Cedar Camps

Metaphysical Ideas

Search Metaphysicals
 

Metaphysical Newsletters

The weekly Metaphysical Newsletter is provided to campers, staff, alumni, friends and the CedarS family at no charge however contributions help defray the costs of running this service.

Click here for more about how you can provide support!
 

Delivered to You FREE!

Available in five languages, get it delivered to your inbox weekly!

Subscribe Now!

Bradai com alegria do fundamento sólido da Rocha da Vida em Deus, o Espírito. Estudo Metafísico do Acampamento dos Cedros - Tema: A Matéria.

Rick Stewart, C.S., Dresden, Germany
Posted Monday, March 17th, 2014

CIÊNCIA CRISTÃ - LIÇÃO BÍBLICA

Bradai com alegria do fundamento sólido da Rocha da Vida em Deus, o Espírito

Estudo Metafísico do Acampamento dos Cedros

Uma ajuda para o estudo da Lição Bíblica

Tema: MATÉRIA

De 17 a 23 de março de 2014

Abreviações: Bíblia – B; Bíblia na Nova Tradução na Linguagem de Hoje – NTLH;
Ciência Cristã – CC; Ciência e Saúde – CS; Lição Bíblica – LB

A origem da vida? De acordo com os cientistas, o problema sobre a origem da vida na terra ainda não foi resolvido. Poderia, há 4.5 bilhões de anos, terem os primeiros passos de vida na terra iniciado numa formação rochosa na Groenlândia? Isto é o que alguns cientistas teorizam. Teorias abundam. “Hipótese do Mundo de RNA”, ou “Hipótese do Mundo de Proteína”, são os candidatos favoritos para alguns pesquisadores. A evolução química teria levado à evolução biológica? Uma fonte própria na terra? Ou um empurrãozinho extraterrestre vindo por um asteroide do espaço? Cianobactérias fossilizadas? Aminoácidos? Sopa primordial? (Um prato, por favor, com torradinhas!) Um estudo, feito em 2002, fala sobre algo como “estromatólitos.” (Schopf J.W. et al 2002. "Laser--Raman imagery of Earth's earliest fossils". Nature 416 (6876): 73–6.)
Talvez você tenha estudado na escola, em biologia ou geologia. Isto deve ter feito sua cabeça girar. Por não haver um claro consenso sobre como a matéria originou a vida, pode haver alguma razão para olharmos para um tipo diferente de Rocha (Deuteronômio 32:4). Isto é exatamente o que a Lição Bíblica da Ciência Cristã desta semana faz. Temos a oportunidade de explorar, investigar, teorizar e, o mais importante, demonstrar que pode haver uma explicação bem diferente sobre a origem da Vida. A base, o fundamento da Vida, pode muito bem ser encontrada na Rocha. Mas esse sólido fundamento para a Vida é Deus, o Espírito. Vejamos como esta explicação sobre os fundamentos da Vida pode esclarecer um pouco esta confusão! [tohu, 1ª Seção, Gênesis 1]
No livro texto da Ciência Cristã, Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras, a autora, Mary Baker Eddy tem algo a dizer sobre para onde olhar para resolver este enigma: “O universo, tal qual o homem, deve ser interpretado pela ciência segundo seu Princípio divino, Deus, e então pode ser compreendido; quando, porém, explicado com base no sentido físico e representado como sujeito a crescimento, madureza e decadência, o universo, tal qual o homem, é, e há de continuar a ser, um enigma.” (CS 124:16-22)

Texto Áureo: Salmos 62: 6, 7
“[...] não serei jamais abalado. De Deus dependem a minha salvação e a minha glória; estão em Deus a minha forte rocha e o meu refúgio.”
O Texto áureo nos apresenta à “rocha” – fundamento sólido sobre a vida como é ilustrada através desta Lição Bíblica. É um Salmo de David com o refrão, “Somente Ele é a rocha que me salva; ele é meu protetor e eu não serei abalado.” Este é um bom e agradável refrão para ser cantado durante o dia! Todo o Salmo descreve um alicerce seguro, uma certeza, uma base sólida para as nossas vidas. E a Leitura Alternada dá continuidade ao refrão.

Leitura Alternada: Isaías 33:5,6: 40:8
“5 O Senhor seja exaltado; 6 sabedoria e conhecimento constituirão a estabilidade dos teus tempos e a força da salvação. 8 seca-se a erva, e cai a sua flor, mas a palavra de nosso Deus permanece eternamente.”
A Bíblia NTLH traduz o versículo 6: "[Deus] fará com que Seu povo viva em segurança, dando-lhe salvação completa, sabedoria e conhecimento. O temor do Senhor é o tesouro mais precioso que o seu povo tem".
O fundamento sólido e estável, a base de uma vida segura, é o que descobriremos nesta Lição juntamente com as maneiras de demonstrar isto em nossas vidas.

Seção 1: O Espírito, não [a confusão (toho) & o vácuo (boho) da] a matéria, é o fundamento da Vida. [toho=sem forma”, boho=”vazio/oco” Gen. 1:2, (Hebreus de Strong 922)] Os pensadores judeus indagavam sobre os fundamentos da vida, nas citações B1, [Genesis 1] e B2 [Jó 38:1 o Senhor, 4,6] “... o Senhor, do meio de um redemoinho, respondeu a Jó: 4 Onde estavas tu, quando eu lançava os fundamentos da terra? Dize-mo, se tens entendimento. 6 Sobre que estão fundadas as suas bases ou quem lhes assentou a pedra angular.” [Veja a resposta no final!]
Você provavelmente já cantou ou ouviu sobre o hino Rocha Santa, Hino 293 Hinário da Ciência Cristã. Bem, não é isso que identificamos na seguinte passagem: “engrandecei o nosso Deus. Eis a Rocha! Suas obras são perfeitas, porque todos os seus caminhos são juízo; Deus é fidelidade, e não há nele injustiça; é justo e reto” (B3, Deuteronômio 32: 3,4).
O fundamento espiritual da vida é explorado no livro Ciência e Saúde, como nas citações seguintes:
“O Princípio criador – Vida, Verdade e Amor – é Deus. O universo reflete Deus. Há um só criador e uma só criação. Essa criação consiste no desdobramento de ideias espirituais e suas identidades, que estão abrangidas na Mente infinita e são para sempre refletidas. Essas ideias se estendem desde o infinitésimo até o infinito, e as ideias mais elevadas são os filhos e as filhas de Deus.” (CS-2 502:26)
“A Ciência divina desfere seu golpe principal nos supostos fundamentos materiais da vida e da inteligência. (CS-5, 535: 10-14)

Seção 2: Os fundamentos da matéria desmoronam.
Na Seção 2, nós temos a história sobre a construção de uma torre e da confusão de muitas línguas (B10, Gênesis 11). O formato desta história é conhecido como "etiologia", ou uma história contada para explicar um fenômeno ou evento, neste caso, a confusão de muitas línguas. Conta-se sobre a construção de uma grande cidade e uma torre edificadas sob o orgulho da habilidade humana de poder fazer qualquer coisa. O relato diz que Deus veio e destruiu a torre e espalhou o povo ao redor da terra e lhes deu diferentes línguas. A cidade é referida como “Babel” que atualmente, num jogo de palavras em Inglês e Hebraico significa um "balbuciar", falar sem sentido. http://en.wikipedia.org/wiki/Tower_of_Babel
Eddy escreve sobre as lições espirituais que tiramos dessa história Bíblica. “BABEL. O erro, que se destrói a si mesmo; um reino dividido contra si mesmo, que não pode subsistir; o saber material. Quanto mais alto o falso saber constrói sobre a base da evidência obtida dos cinco sentidos corpóreos, maior é a confusão que surge, e mais certo é o desabamento de sua estrutura” (CS6, 581: 17-23).
Poderia haver um paralelo entre essa edificação de orgulho humano e a grande multiplicação do conhecimento humano sobre as origens da vida na matéria? Embora não haja consenso científico a respeito de como a vida começou na Terra, há muitas teorias que se baseiam em uma crença na matéria. Podemos dizer que todas as teorias são construídas tendo esta base da aceitação da matéria como fundamento de tudo. Todas estas teorias incluem ou admitem uma rejeição da teoria espiritual sobre o fundamento da Vida. Este é tido por tais teorias como mitológico.
Ciência e Saúde acrescenta um elemento interessante nessa história, com a Sra. Eddy apontando para a diferença de evidências obtidas a partir dos cinco sentidos (sentido material) e do sentido espiritual. As teorias sobre embriologia, genética, vida baseada na matéria, poderiam ser pensadas como uma torre de conhecimento construída sobre uma base instável. Eddy baseia-se na compreensão espiritual que se desenvolve em toda a Bíblia como um guia para compreender as origens espirituais da vida. E esta origem espiritual de todo ser é um fundamento firme. As citações de Ciência e Saúde, CS7 até CS9 explicam os conceitos de Eddy.

Seção 3: Construir a Vida sobre a “Rocha”
A necessidade de fazer uma mudança de base não é algo novo. Jesus começou seu ministério com um chamado para arrependimento. “Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus”. (B11, Mt 4:17).
Sempre pensamos no arrependimento como um sentimento de estarmos arrependidos por termos feito algo errado. Mas um conceito Bíblico de arrependimento é algo um pouco mais profundo; tem a ver com uma mudança completa do coração ou da mente. Arrepender-se é mudar a base do nosso pensamento. Com frequência, pode significar abandonar um preconceito, ou recusar-se a fazer julgamentos baseados em falsas premissas:
“Vocês devem mudar seu coração e sua mente – pois o Reino dos Céus chegou”. (B11, J.B.Phillips)
“Daquele momento em diante, Jesus começou a pregar, dizendo em alta voz: Arrependei-vos (mudem sua mente para melhor, corrijam seus caminhos com o coração aberto, com repugnância de seus pecados do passado), pois o reino dos céus está próximo”. (B11, AMP)
“Mudem de Vida! O Reino de Deus está aqui”. (B11, MSG)
O teor do Sermão do Monte, de Jesus, (Mt 5-7) implica, principalmente, na maneira como estamos pensando. As citações bíblicas nessa seção são exemplos da importância de sabermos onde está nosso pensamento. Nas citações B12 e B13, Jesus enfrenta o pensamento libidinoso e nos encoraja a construir em fundamentos sólidos. Por exemplo, o mal, os pensamentos luxuriosos direcionados a outrem, não formam uma base sólida para construir um bom relacionamento.
Bem, essas evoluções no pensamento nem são de uma natureza terrivelmente pecaminosa. Algumas vezes, nosso arrependimento pode ser simplesmente elevar opiniões e preconceitos errôneos. Minha família testemunhou uma cura divertida com minha mãe, que implicava em melhorar e limpar os pensamentos e o respeito pelos outros.
Minha mãe tinha encontros regulares com amigos da igreja a fim de apoiar o jornal diário “The Christian Science Monitor”. A reunião deles envolvia cada um encontrar um artigo interessante, pesquisar mais profundamente tal artigo, e partilhar com os outros. Mamãe escolheu a crítica de um livro da autobiografia de: “Loretta Lynn, Coal Miner’s Daughter”, “A Filha do Mineiro de Carvão”.
Ela leu a crítica, ficou fascinada com a história, foi até a Sears comprou um álbum de Loretta Lynn, e partilhou a história e a música com os amigos. Final da história? Não.
Mamãe era amante da música. Na casa da família eles tinham uma sala de música e cada um dos sete filhos fazia lições de música. Ela amava música, mas simplesmente odiava “música sertaneja”. Era um completo preconceito. Ela torcia o nariz, por assim dizer, para a música sertaneja. Mas, à medida que começou a aprender mais sobre a vida de Loretta Lynn e sua música, mamãe teve uma completa mudança de coração. Ela comprou outros álbuns da Loretta Lynn. Leu a biografia mencionada na revisão. Ficou maravilhada com as qualidades e os talentos sobre os quais leu. Tornou-se fã. Comprou entradas para um show, e papai e eu fomos com ela. E isso foi apenas o começo; o amor e a apreciação de mamãe pela música sertaneja se expandiram mais e mais. Preconceitos antigos caíram por terra.
Assim, vocês podem ver que nem sempre é um pecado horrível o que precisamos corrigir. Algumas vezes é simplesmente um ponto de visto errado, um pensamento melhor, mais respeito, mais reconhecimento – a vida começa a ter uma base mais firme no Amor.

Seção 4: O poder espiritual arruína as assim chamadas leis da matéria
Como ensina a Sra. Eddy: “A supremacia do Espírito era o fundamento sobre o qual Jesus edificava”. (CS17, 138:14-15) e “A Ciência divina inverte o falso testemunho dos sentidos materiais, demolindo assim os fundamentos do erro”. (CS18, 273:10-12)
Esta seção inclui a experiência interessante de Jesus caminhando sobre a água. Na citação B17 (Marcos 6:45-51) lemos que Jesus despediu seus discípulos e “subiu ao monte para orar”. Gosto de pensar no Mestre em oração. Que pensamentos santos e poder deve ter resultado daquele momento! Afinal, quando ele estava voltando, para se juntar aos seus amigos, ele os viu no lago, um vento soprando contra eles, então, ele simplesmente caminhou até eles. Espere um momento, ele fez o quê? Sim, completamente contrário às leis da gravidade, ele caminhou até eles sobre a água. Não é isso um testamento bem poderoso contra as assim chamadas prioritárias leis da matéria?
A citação de Ciência e Saúde nos dá uma clara indicação da prioridade das leis do Espírito e da relegação das assim chamadas leis da matéria para segundo plano.
Na citação CS19, Eddy escreve: “A crença de que o universo, inclusive o homem, é governado em geral por leis materiais, mas que de vez em quando o Espírito põe de lado essas leis – essa crença amesquinha a sabedoria onipotente e dá à matéria a precedência sobre o Espírito” (CS 83:16).
Talvez você tenha ouvido sobre a cura de Mary Baker Eddy, da queda severa no gelo em fevereiro de 1866. Um médico veio atendê-la e ofereceu pouca esperança, descrevendo seus ferimentos de natureza interna. Até mesmo o pastor veio visitá-la, mas não para oferecer cura, e sim para despedir-se de um membro fiel da congregação. Havia flores em condolência. A esperança estava em baixa. E, então, Eddy pediu sua Bíblia. Leu-a. Vislumbrou algo da verdade da existência e levantou-se curada. Ela escreve em sua cura: “Essa breve experiência incluiu um vislumbre do grande fato de que, desde então, tenho procurado esclarecer aos outros, ou seja, a Vida no Espírito, sendo essa Vida a única realidade da existência” (Miscellaneous Writings [Escritos Diversos] 1883–1896, p. 24).
A supremacia do Espírito foi a fundação que Eddy descobriu e que aguarda por nossa própria descoberta.

Seção 5: Pedro e João: Uma mudança de base cura, o homem paralítico anda.
Você já pensou alguma vez que gostaria de dar mais ao mundo? Há muitas causas de valor, que demandam nossa atenção. Causas de caridade legítima parecem inumeráveis. Isso parece muito em alguns momentos? Pensei nisso quando li sobre Pedro e João vendo o homem pedindo à porta do templo. Esse homem era paralítico, ele não podia andar. Lemos na citação B-19 que Pedro olhou para o homem: “[…]fitando-o, juntamente com João” (Atos 3:1-8) Pedro não desviou o olhar, sentindo-se embaraçado. Embora não tivesse dinheiro para doar ao homem, ou para sua causa, Pedro não desviou o olhar. Pedro sabia que ele tinha algo a dar. Seus passos eram seguros. Seus passos eram confiantes. Esse homem tinha agora seus pés sob ele. Esse homem tinha agora uma compreensão. E ele louvou a Deus.
Nessa seção em “Ciência e Saúde” lemos: “A Ciência Cristã age como um alterante, neutralizando o erro com a Verdade. O efeito dessa Ciência consiste em instigar a mente humana a uma mudança de base, sobre a qual possa ceder à harmonia da Mente divina. Ao aplicar as regras da Ciência, na prática, a autora restabeleceu a saúde nos casos mais graves de doenças tanto agudas como crônicas. Secreções foram mudadas, a estrutura do corpo foi renovada, membros curtos alongados, junta ancilosadas tornaram-se flexíveis, e ossos cariados retornaram ao seu estado sadio” (CS21, 162:5-7, 9, 16-22).
Podemos doar. Podemos dar nossas orações. Podemos dar encorajamento. Não precisamos ficar sobrecarregados pela necessidade, podemos responder com o Infinito. Não precisamos desviar o olhar. Podemos estar confiantes de que a fundação real da Vida já está presente, bem onde surge a necessidade.
Semana passada estava caminhando em frente ao nosso apartamento. Uma vizinha do apartamento ao lado, estava na varanda dela. Parei e perguntei como ela estava. Sua resposta: “Tenho lido seu livro”. (Não é meu livro; há anos eu lhe dei uma cópia de Ciência e Saúde, quando não havia expectativas de que sua irmã iria viver). Inge me disse que acabara de perder seu irmão mais velho e esse era o motivo por que ela estava lendo “meu livro”. Afirmamos juntas a alegria sempre presente ao nos lembrarmos daqueles que amamos e eu a encorajei a manter a leitura. Perguntei sobre sua irmã: “Oh! ela está bem”. Ciência e Saúde é um presente que se continua dando frutos. Não caridade, mas autonomia.
Depois caminhei mais uns 50 metros e encontrei outro vizinho. “Oi Lutz, como está você?” “Não muito bem, tenho estado doente há várias semanas”. Enquanto conversávamos, lembrei que eu também havia lhe dado uma cópia do Ciência e Saúde e assim o encorajei a ler. Depois perguntei sobre sua fotografia (ele é um fotógrafo ávido). Ele prometeu enviar-me um link para algumas de suas fotos. E ele enviou. Isso me deu seu endereço de e-mail novamente. “Não possuo nem prata nem ouro”, mas posso encontrar um bom artigo no JSH-Online.com ou buscar o Arauto-Online.com e enviar para ele! Ou mesmo uma cópia gravada da Lição Bíblica que baixamos no site de professor Orlando Trentini-CSB! Poderia inclusive, enviar o Estudo Metafísico do Cedros e deixar que ele lesse. Poderia ser uma oportunidade para uma mudança de base.

Seção 6: Paulo não foi protagonista de um acidente, mas, sim, o agente em uma cura.
Na quarta-feira passada, eu adormeci durante o serviço da igreja. Cara, eu estava acompanhando muito bem a leitura, que dura quarenta minutos. E, mesmo assim, me peguei no meio de um cochilo. E, bem, sabe como é, né? Ainda bem que eu não estava na sacada como o jovem Êutico. Mas isso não foi o fim do mundo, nem para mim, nem para Êutico. Que coisa maravilhosa saber que não precisamos sofrer com as crenças de um acidente. E nossas leituras são de apenas quarenta minutos, Paulo falou até depois da meia-noite.
Aqui está essa experiência tirada do God's Word Translation: “Um jovem chamado Êutico estava sentado em uma janela. Enquanto Paulo falava continuamente, Êutico acabou pegando no sono. Quando acordou, ele caiu do terceiro andar e estava morto quando o apanharam. 10 Paulo foi até ele, tomou-o nos braços e disse: “Não se preocupem! Ele está vivo!”11 E, seguida, Êutico foi lá para cima novamente, partiu o pão e comeu. Paulo falou com as pessoas por bastante tempo, até o amanhecer, e, então, partiu.12 As pessoas levaram o garoto para casa. Estavam todos muito aliviados porque ele estava vivo.” (B21, Atos 20:7-12)
A citação CS 28 tem como título marginal “Vida indestrutível do homem.” Uau! Isso não é uma promessa? Eddy escreve: “Aproxima-se a época em que a mente mortal abandonará sua base corpórea, estrutural e material, quando a Mente imortal e suas formações serão percebidas na Ciência e as crenças materiais não interferirão nos fatos espirituais. O homem é indestrutível e eterno” (CS28, 402:8-13).
Isso é uma mudança de mentalidade. De mortal frágil, fraco, suscetível à doença e perigoso a homem “indestrutível e imortal”.
Sou muito grato por confirmar que já tivemos algumas curas maravilhosas similares a essa no Acampamento do Cedros. Em meio a nossas atividades, sempre previamente fundamentadas na metafísica espiritual, quando uma crença de acidente tenta se infiltrar, os conselheiros, campistas, praticistas e equipe respondem com a verdade.
Como na citação CS26, “Os acidentes são desconhecidos a Deus, a Mente imortal, e precisamos abandonar a base mortal da crença e unir-nos à Mente única, a fim de substituir a noção de acaso pelo conceito apropriado acerca da direção infalível de Deus, e assim trazer à luz a harmonia” (424:5).
Esse tipo de mudança de base, mudança de mentalidade radical, resulta em cura. Quando meu filho, Johann, apareceu certo dia na residência do praticista no Acampamento do Cedros, ele não estava com uma aparência muito boa. Ele estivera brincando com outros campistas e bateu com o rosto na cama. Seu nariz e rosto estavam machucados. Comecei a orar imediatamente e também entrei em contato com o Diretor Executivo do Cedros, Warren. Ele chegou na residência dos praticistas rapidamente, dizendo que sua mãe, Ruth, também estava no caso. Como Warren sabia que minha mulher não era estudante da Ciência Cristã, ele me assegurou que poderíamos levá-lo para que o ferimento pudesse ser examinado se eu achasse necessário. Lembro-me de como isso foi me soou amoroso e solidário naquele momento. Percebi que não estava sob nenhum tipo de pressão pessoal só porque eu era “o praticista”. Conforme fomos orando juntos, vi o nariz e o rosto de Johann recuperar uma aparência absolutamente normal bem diante dos meus olhos. Ele voltou para suas atividades em pouco tempo. E, naquela noite, ele estava na fila dos testemunhos. Ele deu seu primeiro testemunho naquela noite; lembro-me de ouvi-lo com lágrimas de gratidão nos olhos e com meu coração cheio de agradecimento.

Seção 7: A fundação do Espírito
Essa última seção da Lição pode ser considerada um clássico. Como culminação dessa bela declaração da Verdade divina, essa seção é poderosa e persuasiva.
A afirmação de Paulo aos cristãos em Efésios também é nossa afirmação. Ela nos diz quem somos e onde vivemos. É poderosa. É prática. Revela nosso potencial.
Como afirma a citação B24: “não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois da família de Deus, edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular; no qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para santuário dedicado ao Senhor, no qual também vós juntamente estais sendo edificados para habitação de Deus no Espírito” (Efésios 2:19-22).
[Como um perfeito resumo e fechamento dessa Lição] a Descobridora e Fundadora da Ciência Cristã, Mary Baker Eddy, escreve sobre os fundamentos do que foi revelado a ela através da cura e da razão. “A metafísica está acima da física, e a matéria não entra nas premissas nem nas conclusões metafísicas. As categorias da metafísica assentam sobre uma única base, a Mente divina. O testemunho dos sentidos materiais não é absoluto nem divino. Por isso, eu me firmo, sem reservas, nos ensinamentos de Jesus, nos de seus apóstolos, nos dos profetas e no testemunho da Ciência da Mente. Outros fundamentos, não há” (CS30, 269:11-14, 21-25).
Está claramente evidente que os fundamentos da Vida, como revelado em nosso universo, são um reino longe da matéria. Deus, Espírito, Mente, não é dependente da matéria ou das leis materiais pela manifestação. No laboratório de experiências diárias, os Cientistas Cristãos estão provando todos os dias que Espírito reina supremo e a matéria dá-se por vencida. Essa é nossa fundação. Essa é nossa herança. Essa é nossa origem.
Herbert Rieke, CSB, foi o professor da Ciência Cristã da minha irmã Candy. Eu sempre gostei muito de algo que ele compartilhava com seus alunos. Ele recorria à pergunta em Jó 38: “Onde estavas tu?”
"Onde estavas tu, quando eu lançava os fundamentos da terra? Dize-mo se tens entendimento. 5 Quem lhe pôs as medidas, se é que o sabes? Ou quem estendeu sobre ela o cordel? 6 Sobre que estão fundadas as suas bases ou quem lhe assentou a pedra angular; 7 Quando as estrelas da alva, juntas, alegremente cantavam, e rejubilavam todos os filhos de Deus?” (Jó 38)
___________________________________________________________
Este estudo metafísico foi preparado por Rick Stewart, CS,  Dresden, Alemanha -Telefone +49 351 312 4736
A equipe de tradução para o português é composta por Dulcinea Torres, Elisabeth Z. Friedrichs, Leila Kommers e Ovídio Trentini, com a leitura final por Orlando Trentini, CSB.
Visite o saite www.trentinicsb.com. Ali encontrará esta tradução e as anteriores para estudo, para baixar e partilhar esse copo de água fresca com seus amigos.
Os estudos metafísicos dos Cedros sobre o estudo diário da Lição Bíblica da Ciência Cristã, contendo ideias de aplicação metafísica, são oferecidos, durante todo o ano, para que os amigos da Ciência Cristã vejam e demonstrem o grande valor do estudo diário da LB. Os Cedros são um complemento para a LB. O estudo em inglês será postado, no link abaixo, na 2a. feira. Sua tradução para o português será postada até a 3ªfeira. Busque e leia o texto em inglês em http://www.cedarscamps.org/metaphysical.

Metaphysical

Reason from Spirit, not matter! Let God turn mourning into dancing! - It is undoubtedly true...
Latest Lesson Application Idea

Newsletters

Get free weekly uplifting newsletters (available in English, Spanish, French, German and now in Portuguese!)
Subscribe or Update Subscription

Facebook

Find CedarS on Facebook for the latest news, heart-warming fruitage, facility upgrades and more!
Go to the CedarS' Facebook Page