Cedar Camps

Metaphysical Ideas

Search Metaphysicals
 

Metaphysical Newsletters

The weekly Metaphysical Newsletter is provided to campers, staff, alumni, friends and the CedarS family at no charge however contributions help defray the costs of running this service.

Click here for more about how you can provide support!
 

Delivered to You FREE!

Available in five languages, get it delivered to your inbox weekly!

Subscribe Now!

Tal como Jesus, expulse de seu templo (o conceito de corpo e Igreja) o que precisa ser removido! Estudo Metafísico do Acampamento dos Cedros - Tema: A Alma e o Corpo.

Kathy Fitzer, Lake St. Louis, MO
Posted Monday, November 16th, 2015

CIÊNCIA CRISTÃ - LIÇÃO BÍBLICA

“Bem-vindo às Lições Bíblicas da Ciência Cristã!

Deus é Tudo e Ele tem grande amor por toda Sua criação. Esse fato e nosso amor por Ele, por nosso próximo e por nós mesmos, constituem a essência das Lições bíblicas. Elas proporcionam um mergulho profundo nesse amor, e isso tem trazido cura, conforto, reforma e regeneração às pessoas há várias gerações.

Portanto, mergulhe profundamente você mesmo [no estudo] das Lições Bíblicas e no amor de Deus! À medida que o fizer e, especialmente, na proporção em que viver esse amor, dia após dia, até mesmo, momento a momento, você verá a cura e os benefícios que dela resultam, ajudando não só a você mesmo, mas a todos que cruzarem seu caminho” (Livrete Trimestral da Ciência Cristã, p1).

Tal como Jesus, expulse de seu templo (o conceito de corpo e Igreja) o que precisa ser removido! [4]

O Acampamento dos Cedros preparou este Estudo Metafísico da LB para auxiliar na sua compreensão do estudo bíblico para o tema:

A Alma e o corpo

Este tema é estudado diariamente em 18 línguas, em todo o globo,

de 16 a 22 de novembro, 2015.

Abreviações: Bíblia – B; Bíblia na Nova Tradução na Linguagem de Hoje – NTLH;

Bíblia Mensagem - MSG; Ciência Cristã – CC; Ciência e Saúde – CS; Lição Bíblica – LB.

————————————

Texto Áureo - Salmo 34: 2, 3: Gloriar-se-á no Senhor a minha alma [...] Engrandecei o Senhor comigo, e todos, à uma, lhe exaltemos o nome”.

O TA dá bem o tom desta lição. Eu obtive uma compreensão melhor do tema consultando outras versões da Bíblia e a Concordância Bíblica de Strong: a palavra hebraica traduzida como “boast” ( no original da Bíblia King James e traduzida para o português como "gloriar-se") é halal e pode ser usada como “resplandecer; celebrar; cantar louvores”: "Vivo e respiro o Eterno. [...] Juntem-se a mim para espalhar as notícias; vamos sair pelo mundo" (A Mensagem). “Eu o louvarei por causa das coisas que ele tem feito [...] Anunciem comigo a sua grandeza; louvemos juntos ao Senhor” (NTLH). "Minha alma se gloriará no Senhor. [...] Proclamem a grandeza do Senhor comigo; juntos exaltemos o seu nome" (NVI).

Leitura Alternada (Salmo 94: 17-19; 139: 1-6, 14, 16-18; 103: 1) -

A LA torna claro que fomos feitos para glorificar a Deus, que é para isso que existimos! Deus é o criador — Deus é o tudo. Deus brilha por nosso intermédio, nos cuida, nos ajuda, nos alenta, nos guia, nos conhece inteiramente, e é o tudo de nosso existir. O Salmo 139:5 traduz bem a situação: “Tu me cercas por trás e por diante e sobre mim pões tua mão”. Quando percebemos quão preciosos somos à Mente que nos criou cada um como uma ideia singular, podemos gozar com o fato de que há uma alma ou identidade — expressa individualmente de infinitas maneiras. Cada um de nós expressa maravilhosamente essa Alma a nosso modo. Essa individualidade nunca pode ser perdida, explorada, ferida ou prejudicada porque emana diretamente — e indissoluvelmente — da Alma infinita que é Deus – a Mente, o Espírito, o Princípio, o Amor, a Verdade e a Vida! Portanto, concordemos em reconhecer e gozar o poder e glória da Alma resplandecendo por nosso intermédio (assim como o sol resplandece por meio de cada um de seus raios). Abandonemos a crença de personalidade — que o mundo seja composto por um punhado de almas mortais (das quais somos uma) sujeitas a serem influenciadas pelas forças tanto do bem como do mal. Quando nossos conceitos estiverem alinhados com a realidade da Alma, nossas próprias vidas engrandecerão a Deus. Isso possibilitará que a sempre-presente bondade e poder de Deus sejam vistos e sentidos por todos—inclusive nós.

Seção 1: Ao reconhecermos nossa identidade espiritual, sentimos a presença da luz de Deus.

Um dia ensolarado, com temperaturas agradáveis, faz com que o âmimo se eleva e faz tudo parecer um pouco melhor. Mas, humanamente falando, esse tipo de dia não dura. E, no meio do inverno (como aqueles que vivem em regiões bem frias e escuras podem atestar) é fácil questionar se esses dias ensolarados e quentes retornarão. Durante esses momentos, espera-se ardentemente experimentar a luz do sol novamente. E, por isso, às vezes, há momentos em que a experiência humana parece sombria e difícil.

O salmista descreve o anseio por Deus como um animal selvagem anseia a água em um riacho (B1). A resposta está no desejo de compreender verdadeiramente a relação inseparável do homem com a luz do sol da Alma como uma ideia espiritual da Mente. A luz de Deus nunca está ausente. E como nós humildemente clamamos sentir a presença de Deus - e nos elevamos em reconhecimento perpétuo da eterna presença da Alma, descobrimos que Deus é o brilho que está sempre presente e banha tudo de luz, alegria e do bem.

Às vezes, pode ser tentador nos culparmos por não termos visto a luz, descendo sobre nós, ou por sermos tentados a desistir, por nos sentirmos desanimados ou desesperados. Mas, não podemos desistir - nem de nós mesmos, nem dos outros! Deus nunca desiste! O Amor nos mantém para sempre seguros e protegidos. Temos a seguinte promessa: "Quando aprendemos o caminho na Ciência Cristã e reconhecemos o existir espiritual do homem, vemos e compreendemos a criação de Deus, - todas as glórias da terra e do céu e homem" (CS6).

As leis divinas do existir foram apresentadas e demonstradas - e nós temos o que precisamos para praticá-las (através dos ensinamentos da Bíblia e do Ciência e Saúde). Na medida em que aceitamos e compreendemos a verdadeira relação do corpo e da Alma, o corpo (com suas supostas emoções e funções) será visto como sendo subordinado à Alma – a expressão verdadeira da Alma (CS2). Nós começamos por compreender Deus como incorpóreo (não constituído de matéria,) divino (excelente no mais alto grau,) supremo (o mais alto em autoridade), infinito (ilimitado, sem fronteiras); Deus é: "Mente, Espírito, Alma, Princípio, Vida, Verdade, Amor” (B1).

Então, podemos ver que esse Deus infinito é expresso em um universo espiritual sem limites e no homem espiritual - como o sol é expresso em seus raios de luz (CS4). Ao aceitar que refletimos um Princípio infinito, paramos de sentir que temos que conseguir algo. Voltando-nos para a nossa verdadeira identidade como o reflexo da Alma, perdemos de vista uma personalidade material e sabemos que estamos sempre sob o cuidado do brilho e calor de Deus! Persevere e você será recompensado. Os primeiros estudantes da ciência da aeronáutica se recusaram a ser dissuadidos - não importa quantos reveses experimentaram. Hoje, voar é um fenômeno comum! Da mesma forma, podemos aprender a nos elevar/planar na Alma!

Seção 2: Remova a maldição da criação material

Há várias referências de conforto ao povo de Jerusalém nesta seção (B4, B7 e B8). Podemos aplicar a mensagem desta seção nos desafios políticos enfrentados na cidade de Jerusalém hoje, bem como na alegação maior de que a matéria (ou a mente mortal) cria ou governa o homem. Parece-me que cada desafio que enfrentamos tem suas raízes na crença de origem material.

Acompanhada do pressuposto de que a vida reside na matéria está a questão problemática de quem ou do que controla ou regula essa matéria - seja o chamado corpo ou uma área de terra. Mary Baker Eddy escreve: "Se uma criança fosse produto do senso físico e não da Alma a criança teria origem material, não espiritual" (CS11). Essa ideia de "criança" pode ser aplicada a uma pessoa, um lugar, um negócio, uma ideia criativa, um relacionamento, um talento, etc. Qualquer coisa que comece com a criação mortal é por natureza limitada e sujeita a conflitos.

Essa falsa crença de origem (e vida) surgindo a partir de matéria inanimada (o que é limitado, em contraste com o Espírito ilimitado) é a "maldição sem causa" que será removida "quando a névoa da mente mortal evapora" (B5, CS12). O problema todo é aceitar a premissa de que existe um criador inteligente longe de Deus, chamado mente mortal (com o seu falso conceito chamado corpo mortal). Ao contrário, devemos tirar todas as conclusões do fato de que há apenas a Mente divina.

A matéria (mente mortal) não é a forma de homem! (CS13) “O homem não é uma habitação material para a Alma; ele mesmo é espiritual” (CS9). Uma lei governa - a lei da Mente - e produz de forma indolor a sua própria criação, sem conflito. Compreender isso remove a maldição da discórdia - indendente do conflito aparecer dentro de um corpo, uma organização, ou uma população. Altere a base da crença, e as circunstâncias humanas deverão corresponder à visão ajustada.

Seção 3: A beleza eterna e inerente da alma

Parece que por todos os lados, há anúncios de produtos que prometem tornar-nos mais atraentes. Mas, enquanto o foco estiver em melhorar a imagem material e usar medidas mortais para determinar o sucesso, estaremos propensos a logo cair! Não há necessidade de desespero!

A solução está na mudança de foco. Parar de melhorar um corpo mortal para perceber a beleza imutável da alma! Nunca vou esquecer de uma professora da escola primária que tive o privilégio de ter e que eu pensava ser a pessoa mais bonita do mundo! Ao desvanecer-se a minha ingenuidade, descobri que humanamente falando, suas feições não teriam sido consideradas adoráveis.

Mas ela era uma reflexão tão pura da Alma, que isso era tudo o que eu via! E se todos nós dedicássemos mais atenção para perceber o homem criado por Deus - expressando plenamente a graça e a beleza da Alma - em vez de julgar a nós mesmos ou aos outros de acordo com os padrões descritos pela mente mortal? Não deveríamos ver então a beleza em nós mesmos e nos outros como eu vi minha professora quando jovem?

Essa é uma beleza que não pode desaparecer ou sofrer lesões ou cicatrizes. Ver a nós mesmos como "a filha do rei [ou filho] [...] toda gloriosa por dentro" é um bom início para vermos os outros dessa maneira - bem como sermos vistos dessa forma pelos outros (B12). Dar menos atenção ao que podemos fazer pelo corpo da criação da mente mortal e pensar mais no homem da criação de Deus, permitirá que a beleza inerente da Alma seja vista externamente no homem tão naturalmente como ela é (CS18).

Que incrível variedade existe no nosso plameta – desde fendas de rochas até impecáveis pétalas de flores. E essa beleza é suprida por Deus sem nenhum esforço! (B14) Como tudo seria melhor se aceitássemos essa variedade naquilo que é considerado belo nas pessoas! Vamos começar a apreciar a glória da Alma que deve ser expressa por cada um dos filhos e filhas de Deus - e pode ser vista em cada um, incluindo nós mesmos (CS14). Você é bonito! Somos todos bonitos!

Seção 4: Limpando o templo - corpo.

Faríamos bem em nos perguntar muitas vezes com alguma frequência: O que é que precisa ser jogado fora do nosso templo (o nosso conceito de corpo e igreja), como Jesus expulsou os cambistas? O verdadeiro templo (morada de Deus) é inteiramente espiritual. Jesus compreendia que Deus (Alma) não pode ser confinado a um corpo material mais do que a um edifício.

A definição do templo de Mary Baker Eddy inclui uma descrição como o corpo e um lugar onde as pessoas se reúnem para adorar: “Santuário/Templo. O corpo; a ideia da Vida da substância e da inteligência; uma superestrutura material onde os mortais se congregam para o culto”. Mas ela usa claramente termos espirituais - em vez de materiais - para descrever ambas as referências (CS19). Jesus compreendia que a sua identidade não era definida pela matéria, e, sendo assim, era indestrutível, mesmo que os homens tentassem destrui-la (B17).

A antiga localização do templo destruído em Jerusalém é um lugar de discórdia hoje. Considerado por Judeus, Muçulmanos e Cristãos como um local sagrado, parece difícil todos ali adorarem juntos de forma pacífica. Mas, e se o conceito de "templo" fosse elevado a uma idéia espiritual - independente de uma estrutura material?

Não há conflito no Espírito. Em última análise, o homem vai despertar para a verdade das palavras de Paulo: "Não sabeis que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?" (B18). É o Espírito de Deus que anima (habita em) cada uma das idéias de Deus. A presença de Deus não pode ser confinada a uma estrutura material, mas constitui o próprio ser de cada um de nós.

Parece-me que devemos a nós mesmos - e ao mundo - focar constantemente na purificação do nosso conceito de corpo, bem como da igreja. Precisamos ter a certeza de prestar atenção para qualquer coisa que tornaria o pensamento material e afastar isso.. Como é que a história de Jesus chicoteando os cambistas do templo se relaciona com isso? (B17)

Um pensamento é que os cambistas estavam lá para fins comerciais e para servir como uma conveniência para quem vem oferecer seus sacrifícios no templo. A adoração tem a ver com conveniência ou ganhos materiais? Eddy fala especificamente sobre tirania, orgulho, medo e a necessidade de "expulsar [os mesmos] do templo a chicotadas", e dar boa acolhida à humildade e à Cência divina (CS22 e CS23). É importante considerar a nossa motivação para fazer tudo o que fazemos - não importa se está relacionado à forma como cuidamos de nosso corpo, da nossa igreja, ou de nossos negócios.

Será que nós (sem pensar muito) fazemos o que é fácil e que todo mundo está fazendo? Ou nós humildemente buscamos a orientação de Deus sobre as pequenas coisas, assim como as grandes? Tudo o que fazemos deve ter a ver com expressar a Deus - Vida, Verdade e Amor, Princípio, Mente, Alma e Espírito - em vez de fazer o que parece mais fácil, ou o mais conveniente, a qualquer momento em particular. À medida que paramos de pensar em nós mesmos como seres materiais temporais (tentando chegar à frente nesta experiência mortal) vamos nos concentrar na construção de nosso templo com as pedras sólidas de Ciência Cristã (a verdade do ser.)

Confira a citação CS20, p. 288, para ver que premissas formam a base para o raciocínio certo, a fim de estabelecer no pensamento um templo (corpo) indestrutível. Eu gosto muito como Eddy descreve o nosso verdadeiro templo em sua obra Pulpit and Press: "nenhuma fabricação humana, mas a superestrutura da Verdade, criada no fundamento do Amor, e coroada na Vida."

Ela continua, "sendo esta a sua natureza, como pode o nosso templo divino ser demolido, ou mesmo perturbado" (Pulpit and Press, páginas 2-3). Eu tive uma bela cura de uma lesão nas costas certa vez, quando compreendi melhor este conceito. E, certamente, este é o princípio de cura que Jesus demonstrou! Vamos limpar o pensamento de qualquer coisa que não esteja de acordo com este conceito espiritual de templo e ver a plenitude da alma expressa em tudo que fizermos.

Seção 5: A demonstração dos fatos da Alma leva à cura do corpo.

Depois de Jesus rescussitar dos mortos, ele confrontou seus discípulos. Por que estavam se escondendo em vez de continuar a compartilhar a mensagem do poder sanador imorredouro do Cristo, a Verdade? Ele ordenou que saíssem pelo mundo e "pregassem o evangelho a toda criatura". Ele delineou os "sinais" que acompanharariam "aqueles que que creem" (B20). É nosso privilégio hoje continuar a testemunhar o fato de que a Mente seja a construtora do corpo - não os elementos materiais chamados de DNA (CS24). Jesus demonstrou a natureza indestrutível do homem - criado, constituído e governado pelo Espírito (CS25). Demonstrar os "fatos da Alma" como Jesus demonstrou é a chave para curar como Jesus curava. O fato é que a Alma (identidade ilimitada e imortal) não é expressada através da matéria. Para curar, é essencial "despojar o pensamento daquilo em que erradamente confia e das evidencias materiais, para que os fatos espirituais do existir possam aparecer". Um dicionário define despojar como privar algo do poder. Também dá uma definição mais antiga: "libertar (alguém) de algo que está vestido ou sendo carregado". Adorei isso.

Quando "despoja[mos] o pensamento daquilo em que erradamente confia[mos] e das evidencias materiais", tiramos um peso ou o manto que esconderia a liberdade espiritual inerente a todas as pessoas. Não estamos mudando a realidade - apenas a percepção dela! Nós simplesmente "expulsaremos o falso e daremos lugar ao verdadeiro" (CS26). Como fazemos quando varremos o chão de madeira - removemos toda a poeira, a sujeira e migalhas - para revelar o brilho natural e belo inerente à madeira. Como a Mente é a criadora do corpo, qualquer tipo de doença é apenas a formação da mente humana percebendo coisas a partir de uma perspectiva distorcida (CS27). Quando o Cristo (a verdadeira ideia de Deus) é considerado, o pensamento é varrido da crença mortal e a experiência humana deve, portanto, sujeitar-se ao que a Mente conhece de sua criação. Quando limpamos todo o lixo, a Alma brilha esplendorosa. E nós também curaremos os doentes e as coisas mortais (incluindo as chamadas doenças incuráveis) não mais nos farão mal, e nem teremos medo dessas coisas.

Seção 6: Louve a Deus que criou você para ser santo.

Deus escolheu criar você, eu e todos os Seus filhos e filhas de uma forma que expressa unicamente a totalidade do Seu ser. Todos nós existimos - e existiremos para sempre - como uma ideia da Mente desde "antes da fundação do mundo". E fomos criados para sermos santos e inocentes, habitando no Amor (B21). Analisemos o original grego destas palavras, de acordo com Strong. "Sagrado" inclui ser fisicamente puro e moralmente inocente. E ser "inocente", significa não ter máculas, falhas, nem erros. Esse é o modelo que devemos manter continuamente diante do nosso olhar. Essa pureza sem máculas é a realidade. Não podemos ser enganados por relatos contraditórios do corpo, assim como não podemos nos deixar enganar por contradições astronômicas contraditórias (CS28).

Parece que o sol se move e a terra fica parada. Mas isso é um equívoco da mesma forma que a alma parece estar no corpo, e que o corpo está no comando. A Mente cria o homem. A Alma é Deus e o homem "coexiste com a Alma, Deus, e a reflete, pois o homem é a imagem de Deus" - Sua semelhança (CS30). Assim, o propósito do homem (nosso propósito) é realçar a totalidade do ser de Deus - de inúmeras maneiras. Quando compreendemos que o corpo é governado pela Alma, ficamos livres para perceber a harmonia e saúde de Deus expressa aqui e agora - na carne. Louvado seja Deus!

—————————

Este estudo metafísico foi preparado por Kathy Fitzer, CS kathyfitzer@gmail.com - 314-323-4083

A equipe de tradução para o português é composta por Ana Paula Wagner, Dulcinea Torres, Elisabeth Z. Friedrichs, Leila Kommers e Ovídio Trentini, com a leitura final por Orlando Trentini, CSB. Visite o site www.trentinicsb.com. Ali encontrará esta tradução e as anteriores para estudo, para baixar e partilhar esse copo de água fresca com seus amigos

.Os estudos metafísicos dos Cedros sobre o estudo diário da Lição Bíblica da Ciência Cristã, contendo ideias de aplicação metafísica, são oferecidos, durante todo o ano, para que os amigos da Ciência Cristã vejam e demonstrem o grande valor do estudo diário da LB.

Os Cedros são um complemento para a LB. O estudo em inglês será postado, no link abaixo, na 2a. feira. Sua tradução para o português será postada até a 3ªfeira. Busque e leia o texto em inglês em http://www.cedarscamps.org/metaphysical

Metaphysical

Valuable GEMs invite you to Revel in Reality & its no-tear blessings! - Valuable GEMS invite...
Latest Lesson Application Idea

Newsletters

Get free weekly uplifting newsletters (available in English, Spanish, French, German and now in Portuguese!)
Subscribe or Update Subscription

Facebook

Find CedarS on Facebook for the latest news, heart-warming fruitage, facility upgrades and more!
Go to the CedarS' Facebook Page