” (B3, Salmo 40).
Gosto da ideia de que o Espírito ou a Mente “sabe tudo”. Passado, presente e futuro são todos abrangidos por Deus. De fato, nada é novo para o Espírito. Assim, volver-nos a essas mensagens angelicais nos permite expressar o que Deus já sabe e compreende agora mesmo.
Seção 2: Onde procuramos o Espírito?
Essa seção responde à pergunta acima de modo bem simples: Não há lugar onde você possa ir, em que Deus não esteja com você! O Salmo 139 é um dos meus favoritos porque faz uma colocação tão poética: “Para onde me ausentarei do teu espírito? Para onde fugirei da tua face? Se subo aos céus, lá estás; se faço minha cama no mais profundo abismo, lá estás também; se tomo as asas da alvorada e me detenho nos confins dos mares, ainda lá me haverá de guiar a tua mão e tua destra me susterá” (B6, Salmo 139). Logicamente Deus está contigo quando te sentes feliz e harmonioso (céu), mas o que dizer quando te sentes bagunçado e confuso (inferno)? Até ali Deus está. Que tal se “tomo as asas da alvorada e me detenho nos confins dos mares?”
Esse Salmo me ocorreu quando eu estava numa viagem de negócios a Boston. No decolar do avião, eu estava orando, comungando com o Espírito. Assim, quando começamos a acelerar na pista, me dei conta de que a velocidade do avião, mesmo a 500km/h, não afetava a presença de Deus. Não podemos ultrapassar o Espírito! O Espírito enche todo o espaço. Logo, mesmo que estejas viajando nas “asas da alvorada”, Deus está bem ali contigo.
A Sra. |Eddy é bastante clara quando nos alerta de que procurar por sinais físicos ou materiais da presença de Deus (como procurar “anjos” como seres alados sussurrando aos teus ouvidos) é simplesmente procurar pelo Espírito na matéria. Ela escreve: “Podem os sentidos materiais, que não recebem nenhuma evidência direta do Espírito, dar testemunho correto sobre a vida, a verdade e o amor espiritais? A Resposta … tem de ser para sempre negativa” (Cs7, p. 284).
Mas não se diga que desconsideramos nossas experiências angelicais. Eddy dá uma notável visão de anjos com sua definição no Glossário. “Anjos. Pensamentos de Deus que vêm ao homem; intuições espirituais, puras e perfeitas; a inspiração do bem, da pureza e da imortalidade, atuando contra todo mal, toda a sensualidade toda a mortalidade” (CS8, p. 581). Uau! Os anjos têm papel importante em nosso aprendizado sobre o Espírito; pensamentos passando de Deus a você, intuição, inspiração... todos destinados a ensinar-lhe em como aproximar-se mais de Deus e afastar-se do mal e da matéria.
A experiência de Jacó vendo anjos subindo e descendo entre a terra e o céu por uma escada ajudou-o a ver o pensamento enlevado de um senso material para um espiritual: “Teus anjos vêm me libertar, sou livre do temor” (Hino n136, Hinário da CC)

Seção 3: O Espírito nos fortalece independentemente da circunstância (seção realmente útil para os campistas e funcionários!)
Quer se trate de fadiga, dor, fraqueza ... Deus está ali fortalecendo você. Às vezes, a inclinação no acampamento é dizer: "Eu vou passar por isso", confiando em pura força de vontade para passar o dia. Ou dizendo: "Eu desisto, isso é demais para mim". A Sra. Eddy é realmente clara sobre esse ponto - "Foi-me demonstrado que a Vida é Deus, e que o poderio do Espírito onipotente não compartilha sua força com a matéria nem com a vontade humana” (CS13, p.193). Afaste a tentação de pensar que a mente humana ou a vontade humana seja suficiente ou não para lhe fortalecer. Deus está fornecendo toda a energia, a força, o descanso e a direção necessárias. Confie no Espírito - "Sintamos a energia divina do Espírito, que nos traz a uma vida nova..." (CS11 p.249).
A Sra. Eddy dá o exemplo de Florence Nightingale, uma enfermeira que incansavelmente atendeu a soldados feridos, muitas vezes até tarde da noite e por dias. A Sra. Eddy atribuiu essa energia ao "... sustento que recebiam da lei divina que está acima da lei humana." Realmente atender às necessidades dos outros, sentir a compaixão, o perdão e o cuidado de Deus são grandes motivos para superar a fraqueza, o cansaço ou a exaustão.
[A citação B11 é do capítulo 35 de Isaías, que foi entregue à Fundadora de CedarS, Ruth Huff, como resposta de Deus ao abrir a Bíblia para a pergunta "o que é o propósito de CedarS?"]. Trabalhando com "firmai os joelhos vacilantes", eu espiritualizava o conceito de joelhos vacilantes.
Joelhos vacilantes - você estaria disposto a se levantar e simplesmente declarar seu amor e reverência pelo Espírito, ou tem medo de que as pessoas não entendam ou caçoem de você? Verifique seus joelhos proverbiais na porta e perceba que Deus está fortalecendo sua determinação de se levantar. Na verdade, esteja pronto para garantir a alguém que não acredita prontamente na capacidade de Deus para encontrar e curar todas as situações, com a garantia - sim, você está seguro, cuidado e fortalecido porque isso é o que Deus faz.
Isaías 40:31 é outro grande versículo da Bíblia que pode ser útil para memorizar! "... os que esperam no Senhor renovam suas forças, sobem com asas como águias, correm e não se cansam, caminham e não se fatigam" (B12).

Seção 4: Pare de confiar em qualquer coisa que não seja o Espírito

Essa seção é realmente sobre confiar em Deus e abandonar as superstições. Realmente apreciei o contraste entre a figura de Cristo Jesus, o qual lemos que "voltou […] e o poder do Espírito Santo estava com ele" (B14, Lucas 4:14) e o homem que tinha uma doença por mais de 38 anos. Embora não esteja incluído na lição dessa semana, sabemos que este retorno de Jesus sucedeu-se logo após os seus 40 dias no deserto, o qual incluiu as três tentações. A confiança total de Jesus em Deus, sua confiança inflexível no cuidado de Deus, o conduziu a um novo senso de Deus. Foi quando ele voltou no poder do Espírito.

Em contraste, encontramos o homem no tanque de Betesda o qual esteve inválido por 38 anos. Em certo momento, não tendo encontrado cura em nenhum outro lugar, ele se volta para a história ou a superstição sobre o tanque de Betesda. Esperando que um anjo o curasse se fosse o primeiro a chegar na água, ele ficava deitado no seu leito todos os dias, com os dedos cruzados, na espera que fosse curado. (Certamente, este não é o tipo de anjo em que devemos assentar nossa fé - um anjo que limita a cura a uma pessoa por ano, e seleciona com base naquele que chega primeiro).

Eu adoro o senso de que esse homem, apesar de sua confiança equivocada, foi naturalmente curado por Cristo Jesus. O Cristo veio até ele; Ele não precisou se mover. A Sra. Eddy ilumina esse senso cristão quando escreve: "O Cristo, a Verdade, foi demonstrado por meio de Jesus, para dar provas do poder do Espírito sobre a carne - mostrar que a Verdade se manifesta por seus efeitos sobre a mente humana e o corpo humano, curando a doença e destruindo o pecado"(CS18, p.316). O Cristo sanador nunca é exclusivo, mas sempre inclusivo. E essa atividade de cura, que deve ser colocada inteiramente aos cuidados do Espírito, cura a mente e o corpo.

Acho muito interessante pensar sobre aquelas falsas verdades que pretendem me enganar ao pensar que são úteis, para, então, destruí-las ou me "despojar" (CS23, p.428) delas. Assim como você, acho que nunca acreditei em um poder de cura de anjos que agitam a água, mas fui tacitamente enganado a acreditar no poder da dieta e do exercício sobre o meu corpo. Fui enganado a procurar um diagnóstico médico como ponto de partida para encontrar um meio de acabar com um desconforto ou uma dor. Nosso trabalho não é ficar preso em saber se fomos enganados ou ludibriados, mas é descobrir quando isso ocorre, e depois volver-nos a Deus, esquecer a solução falsa baseada na matéria e reconhecer que existe somente um único poder real e operante em Deus, o Espírito. A Sra. Eddy escreveu de forma muito acertada: "Para teres um só Deus e te valeres do poder do Espírito, tens de amar a Deus supremamente" (CS19, p.167).

E essa completa confiança no Espírito nos permite reivindicar nosso direito à cura por meio do Espírito. Outra citação maravilhosa para mim vem do final dessa seção e ilumina esse senso: "Toma posse de teu corpo e governa-lhe a sensação e a ação. Eleva-te na força do Espírito para resistir a tudo o que é dessemelhante do bem. Deus fez o homem capaz disso, e nada pode invalidar a capacidade e o poder divinamente outorgados ao homem" (CS24, p.393).

Seção 5: Ser guiado pelo Espírito liberta das cadeias da matéria.

No começo da minha carreira profissional como advogado tive um desafio difícil que me ajudou a confiar em Deus, mesmo quando parecia que um juiz teria a última palavra. Eu estava representando, como advogado de defesa, um cliente que havia recebido uma multa por dirigir com uma carteira de motorista inválida. A pena no estado do Colorado para uma ocorrência desse tipo, e quando pela primeira vez, poderia chegar de 30 até 60 dias de prisão. Na maioria dos casos, porque a penalidade era tão injusta e dura, o promotor poderia propor um acordo, uma concessão conjunta, com uma sentença alternativa mais leve. Nesse caso, eu já havia falado com o promotor e tínhamos trabalhado em um acordo que incluía a sentença mínima, a ser atendida em casa. O cliente tinha um registro impecável, e sua situação familiar, a qual incluía o fato de ter um bebê recém-nascido em casa, ajudava bastante.

Mas, quando entrei no tribunal naquele dia, surgiram muitos desafios. Primeiro, meu cachorro tinha desaparecido pouco antes de ir para tribunal naquela manhã, e não foi achado em nenhum lugar. Por causa da questão de tempo, não pude passar mais tempo procurando por ele. Nem preciso dizer que estava desolado.

Para piorar as coisas, o juiz que estava no caso era conhecido por ser muito duro em termos de condenação de réus. Essa reputação pareceu verdadeira naquela manhã, quando ele condenou meu cliente a 60 dias de cadeia, apesar do acordo feito pelo procurador, que incluía sua solicitação por um pedido de clemência.

Deixei o tribunal com o bebê e a esposa do acusado chorando atrás de mim, apenas para entrar no meu carro e me perguntar o que teria acontecido com o meu cachorrinho perdido. Foi um dia muito ruim, quando, finalmente, entrei no meu escritório. Mas comecei a orar e essa história na Seção 5, que foi uma das minhas preferidas desde jovem, me veio à mente (B19, Atos 12:1,3,5-8,10,11). Nela lemos que Pedro foi posto na prisão simplesmente porque o rei Herodes não gostava de cristãos. No entanto Pedro, acorrentado e entre dois soldados, foi guiado à liberdade por um anjo.

Naquela tarde, uma querida amiga me ligou e disse que havia encontrado meu cão, o Arthur, no canil municipal, mas que já havia pago a multa e ele estava seguro aos cuidados dela. Logo após essa chamada, o funcionário do juiz ligou e disse que ele havia reconsiderado sua sentença e decidiu retirar seu pedido instaurando o acordo original que havia sido feito.

É tão fácil ver o que parecem ser as chocantes circunstâncias materiais e ceder, e acompanhar o que parecem ser os seus inevitáveis efeitos. A Sra. Eddy lembra-nos que nessas situações é quando devemos confiar ainda mais no Espírito. Ela escreve: "Cada experiência que prova nossa fé em Deus nos torna mais fortes. Quanto mais difícil parece a situação material a ser vencida pelo Espírito, tanto mais forte deve ser a nossa fé e tanto mais puro o nosso Amor ". E continua respondendo à pretensão do medo em face do que parece ser um desafio insuperável: "O Apóstolo João diz: ’No Amor não existe medo; antes, o perfeito Amor lança fora o medo. ... Aquele que teme não é aperfeiçoado no Amor’. Essa é uma proclamação definitiva e inspirada da Ciência Cristã. [...] A prática científica cristã começa com a nota tônica da harmonia, apresentada por Cristo: ’Não temais!’” (CS26, p.410).

Seção 6: Qual é a nossa responsabilidade para com o Espírito? Amemos!
Quais são algumas das nossas responsabilidades? Bem, o mais fácil é simplesmente amar (expressar o amor de Deus) e fazê-lo consistentemente. Amemos os nossos campistas, os nossos irmãos e irmãs, amemos aqueles que parecem mais difíceis de amar e amemos o estranho (alguém que parece estrangeiro ou diferente).
Há alguns anos eu estava em um seminário intensivo de duas semanas para advogados. Eu não conhecia ninguém lá e nos pediram para nos encontrarmos no jantar em um local a 35km de distância. Todos se separaram em grupos, e lá estava eu ​​ de fora, ninguém me escolheu. Agora, eu poderia ter ido a um desses grupos e me convidar, ou simplesmente ‘deixar pra lá’, que é o que eu em geral faria . Mas notei que um "estranho" nos arredores do grupo parecia um pouco estranho. Ele tinha os cabelos lisos e uma barba pronunciada. Estava usando roupas coloridas e parecia mais velho do que todos os outros. Instantaneamente, uma mensagem angelical me impeliu a caminhar e me apresentar. A saudação foi cordial, e calorosa. Ele ofereceu-se para dirigir. Não demorou mais do que andar até o final da saída do hotel, e nos tornamos amigos instantâneos. Uma conversa inspirada de dez minutos na viagem nos ligou a um amigo comum que na verdade era cientista cristão. Esse novo amigo ficou fascinado por aprender isso e queria saber mais sobre a minha religião.
Conduzindo-nos com amor, estando dispostos a encontrar e conhecer novos e aparentes estranhos, permite que estejamos abertos para entreter um anjo sem sequer ter consciência disso. Este amigo, Arturo, era, de um modo vigoroso o anjo que eu precisava naquela difícil conferência onde me sentia deslocado. E ao longo dos anos eu tenho sido essa inspiração para o bem que o ajudou em tempos difíceis. E apesar dele morar em Atlanta, Geórgia, e eu morar em Denver, Colorado, temos uma amizade para a vida.
A citação B22 é uma repetição da leitura alternada, mas pensar em tudo o que aprendemos na lição bíblica não é a passagem da carta de Paulo aos Gálatas um destaque? Realmente assumindo essas qualidades do Espírito, que inclui amor, alegria e paz, etc., não é esse o caminho para consistentemente ser uma transparência para o Espírito que é o Amor, Deus?
Em última análise, é o Amor, que nos ajuda a entender melhor e ser guiados e cuidados pelo Espírito. "O amor finalmente marcará a hora da harmonia, e a espiritualização seguirá, pois o Amor é o Espírito" (SH 22, p. 96).
_________________
Este estudo metafísico foi preparado por David L. Price, CS, Denver, Colorado dlawrenceprice@yahoo.com • 720-308-9500
A equipe de tradução para o português é composta por Ana Paula Wagner, Dulcinéa Torres, Elisabeth Z. Friedrichs, Leila Kommers e Ovídio Trentini.. Visite o site Associação dos Alunos de Ciência Cristã do Professor Orlando Trentini, CSB. Ali você encontrará esta tradução e as anteriores para estudo, podendo baixar e partilhar esse copo de água fresca com seus amigos.
Os estudos metafísicos dos Cedros sobre o estudo diário da Lição Bíblica da Ciência Cristã, contendo ideias de aplicação metafísica, são oferecidos, durante todo o ano, para que os amigos da Ciência Cristã vejam e demonstrem o grande valor do estudo diário da LB.
Os Cedros são um suplemento para a LB. O estudo em inglês será postado, no link abaixo, na 2a. feira. Sua tradução para o português será postada até a 4ªfeira. Busque e leia o texto em inglês em http://www.cedarscamps.org/metaphysical.


Metaphysical

Embrace the Word of God and follow Christ Jesus’ example! - Jesus’ words and deeds made...
Latest Lesson Application Idea

Newsletters

Get free weekly uplifting newsletters (available in English, Spanish, French, German and now in Portuguese!)
Subscribe or Update Subscription

Facebook

Find CedarS on Facebook for the latest news, heart-warming fruitage, facility upgrades and more!
Go to the CedarS' Facebook Page