Cedar Camps

Metaphysical Ideas

Search Metaphysicals
 

Metaphysical Newsletters

The weekly Metaphysical Newsletter is provided to campers, staff, alumni, friends and the CedarS family at no charge however contributions help defray the costs of running this service.

Click here for more about how you can provide support!
 

Delivered to You FREE!

Available in five languages, get it delivered to your inbox weekly!

Subscribe Now!

Entre pela porta aberta do céu, que nunca está trancada! Estudo Metafísico do Acampamento dos Cedros - Tema: Período de experiência após a morte.

Rick Stewart, C.S., Dresden, Germany
Posted Monday, October 20th, 2014

CIÊNCIA CRISTÃ - LIÇÃO BÍBLICA
Entre pela porta aberta do céu, que nunca está trancada!
Estudo Metafísico do Acampamento dos Cedros
Uma ajuda para o estudo da Lição Bíblica
Tema: PERÍODO DE EXPERIÊNCIA APÓS A MORTE
De 20 a 26 de outubro de 2014

Abreviações: Bíblia – B; Bíblia na Nova Tradução na Linguagem de Hoje – NTLH;
Ciência Cristã – CC; Ciência e Saúde – CS; Lição Bíblica – LB; MSG – Bíblia A Mensagem

Moro com minha família num prédio de 5 andares. Moramos no primeiro andar. Cerca de dez anos atrás fui por um segundo ao “Hall” de entrada só para apanhar algo do lado de fora da porta. Quando saí uma brisa bateu a porta atrás de mim. Oops! Adivinhem, eu não tinha comigo a chave e estava de cuecas. Que chato! Mas eu sabia que do outro lado do pátio central morava um vizinho que tinha uma chave sobressalente. Em vez de tentar correr até lá, me escondendo por trás de arbustos, toquei o telefone do vizinho junto ao hall e pedi que ele fizesse o grande favor de me emprestar a sua chave. Com um rosto encabulado, recebi a chave e alguns risos à parte.
     Que experiência! Ela certamente me ensinou a ser grato por portas abertas, ou pelo menos pela chave para abrir uma porta fechada. A Lição Bíblica desta semana me relembrou mais uma vez dessa alegria.
     Há muitos anos Mary Baker Eddy estabeleceu os temas semanais para nossas Lições Bíblicas. Ela percebeu que muitos tópicos na doutrina da igreja e na discussão popular precisavam ser incluídos para que nós todos compreendêssemos melhor nossa relação com Deus. Um dos tópicos que ela escolheu e que demandava nossa atenção era: “Período de experiência após a morte”. Eddy encorajou-nos a descobrir o que a Bíblia ensina sobre o tema, ao invés de nos inclinarmos a discussões usuais ou a doutrinas ortodoxas das igrejas. Por meio da lição desta semana podemos descobrir um claro desdobramento de como a Bíblia mostra que todos estamos diante de uma porta sempre aberta para o céu, uma porta que nunca está trancada e por meio da qual chegamos à Vida, não à morte. Vamos descobrir juntos como encontrar essa porta sempre aberta para o céu.
     Vejam como o céu é definido no Glossário de CeS: “Céu. Harmonia; o reino do Espírito; o governo do Princípio divino; espiritualidade; felicidade suprema; a atmosfera da alma” (p. 587).
    Venham, vamos juntos encontrar essa porta e entrar por ela, uma porta que nunca pode ser trancada — e vamos viver!

Texto Áureo: Apocalipse 4:1 “[…] eis uma porta aberta no céu […]”.
     Nosso TA vem do último livro da Bíblia, “O Apocalipse de S. João”. O autor descreve a si mesmo assim: “Eu, João, irmão vosso e companheiro na tribulação, no reino e na perseverança, em Jesus, achei-me na ilha chamada Patmos, por causa da palavra de Deus e do testemunho de Jesus” (Ap 1:9). Ao que parece João havia sido exilado na ilha de Patmos pelas autoridades romanas. Patmos é uma pequena ilha grega no mar Egeu. Segundo a tradição João vivia ali numa caverna. Foi desse lugar que João teve uma visão profética descrita pela Sra. Eddy do seguinte modo: “[…] o senso corpóreo de S. João a respeito do céu e da terá havia desaparecido, e em lugar desse senso errôneo havia ficado o senso espiritual, o estado subjetivo pelo qual ele podia ver o novo céu e a nova terra, que abrangem a ideia espiritual sobre a realidade e a consciência dessa realidade. Essa é a autoridade bíblica para concluir que tal reconhecimento do existir é, e sempre foi, possível aos homens no atual estado da experiência humana – que podemos ficar conscientes, aqui e agora, de que já não existem a morte, a tristeza e a dor” (p. 573: 19-28).
   
Leitura Alternada: Salmo 84:1, 2, 4, 10; 24:3-65, 7;      119: 137, 144
     A LA dos Salmos 84 e 119 me dá a impressão de alguém desejando, ou, na verdade, orando por sua esperança de servir, viver e estar na presença do Senhor. É uma esperança da qual, provavelmente, todos nós partilhamos. A NTLH oferece a seguinte versão: “Como amo teu templo, ó Senhor todo poderoso! Como eu gostaria de estar ali, tenho saudades dos pátios do templo de Deus, ó Senhor. Com todo o meu ser canto com alegria ao Deus vivo […] Felizes são os que moram na tua casa, sempre cantando louvores a ti […] É melhor passar um dia no teu templo do que mil anos em qualquer outro lugar. Eu gostaria mais de ficar no portão de entrada da casa do meu Deus do que morar nas casas dos maus […]
     Para muitos, nos dias atuais, a morte tornou-se uma crença comum e é esta, que de uma ou outra forma, abre a porta do céu. Isso, por sua vez, leva à crença de que viver no céu, ou poderíamos dizer de que encontrar essa “porta aberta” para o céu, seja algo para depois da morte. Os dois últimos versículos da LA começam a introduzir a ideia de que é pela vida que encontramos o reino do céu, com uma larga porta sempre aberta!
     Salmo 119: 137, 144 “Justo és, Senhor, e retos, os teus juízos […] dá-me a inteligência deles, e viverei”.

Seção 1: Viver e não morrer leva-nos à "porta aberta"!
     Esta seção nos mostra que uma vida de compreensão e sucesso é a chave para viver na presença de Deus. Podemos, talvez, dizer que aprender a viver é o que abre a porta para uma vida harmoniosa, ou viver no reino dos céus! E a Bíblia e o Ciência e Saúde podem nos dar algumas ótimas dicas! Dicas inestimáveis. Por exemplo, essas ideias em Provérbios e Salmos: (B1) "Não clama, porventura, a Sabedoria, e o Entendimento não faz ouvir a sua voz? Feliz o homem que me dá ouvidos, velando dia a dia às minhas portas, esperando às ombreiras da minha entrada que acha a vida e alcança favor do Senhor."
(B2) "O Senhor é a minha força e o meu cântico, porque ele me salvou. Não morrerei, mas viverei, e contarei as obras do Senhor. Abri-me as portas da justiça:" [Justiça no pensar e no atuar].
     As citações de Ciência e Saúde nos dão mais algumas dicas. A citação CS2 nos encoraja e diz "Desenvolvei a vossa salvação […] porque Deus é quem efetua em vós tanto o querer como o realizar, segundo a sua boa vontade." A citação CS5 nos diz como seguir em frente, "O progresso nasce da experiência." Prática, prática, prática. Nada supera a experiência. Mas lembre-se também como a compreensão pode ser útil, uma dica sábia muitas vezes nos move para frente.
     Aqui está um pequeno exemplo sobre aprender. Muitos de vocês que estão lendo isso conhecem dois dos melhores amigos do Acampamento Cedars', Tom e Mark Evans. Tanto Tom quanto Mark foram campistas, conselheiros e diretores no Cedars. Eu os conheci anos atrás, quando uma de suas grandes paixões era um jogo de vídeo em particular. Eles eram realmente bons neste jogo, mas sempre chegavam a um ponto onde ficariam sem vidas e o jogo terminaria. Mas eles continuavam jogando, se divertindo, até o jogo acabar, game over, as vidas sumiram! Então, um dia meu sobrinho Scott veio comigo para uma visita a Tom e Mark. Scott era mais jovem, mas sabia um segredo. Como estava jogando com eles, mostrou-lhes uma pequena dica ou segredo e adivinhem, as limitações apenas sumiram. Um novo nível de sucesso abriu-se para eles. Não mais morte, agora progresso ilimitado nascido da experiência e compreensão. Não é isso que esta seção da Lição nos encoraja a ver? “Não morrerei; antes viverei e contarei as obras do Senhor.”

Seção 2: Dica de uma parábola: O altruísmo mantém a "porta" aberta.
     No Evangelho de Lucas, uma parábola é atribuída a Jesus, que conta a história de um pobre mendigo e um homem rico. (B7, Lucas 16) O homem rico tinha se recusado a ajudar o pobre homem em vida e em seguida, de acordo com a parábola, ambos morreram. O pobre homem estava no "seio de Abraão", e o homem rico no "inferno". Algumas traduções referem-se ao seio de Abraão simplesmente como "com Abraão ou por Abraão." E o inferno do homem rico é traduzido na NTLH simplesmente como "mundo dos mortos".
     JB Phillips diz "dentre os mortos."  Phillips toma a parábola como um comentário sobre a injustiça social. E pudemos ver onde a qualidade dos pensamentos pode levar a circunstâncias diferentes para cada personagem da parábola.
A citação CS8 contém esses pensamentos no nosso livro texto "Se a delicada mão, estendida para receber um régio salário, e a arte arquitetônica, que faz a cúpula e a torre cintilarem de beleza, fecham as portas ao pobre e ao forasteiro, fecham ao mesmo tempo a porta ao progresso" (142: 13-16).
     Se há pessoas implorando por ajuda e nos recusamos a dar o que temos, somos um pouco como o homem rico da parábola? Podemos não ser ricos em dinheiro, mas se nós sabemos da ciência do amor e seu poder de cura, podemos negar as nossas orações, nosso tratamento, nosso amor e nosso cuidado? Lembra-se de quando Pedro e João estavam a ponto de entrar no templo na hora da oração e um homem pediu um pouco de dinheiro? Pedro disse-lhe que não tinha dinheiro, mas que estava pronto para dar o que tinha, a oração, o amor, o tratamento, o Evangelho. O homem foi curado. [E "todo o povo correu para junto deles, ao alpendre chamado de Salomão, muito se perguntando" (Atos 3: 1-11).]
     A citação CS 10 estabelece: “Cada dia exige de nós provas mais elevadas, em vez de declarações do poder cristão. Essas provas consistem unicamente na destruição do pecado, da doença e da morte, pelo poder do Espírito, como Jesus os destruiu. Esse é um elemento do progresso, e o progresso é a lei de Deus, lei que exige de nós apenas aquilo que com certeza podemos cumprir.”
     O que podemos certamente cumprir! Para citar uma das músicas favoritas na família Stewart nos dias de hoje, “Vejo uma porta abrir” (Da animação Frozen da Disney).

Seção 3: Dica no portão de Naim:  "A morte não fecha nenhuma porta."
     No Evangelho de Lucas, capítulo 7, nos é dito que Jesus entrou em Cafarnaum e logo no dia seguinte foi à cidade chamada Naim. Multidões começaram a seguir o Mestre. Ao se aproximar da porta da cidade presenciou um funeral, uma mulher viúva, tendo seu único filho sendo levado para a sepultura. A mulher perdera tudo: seu filho amado, sua proteção, sua fonte de renda, e também a sua razão de existir. Este foi o primeiro exemplo de Jesus ressuscitando os mortos e quando começou a estabelecer seu lugar com os profetas. Lembremo-nos de Eliseu e Elias vencendo a morte. Jesus fez quatro coisas. Ele disse à mulher: "Não chores". Ele tocou o esquife e disse ao jovem: "Jovem eu te mando: Levanta-te." E o Mestre entregou-o à sua mãe.
Que evento maravilhoso! Como é consolador, sanador, compassivo! E pensar que isso realmente ocorreu. Esta porta se fechou?
     Alguns milhares de anos depois deste evento, a minha mãe foi a apresentadora de um conferencista, o professor da Ciência Cristã, Inman H. Douglass, CSB. Mamãe ficou envergonhada quando ouviu a resposta à sua pergunta ao questioná-lo se ele tinha algum parentesco com Frederick Douglas e ele respondeu: "Não, querida, eu não tenho. Mas, somos de fato irmãos." (Mamãe não percebera que o famoso abolicionista e autor era um homem negro.)
     A palestra começou e enquanto o sr. Douglass falava, houve uma agitação na plateia. Alguém estava sentindo-se mal e logo pareceu ter falecido. O sr. Douglass parou seu discurso e declarou com firmeza: "O Consolador está aqui." Minha mãe disse que nesse momento ela se sentiu como se uma presença terna e suave, porém poderosa tivesse passado através de seu corpo. E o indivíduo que parecia sem vida voltou a si, acordou e a conferência foi recomeçada. Como minha mãe havia apresentado o sr. Douglas, ela ficou ao lado dele, inclusive quando a plateia veio agradecer-lhe. Um após o outro, eles testemunharam terem sido curados na conferência. Minha mãe ficou emocionada e perguntou: "Sr. Douglass, isso acontece muitas vezes em suas palestras?" Ele respondeu: "Minha querida, tenho dado esta palestra centenas de vezes e nunca tive uma experiência como esta!"
     Como o nossa Líder nos encoraja no nosso livro texto, "A vida é eterna. Devemos certificar-nos disso e começar a demonstrá-lo" (CeS p.246).
Outra porta aberta apenas esperando por uma reflexão e oração, aguarda aqueles que desejam clicar no link para o texto desta palestra que minha mãe teve o privilégio de apresentar, (Douglass, Inman H., CSB Christian Science: sua mensagem de liberdade dada por Deus).  Copie e cole  http://www.cslectures.org/Douglass/CS-Its%20Message%20of%20God%20Given%20Freedom-Douglass.htm

Seção 4: Outra dica sobre a porta das ovelhas
     Nosso Mestre nos diz com muito amor: “Eu sou a porta. Quem entrar por mim será salvo; poderá entrar e sair e achará comida. […] eu vim para que as ovelhas tenham vida, a vida completa” (B15; João 10:9,10; NTLH).
E na citação B16, um capítulo depois apenas, ele identifica: “- Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e quem vive e crê em mim nunca morrerá” (João 11:25, NTLH).
     Há muitas ideias maravilhosas a serem descobertas conforme vamos compreendendo o estilo de pastoreio do Oriente. Bem diferente do pastoreio ocidental, onde as ovelhas são arrebanhadas e guiadas, o Pastor do Oriente segue na frente delas. Nosso diretor executivo do Acampamento do Cedros, Warren Huff, gosta muito de uma ilustração do estudioso da Bíblia e palestrante Cobbey Crisler, que apresentamos abaixo.
     [“Jesus diz que ele é o Pastor e também que é a porta. Pode parecer que ele esteja meio confuso. Vou dar um exemplo de como ele não está. Quando minha esposa e eu estivemos em Israel, ficamos em um lugar entre Jerusalém e Betânia. Eu vi o que parecia ser um rebanho de ovelhas desacompanhadas. Havia também uma parede de pedras com uma porta ou portão. Era praticamente um quadrado. Comecei a perambular por ali e fui surpreendido pelo pastor a quem eu havia perturbado. Ele levantou-se. Estava deitado ali na entrada, tirando uma soneca.
     Naquele momento, ficou bem claro para mim o que Jesus quis dizer em João 10:2, 11, 14 “Eu sou o pastor” e em João 10: 7, 9 “Eu sou a porta”. Não havia mais confusão nenhuma. Com as ovelhas dentro de um cercado e a única possível entrada de animais selvagens ou ladrões sendo aquela porta, era preciso passar pelo pastor para chegar até elas. O pastor também era a porta.
     No poema de Mary Baker Eddy “Apascenta as minhas ovelhas”, encontramos esta afirmação: “Tua voz escutarei” [Hino 304]. Embora estivéssemos naquela área de Bersheva, vimos muitas ovelhas misturadas. Eu disse a Janet: “Fico imaginando como o pastor vai diferenciar suas ovelhas. Estão todas misturadas.” Tive minha resposta quase que imediatamente. Não demorou muito para que nosso pastor se distanciasse da multidão SEM olhar para trás para as ovelhas misturadas, fazendo um som identificador com sua língua e sua voz.“Cada uma das ovelhas saiu do rebanho geral e seguiu-o? Ele não duvidou por um momento sequer. Ele não olhou para trás nenhuma vez. As ovelhas fizeram seu trabalho. As ovelhas conheciam sua voz. “Eu ouvirei a Tua voz.” Estas lições são aquelas coisas que precisam ser ponderadas nos momentos mais atribulados do nosso século XX. Não são apenas símbolos. Não fazem parte apenas da história antiga. São atitudes. São estados mentais e pensamentos. São aquelas coisas que precisamos considerar com frequência.”
Book of John, A Walk with the Beloved Disciple, B. Cobbey Crisler, p.56, 57]

Seção 5: Dica para entrar pela porta aberta da Vida: Pratique “um cristianismo mais elevado e mais prático…”
     Desfrute desta última seção, curtinha, porém encantadora. Ela nos traz esta maravilhosa lição à uma conclusão perfeita sobre a porta aberta.  Há grandes necessidades neste momento no mundo todo. Estamos praticando e esperando o “Cristianismo mais elevado e mais prático” que Eddy fala (CS23, 224:22) para satisfazer as necessidades deste dia? Estamos preparados, receptivos e abertos para permitir que Deus satisfaça as necessidades humanas? Nosso Pai está pronto, disposto e capacitado para bater à nossa porta [do pensamento] e satisfazer às necessidades de todos, dos grandes aos pequenos.
      Nunca me esqueci de um testemunho encantador e poderoso que ouvi nA Igreja Mãe alguns anos atrás. Eu tive a oportunidade de mais tarde falar diretamente com a pessoa que deu o testemunho e confirmar o que acontecera.Seu nome era Virginia Skarie, C.S.B., de Baltimore, Maryland, EUA.
     Virginia era recém-casada e estava recebendo sua grande família pela primeira vez em sua casa. Preparara uma deliciosa refeição. Como todos estavam comendo bem, Virginia percebeu que os pãezinhos logo acabariam. Parecia um desastre total. Talvez anos mais tarde não tivesse sido tão ruim, mas naquele momento, quando ela queria que tudo saísse perfeito, ela se sentiu desanimada. Voltou-se humildemente ao Pai e perguntou: “O que devo fazer, Pai?” Naquele exato momento, alguém bateu à porta dos fundos. Esta porta levava para um beco atrás da casa. Virginia atendeu a porta e viu um estranho ali parado; ele explicou que queria oferecer um serviço de entrega de pães diversos às casas daquela área e que tinha algumas degustações gratuitas que gostaria de oferecer a ela. Com total espanto, Virginia aceitou-as e imediatamente levou-as aos convidados. Ela nunca mais viu o homem depois daquela tarde.
     Uma coisa tão mínima, pãezinhos quentes na porta dos fundos. Mas deveria ser julgado incrível o fato de Deus estar suprindo a Sua criação? Sejam pãezinhos quentes, maná, codornizes, água no deserto? “Por que se julga incrível entre vós que Deus A senda sobe, acerca-se a meta; O pensamento, livre, se alça ao bem; A cena infinita ressuscite os mortos?” (Atos 26:8) “Existe alguma coisa que Deus não possa fazer?”[CeS 135:19] Deus pode e vai fazer chover onde se fizer necessária uma boa chuva.
     Toda vez que penso nessa história maravilhosa da Virginia, lembro-me da primeira vez em que ouvi uma canção sobre a provisão amorosa de Deus. Um amigo do meu irmão, Gary, Lew Newkirk, estava tocando a música “Scarlet Ribbons”. Nunca a tinha ouvido antes. Mas nunca esqueci sua mensagem suave. Aqui vai uma versão especial cantada por Doris Day. www.youtube.com/watch?v=rvWi0oajiIo
     Deus nos suprirá. Deus abriu a porta dos céus, da harmonia, da vida eterna e nada poderá fechá-la!
[Como diz um hino bem conhecido:
“Sei que tocou meu pé sagradas lousas; Da Mente alcanço o sublime umbral. Há calma imortal de santas cousas; Ao meu redor existe Amor real.
se completa. A vida eterna sinto aqui também.” (Hino 64:2,3)]
________________________________________________________
Este estudo metafísico foi preparado por Rick Stewart, CS, Dresden, Germany Tele – +49 351 312 4736
A equipe de tradução para o português é composta por Dulcinea Torres, Elisabeth Z. Friedrichs, Leila Kommers e Ovídio Trentini, com a leitura final por Orlando Trentini, CSB.
Visite o saite www.trentinicsb.com. Ali encontrará esta tradução e as anteriores para estudo, para baixar e partilhar esse copo de água fresca com seus amigos.
Os estudos metafísicos dos Cedros sobre o estudo diário da Lição Bíblica da Ciência Cristã, contendo ideias de aplicação metafísica, são oferecidos, durante todo o ano, para que os amigos da Ciência Cristã vejam e demonstrem o grande valor do estudo diário da LB. Os Cedros são um complemento para a LB. O estudo em inglês será postado, no link abaixo, na 2a. feira. Sua tradução para o português será postada até a 3ªfeira. Busque e leia o texto em inglês em http://www.cedarscamps.org/metaphysical.

Metaphysical

Find out what it takes to follow the Master Christian! - We have to be willing to leave the...
Latest Lesson Application Idea

Newsletters

Get free weekly uplifting newsletters (available in English, Spanish, French, German and now in Portuguese!)
Subscribe or Update Subscription

Facebook

Find CedarS on Facebook for the latest news, heart-warming fruitage, facility upgrades and more!
Go to the CedarS' Facebook Page