Cedar Camps

Metaphysical Ideas

Search Metaphysicals
 

Metaphysical Newsletters

The weekly Metaphysical Newsletter is provided to campers, staff, alumni, friends and the CedarS family at no charge however contributions help defray the costs of running this service.

Click here for more about how you can provide support!
 

Delivered to You FREE!

Available in five languages, get it delivered to your inbox weekly!

Subscribe Now!

Reinvindique sua herança como filho! Permaneça no Reino! Estudo Metafísico do Acampamento dos Cedros - Tema: O Homem

Kathy Fitzer, St. Louis, MO & Park City, UT
Posted Monday, March 3rd, 2014

CIÊNCIA CRISTÃ - LIÇÃO BÍBLICA

Reivindique sua herança como filho!
Permaneça no Reino!

Estudo Metafísico do Acampamento dos Cedros

Uma ajuda para o estudo da Lição Bíblica

Tema: O HOMEM

De 03 a 09 de março de 2014

Abreviações: Bíblia – B; Bíblia na Nova Tradução na Linguagem de Hoje – NTLH;    Ciência Cristã – CC; Ciência e Saúde – CS; Lição Bíblica – LB

Por acaso levamos suficientemente a sério o fato de que somos filhos de Deus? Pensamos e agimos de acordo? Para aqueles que estudam a Ciência Cristã há algum tempo, as palavras: "Sou filho perfeito de Deus" ou "Sou feito à imagem e semelhança de Deus" podem saltar de nossa boca com facilidade. Mas quantas vezes paramos para considerar seriamente as implicações de tais afirmações? A grandiosa promessa que acompanha o status de ser um filho puro de Deus? Será que percebemos a implicação mais ampla de que não só nós, mas que todos são os filhos puros de Deus?
A Lição Bíblica desta semana nos ajuda a obter uma visão mais clara do que é ser filho de Deus e do que precisa ser descartado como não fazendo parte do filho de Deus.    É preciso compreender melhor todas as maravilhosas bênçãos que nos advêm quando aceitamos nosso direito divino como filho amado de Deus, morando/vivendo no Reino dos Céus. São excitantes novas alturas de pensamento a serem alcançadas e grandiosas perspectivas a serem reveladas a cada um de nós!
Texto Áureo: Oséias 1:10 ...Vós sois filhos do Deus vivo.

"Deus vivo" é uma expressão geralmente usada para significar o Deus que todos conhecemos como o único Deus. Gosto de acalentar o sentido de um Deus VIVENTE, não estagnado, indiferente, desligado, julgador ou afastado, mas um Deus ativo, vibrante, produtivo! Somos filhos DESSE Deus, o Deus que é a própria Vida! Por isso somos os filhos viventes do Deus vivente! UAU!

Leitura Alternada: Gálatas 4:1-7;    1 João 3:1-3
Encontramos na Bíblia os termos "filho" e "filhos". Segundo o dicionário Webster, de 1828, o termo no plural, filhos, significa descendentes em geral. Não deve ser tomado como um gênero específico. Num sentido mais estrito, segundo o dicionário, descendentes (ou filhos) são "rebentos ou produtos de um pai". Produto é o "efeito, resultado, tudo o que é feito". O verbo "produzir" refere-se a "causar ou trazer à existência". Um rebento tem a mesma substância do original. Assim, é importante compreender o original! Achei importante essa consideração em relação aos versículos de 1 João 3 no final da LA         (os quais são lidos ao final do Culto Dominical logo após a leitura da Exposição Científica do Ser). Foi divertido pensar a respeito de ser um "servo de Deus" a fim de aprender de tudo sobre os "negócios do Reino" (como um amigo meu gosta de usar a frase). Assim estaremos mais bem preparados em aceitar nossa herança de residência permanente nesse Reino (de Deus e dos Céus). Aprendendo atentamente cada lição, percebemos que estamos sendo abençoados e preparados para todo o bem que já é nosso, dado pelo nosso Pai-Mãe, Amor! Somos filhos de Deus hoje e sempre! Não há o que esperar!

Seção 1: “O homem é o descendente do Espírito”
Devemos definir homem, significando todos os descendentes de Deus, na sua relação com Deus. Embora o homem não seja Deus, assim como um número não é o princípio da matemática, ambos não podem ser separados - o homem não pode ser separado de Deus e o número não pode ser separado do princípio (CS6). A Bíblia diz que Deus fez o homem à Sua imagem (B1). E, de acordo com a Concordância completa de Strong, uma imagem é uma figura representativa. Como imagem “verdadeira”, o homem foi feito com substância idêntica a Deus – e com nada mais e nada menos.                     Os descendentes do Espírito vivente não são matéria inerte (B3 e CS1).
Nós não desejamos ser culpados por honrarmos uma imagem de “escultura”, incluindo aí um corpo mortal e um mundo material – sempre limitados. Jesus veio para abrir nossos olhos e nos dar uma pista sobre nossa natureza divina à semelhança de Deus. Esta semelhança não pode ser vista através dos sentidos materiais, mas pode ser discernida (aqui e agora) pelo sentido espiritual que Deus nos deu a todos. Jesus enxergou como nós, o seu corpo humano funcionou assim como o nosso corpo funciona. Mas ele pensava consistentemente a partir de Deus e isto transformou sua experiência humana, mantendo-se alinhado com o BEM da criação de Deus. Por Jesus poder pensar de um modo divino, cada um dos filhos de Deus também pode pensar assim.
Através de seu exemplo e ensinamentos, podemos perceber nosso Pai-Mãe na verdadeira luz do Espírito e agir de acordo com a perspectiva de sermos herdeiros de Deus, herdeiros de tudo o que é bom, perfeito e espiritual (e nada mais). Não precisamos esperar pelo bem, basta que deixemos a nossa vida ser elevada pelo ideal Cristo, presente em Jesus, nós compreenderemos a realidade (CS4 e CS5).

Seção 2: Aprecie a criança que há em você e busque a cidadania do Reino
Meu marido e eu aproveitamos para esquiar no Estado de Utah, EUA, neste inverno. Observar as crianças pequenas deslizando montanha abaixo com seus pequenos esquis foi prazeroso. Aparentemente, elas não têm medo. Elas colocam seus equipamentos, obedecendo a seu instrutor, abrem um sorriso e vão! Não será assim que nós devemos “deslizar” através da vida como cidadãos do Reino de Deus?  Confiando em Deus, confiando na orientação da verdadeira Verdade do Cristo, confiando em nossa compreensão, colocando um sorriso no rosto e seguindo em frente!  Nosso instrutor,Jesus,  de fato nos ensinou que o único caminho para entrar no Reino é tornar-se como uma criança (B9). É importante nos identificar (e aos nossos “pequenos”) de que somos uma criança, no mais alto sentido da palavra, porque assim mantemos a pureza infantil.
Eddy define filhos como “pensamentos e representantes espirituais da Vida, da Verdade e do Amor” (CS7). O pensamento espiritual provém diretamente da fonte do Espirito, da Mente. E para representar isto é preciso ser um exemplo ou uma amostra das qualidades do Espírito. Os filhos de Deus são um exemplo de absoluta pureza! Fomos informados que “Jesus amava os pequeninos por serem isentos do mal e receptivos ao bem” (CS8). Que grandiosidade – reconhecermos estas qualidades como inerentes em TODOS os filhos de Deus. Esta é a qualidade de pensamento que constitui o Reino de Deus e vem acompanhada da consciência de que cada um provém de Deus (CS10).
Ocupemo-nos não só de incorporar estas boas qualidades infantis, mas vejamos as mesmas nos outros sabendo que eles possuem as mesmas condições de homens e mulheres de Deus. Saiamos das velhas marcas terrenas identificando a nós e aos outros como possuidores de traços de personalidade, marcas hereditárias, comportamentos anteriores, governados por bloqueios e todos os habituais pensamentos negativos. Torne-se uma criancinha – e veja a pureza infantil em todos – seguindo com ardor os passos da Verdade hoje e em todos os dias. Deus está no comando! Precisamos acreditar nisso – sem vacilar – como vemos todos (inclusive nós mesmos) como plenos e obedientes representantes da única Mente, Amor! Assim como reivindicamos nossa cidadania no harmonioso Reino de Deus,  podemos esperar receber as coisas “deste mundo” em perfeita união e harmonia com o Reino!

Seção 3: Redenção! Trocando as crenças humanas pela herança divina
Deus deu a garantia de que Israel estava remida (B10). De acordo com o hebraico original, isso significava “libertar, resgatar do cativeiro ou de qualquer obrigação ou risco de sofrer ou de ser derrotado”. Faria Deus uma promessa a alguns de Seus filhos e não a todos? De modo algum, não o Deus do Amor universal! Portanto, quando lemos as promessas da Bíblia e os relatos de cura, sabemos que eles se aplicam a nós, a TODOS nós, por igual! Nessa seção, temos a cura do homem que nasceu cego. O que tinha de diferente na abordagem de Jesus? Em minha opinião, ele cortou o problema pela raiz. Ao identificar corretamente a origem do homem, não sobrou espaço para a causa ou a culpa da parte de ninguém! Esse era o filho de Deus, não era um descendente dos elementos materiais, mas, sim, o descendente do Espírito puro, completo e saudável. Como somos lembrados em Salmos, não viemos do nada, nem somos criados por outros mortais.
Portanto, independente das causas que possam ter sido atribuídas para os problemas que afligem o corpo, seja hereditariedade, circunstâncias humanas, posição na hora do nascimento, erros causados por nós ou por outros, etc, elas podem (e devem) ser descartadas! Sou tão culpado quanto qualquer pessoa de “enxergar” um pai ou uma mãe em um filho (com quem o bebê se parece, esse tipo de coisa). Mas precisamos resistir a isso. “Jesus via o homem perfeito [...] Ele via a própria semelhança de Deus” sempre que olhava para alguém (CS12). Essa visão possibilitava que todas as características divinas fossem vistas e que a bagagem humana fosse dispensada.
É fácil querer “manter” o que parece ser o lado bom da hereditariedade e “jogar fora” o lado negativo. Mas o BEM aparente nunca foi o resultado da herança material de qualquer maneira! O bem é Deus e Deus criou somente o bem, somente aquilo que é bom. Assim, como Jesus, vamos mergulhar “por baixo da superfície material das coisas” para encontrar “a causa espiritual” (CS13). O Espírito causa somente o bem e tudo o que é bom. Ver Deus como a única causa, elimina qualquer outro efeito. A consistência é o resultado, sem altos e baixos, nem idas e vindas. Deus perfeito (completo) e homem perfeito (completo) (CS14). Manter essa visão não é fácil. Mas com a prática, podemos melhorar cada vez mais!

Seção 4: Reivindique sua herança e observe suas capacidades serem reveladas
Como alcançamos o tipo de visão que Jesus consistentemente manteve, quando tudo ao nosso redor está gritando algo diferente? Quando aceitamos o dom (a herança), Deus nos concede de modo contínuo “o Espírito que vem de Deus” (B14). Não temos que ganhar esse dom, basta aceitá-lo e usá-lo. Cada um de nós tem um talento diferente, mas todos nós temos talentos que precisamos a todo o momento. São os dons de Deus e (se usados) nos guiarão a um discernimento da realidade (B15). Acho que o segredo é reconhecer Deus como a fonte de todo o bem (e sentido espiritual) que existe e aceitar que o dom da compreensão espiritual tenha sido dada a TODOS NÓS! "Deus expressa no homem a ideia infinita que se desenvolve eternamente [...]".
“As capacidades humanas ampliam-se e aperfeiçoam-se na proporção em que a humanidade consegue o verdadeiro conceito acerca do homem e de Deus” (CS15). Portanto, o segredo é olhar para tudo sob a perspectiva do homem (toda a humanidade) como não “possuindo vida, inteligência, nem poder criador próprio, mas refletindo espiritualmente tudo o que pertence a seu Criador” (CS17). A recompensa para essa devoção de pensamento é a superação de todas as limitações materiais que sugerem uma separação temporária de Deus (B16).
Assim, reconheceremos que nosso direito de nascença (“o direito inato é domínio, não servidão”) é “domínio, não sujeição” (CS18). Nunca é muito cedo - ou muito tarde - para ampliar as habilidades e reivindicar o que sempre foi nosso (uma relação perfeita com nosso Pai-Mãe divino) como demonstrado por Jesus!

Seção 5: Aceitar a unidade do Cristo (e toda a humanidade) com Deus, o Pai
Jesus tentou preparar seus discípulos para a crucificação, ressurreição e ascensão que ele estava prestes a vivenciar. Era importante que seus seguidores compreendessem que não há separação entre Deus e o homem, independente de como as circunstâncias humanas possam parecer. A Bíblia New Interpreter's Bible observa que “na morte de Jesus, a ressurreição e ascensão, a glória de Deus - a identidade de Deus - se tornarão visíveis”. Tornar a identidade de Deus visível parece ser o significado da missão de Jesus. Sabemos que ele sempre esteve com Deus - desde ”antes da criação do mundo” (Efésios 1:4 - NTLH).
É tão impressionante que Jesus não estivesse orando para ser liberado de sua experiência, mas para que todos pudessem aprender com isso a respeito de sua unidade com seu Pai e, assim, também, uns com os outros. E essa oração não era apenas para os que ali se encontravam, mas era para TODOS NÓS. Para todos aqueles que aprenderiam com ele na medida em que os ensinamentos eram transmitidos através das gerações (B17). Paulo certamente continuou a mensagem da unidade em sua carta aos Gálatas. Somos todos filhos de Deus! Sendo assim, as diferenças raciais, sexuais ou geopolíticas que nos dividiriam são apenas distrações mortais que precisamos vencer. Somos todos “um em Cristo Jesus” - um como o homem ideal, os filhos de Deus, inseparáveis de nosso Pai-Mãe e, consequentemente, uns dos outros (B18).
Para mim, a analogia do raio de luz sendo um com o sol e uma gota de água uma com o oceano é uma imagem clara (CS24). Como cada um é UM com Deus, somos todos UM - uns com os outros - e somos todos o reflexo da totalidade de Deus, a totalidade do Amor, a totalidade da substância divina, a integridade da Mente! Use seu sentido espiritual para dizer-lhe o que é verdadeiro, mesmo quando ainda não for perceptível ao sentido humano. Parecia que Jesus estava morto, mas ele estava consciente da Vida, Deus. Não importa o que a matéria e os sentidos materiais tentam nos informar, e fazer acreditar, também você e eu podemos estar conscientes do fato espiritual, e saber qual é a Verdade verdadeira que é a causa real operando em nós! Não há separação entre Deus e o homem. Sendo assim, não há separação nem divisão entre as pessoas! Vamos COMPREENDER isso!

Seção 6: Mantenha o modelo da perfeição que vem de seu Pai, Deus
Se acreditarmos no testemunho dos sentidos materiais, estamos sujeitos a todos os tipos de mentiras se exibindo como se fossem a Verdade. O conceito que temos de nós mesmos e do nosso próximo fica, dessa forma, sujeito à distorção e ao medo. Mas, quando rejeitamos essa impostura e “adotamos” o homem da criação de Deus, descobrimos uma relação eterna com o Pai-Mãe que está tão próximo que somos levados a chamar Deus de “Abba” (Papai) (B20, 21).
Na carta aos Romanos, Paulo fala de ser guiado pelo Espírito (B23). Da mesma forma que os antigos hebreus seguiram o fogo e a nuvem (representando a presença de Deus) os guiando para fora do estado da escravidão no Egito, através do deserto e em direção à Terra Prometida, nós somos guiados de um estado de escravidão aos sentidos mortais para a Filiação quando seguimos o Espírito com fidelidade. Quando reconhecemos nossa unidade indissolúvel com Deus, vemos a naturalidade de sermos perfeitos como nosso “Pai nos céus” é perfeito (B24). A descendência inclui as mesmas propriedades do original.
Precisamos perceber que essa perfeição presente está perpetuamente envolvendo o modelo correto do Deus perfeito e do homem perfeito antes da consciência (CS28). Dessa maneira,  nos identificamos, em pensamento, com o “edifício de Deus” que está eternamente inteiro, completo e incapaz de discórdia (B22). Somos os filhos do Espírito, puros e para sempre intactos. Quando nos conscientizarmos dessa verdade, em vista dos falsos relatos da crença material, a imagem de Deus aparecerá e será vista como o único homem real. Portanto: Reivindique sua herança como filho! Permaneça no Reino!
_______________________________________
Este estudo metafísico foi preparado por Kathy Fitzer de St. Louis, MO and Park City, UT 314-323-4083 kathyfitzer@gmail.com
A equipe de tradução para o português é composta por Dulcinea Torres, Elisabeth Z. Friedrichs, Leila Kommers e Ovídio Trentini, com a leitura final por Orlando Trentini, CSB.
Visite o saite www.trentinicsb.com. Ali encontrará esta tradução e as anteriores para estudo, para baixar e partilhar esse copo de água fresca com seus amigos.
Os estudos metafísicos dos Cedros sobre o estudo diário da Lição Bíblica da Ciência Cristã, contendo ideias de aplicação metafísica, são oferecidos, durante todo o ano, para que os amigos da Ciência Cristã vejam e demonstrem o grande valor do estudo diário da LB. Os Cedros são um complemento para a LB. O estudo em inglês será postado, no link abaixo, na 2a. feira. Sua tradução para o português será postada até a 3ªfeira. Busque e leia o texto em inglês em http://www.cedarscamps.org/metaphysical.

Metaphysical

Recognize Mind, God, as the source of all good and all understanding! - Whenever — for...
Latest Lesson Application Idea

Newsletters

Get free weekly uplifting newsletters (available in English, Spanish, French, German and now in Portuguese!)
Subscribe or Update Subscription

Facebook

Find CedarS on Facebook for the latest news, heart-warming fruitage, facility upgrades and more!
Go to the CedarS' Facebook Page