Cedar Camps

Metaphysical Ideas

Search Metaphysicals
 

Metaphysical Newsletters

The weekly Metaphysical Newsletter is provided to campers, staff, alumni, friends and the CedarS family at no charge however contributions help defray the costs of running this service.

Click here for more about how you can provide support!
 

Delivered to You FREE!

Available in five languages, get it delivered to your inbox weekly!

Subscribe Now!

Cantem uma nova Canção! Estudo Metafísico do Acampamento dos Cedros - Tema: A Vida.

Craig L. Ghislin, C.S., Glen Ellyn (Bartlett), IL
Posted Monday, January 11th, 2016

CIÊNCIA CRISTÃ - LIÇÃO BÍBLICA
“Bem-vindo às Lições Bíblicas da Ciência Cristã!
Deus é Tudo e Ele tem grande amor por toda Sua criação. Esse fato e nosso amor por Ele, por nosso próximo e por nós mesmos, constituem a essência das Lições Bíblicas. Elas proporcionam um mergulho profundo nesse amor, e isso tem trazido cura, conforto, reforma e regeneração às pessoas há várias gerações.
Portanto, mergulhe profundamente você mesmo [no estudo] das Lições Bíblicas e no amor de Deus! À medida que o fizer e, especialmente, na proporção em que viver esse amor, dia após dia, até mesmo, momento a momento, você verá a cura e os benefícios que dela resultam, ajudando não só a você mesmo, mas a todos que cruzarem seu caminho” (Livrete Trimestral da Ciência Cristã, p1).
O Acampamento dos Cedros preparou este Estudo Metafísico para auxiliar na sua compreensão do estudo da Lição Bíblica que é estudada diariamente em 18 línguas, incluindo agora o chinês, em todo o globo, cujo tema para a semana de 11 a 17 de janeiro de 2016 é:
A Vida
Cantem uma nova Canção!
Abreviações: Bíblia – B; Bíblia na Nova Tradução na Linguagem de Hoje – NTLH; Bíblia Mensagem - MSG; Ciência Cristã – CC; Ciência e Saúde – CS; Lição Bíblica – LB.
_______________
Ao começar um Novo Ano, muitas pessoas sentem-se energizadas e prontas para um novo começo. No Acampamento do Cedros, nos referimos todos os anos ao “melhor verão por vir”. As agências de viagens tomaram emprestada a ideia, e encorajam potenciais clientes e fazerem de “2016 o melhor dos anos”. Comediantes já entretêm pessoas com as promessas não cumpridas, e gurus do fitness insistem com o público em um novo começo em dieta ou exercícios.
O Texto Áureo [...] Eis que faço novas todas as coisas. [...] (Apocalipse 21:5).
Esta LB também nos chama a atenção para novas coisas. No entanto, comentaristas da Bíblia chamam a atenção de que a novidade referida em Apocalipse significa mais do que uma mudança de coração ou intenção. John Gill, um bibliógrafo do Século XVIII, escreve: “isto é uma tarefa do Espírito [...] feita diariamente, e não é peculiar de um período em particular”. Uma coisa é decidir dar outro rumo para sua vida, ou reorientar seus esforços para que se tornem mais produtivos. Mas deixar que Deus nos transforme completamente é outra coisa. E Gill sugere que o ideal é que essa transformação espiritual ocorra diariamente.
Leitura Alternada (Salmo 96:1, 2; 92: 13-15; 16: 5-9, 11).
O salmista nos encoraja a cantar diariamente uma nova canção de louvor a Deus por Sua bondade e misericórdia. Isto pode parecer, à primeira vista, um conselho básico, mas renovar a gratidão a cada dia em reconhecimento da onipotência de Deus requer uma certa disciplina. Não raro nos tornamos preguiiçosos e complacentes quando as coisas vão razoavelmente bem. Mas, por outro lado, se as coisas ficarem brabas, caímos em letargia e cinismo. Assim, buscar sempre por coisas novas para sermos gratos e reconhecer Deus como a fonte de tudo o que temos é, na verdade, um valioso exercício que mantém nosso senso espiritual harmonizado.
Estar continuamente consciente de que Deus é a única fonte da Vida e da bondade é um plantar-se na “casa do Senhor”, o que o salmista diz ser uma atividade muito valiosa. Isso nos habilita a “florescer”. Isto quer dizer que desabrochamos diariamente. Acredita-se que a produtividade humana diminui com a idade, mas quando ativamente reivindicamos nossa herança de sermos “plantados” em Deus, nós frutificamos continuamente. Não estamos sujeitos aos caprichos da crença mortal, de estatísiticas, ou tendências. Deus mantém o nosso quinhão aconselhando e orientando-nos. Seguros, fortes e protegidos, nada pode mover-nos de nossa posição espiritual.
Seção 1: Contínuas novas visões.
Devotar tempo para compreender Deus é, com certeza, uma empreitada de grande valor. Pensar em Deus como nossa rocha e salvação (B1, Salmo 18:46) evoca imagens de força e constancia. O salmista diz que “esperou confiantemente pelo Senhor” (B2, Salmo 40:1,3). De acordo com o teólogo, ministro presbiteriano Albert Barnes, (1798-1870), a frase em hebraico diz: “Pacientemente, esperei” querendo dizer que não foi um ato de fé momentâneo. Nem foi sua oração respondida rapidamente. O peticionário havia persistido pacientemente ainda que parecesse que sua oração não seria respondida. Mas por fim, a oração obteve fruto. Considerando o que acabamos de dizer na LA, parece fora de propósito pensar agora em persistência. Mas a questão é, que, quando oramos sinceramente, não cansamos. Nem ficamos repetindo sempre a mesma oração. Nós avançamos, como os filhos de Israel, através do deserto, passo a passo (B3, Deuteronômio 29:2,5). E assim como as sandálias deles não se gastaram, também nossa oração mantém seu ânimo e frescor quando encaramos cada situação com uma perspectiva renovada.
Moisés apresentou aos filhos de Israel uma opção (B4, Deuteronômio 30:16). Se escolhessem obedecer a Deus, seria bom para eles, seriam abençoados e viveriam; se não fizessem essa escolha iriam em direção à maldição e à morte. Depois de persistir pacientemente, o salmista (B2, Salmo 40:3) foi recompensado com um novo cântido dado por Deus. De certo modo, Moisés estava propondo ao povo de Israel que decidisse qual cântico queriam cantar: o de queixas e negatividade, ou de gratidão e esperança. Todos nós temos a oportunidade de deixar Deus plantar um novo cântico em nossos corações. Sempre podemos escolher corretamente.
A Vida e o ser são de Deus (CS1, p.103). Isto quer dizer que a Vida e o ser não são da matéria, nem da hereditariedade, nem da economia, ou nacionalidade, ou educação. Tudo o que somos e temos vem de Deus. A Vida não tem começo nem fim (CS2, p.468). É isto que significa a eternidade: o tempo é irrevelante. Mas notem que não podemos sustentar uma crença material de vida e ao mesmo tempo perceber a eternidade da Vida divina. Temos que escolher uma ou outra: a finita ou a infinita. Como já foi dito em estudos metafísicos anteriores, a matéria é um conceito humano - e “conceito” é uma imagem de pensamento com olhos fechados. Para realmente ver ou perceber a Vida temos que abrir nossos olhos--exercer nosso senso espiritual. A citação CS4 (p.167) nos lembra que vemos e experimentamos a harmonia em nossa experiência na proporção do grau de nossa admissão do bem sobre as pretensões do mal. Depende de nós modelar nosso modo de ver as coisas em “beleza, frescor e continuidade, em vez de em velhice e decrepitude” (CS5, p. 246). E assim como cada passo trouxe aos israelitas no deserto novas perspectivas, cada experiência que encaramos nos “desdobra novas perspectivas do bem e do amor divino” (CS6, p.66).
Seção 2: Revertendo a visão material.
Não só a nossa abordagem à vida através da oração deve ser continuamente nova, mas também o suprimento de Deus, o bem, é renovado continuamente. Como John Gill detalha sobre a citação B5,-Lamentações 3:22,23, as misericórdias do Senhor não falham, "há exemplos delas todos os dias, não apenas num senso temporal, mas em um senso espiritual; elas são sempre novas, sempre frescas e vigorosas, constantes e perpétuas ".
Para a crença humana, todos os recursos estão sujeitos às leis de escassez. Os custos sobem quando a disponibilidade é baixa, e isso coloca uma pressão sobre aqueles que não têm muito. A mulher viúva que apelou a Eliseu não podia pagar suas dívidas e, como era costume na época, estava correndo o risco de perder seus filhos para o credor (B6). Os comentaristas descrevem que ela não era pobre porque tinha sido extravagante ou preguiçosa. Seu falecido marido tinha sido dedicado a Deus e se recusou a seguir os métodos cultuados pelo rei, por isso, eles tinham acesso limitado a certas facilidades materiais.
Quando Eliseu perguntou o que ela tinha em casa, nada havia, a não ser uma botija de óleo. Sua boa-vontade em usar o óleo como Eliseu indicou, mostrou que ela estava disposta a deixar Deus transformar seu pensamento. Sua obediência permitiu uma solução criativa. Ela e seus filhos seguiram as instruções do profeta Eliseu. Observe que eles fizeram seu trabalho com a porta fechada, fora da vista dos céticos. E quando as vasilhas estavam todas cheias, eles não fugiram da cidade com os rendimentos. Eles obedientemente pagaram suas dívidas e sobrou o suficiente para viverem.
Mary Baker Eddy nos pede de forma eficaz para fazer uma escolha quando ela pergunta: "é a Vida sustentada pela matéria, ou pelo Espírito?" (CS7). Nossa resposta determinará o quão bem nos sairemos. Nosso livro-texto fornece uma resposta (CS8): "Na Ciência divina", que é outra maneira de dizer "na realidade". Na realidade, "o homem é sustentado por Deus." Mas isso se refere ao homem cuja Vida é Deus, o homem espiritual. Na verdade, a matéria, definitivamente não tem vida. A compreensão da vida divina não nos torna mortais imortais, ela nos desperta para perceber que somos completamente espirituais e portanto, nem mesmo sujeitos à morte.
Pense no alívio que é entender isso. Se estamos constantemente olhando para as planilhas e os bens materiais para nos dizer o que temos, e o que podemos ou não fazer, a nossa perspectiva espiritual fica obscurecida (CS9). A visão espiritual e a material não se misturam. Na verdade, elas estão em conflito direto. Então, nós temos que escolher qual abordagem seguiremos.
Ciência e Saúde ensina que devemos seguir os fatos da Ciência, embora eles não sejam sustentados por dados empíricos (CS10). Eddy sempre partiu do fundamento de Deus e da perfeição. Pode parecer um desafio difícil aderir ao raciocínio espiritual, mas isso nos permite ver o que está realmente acontecendo. O medo e a carência são males que não têm nenhum espaço "seja na economia humana, seja na divina" (CS11).
Depender totalmente de Deus para nos sustentar não é um método de manipular as coisas do nosso jeito, a nosso favor, ou de invocar suprimento do nada, mas o raciocínio espiritual muda o nosso ponto de vista e revela uma multidão de coisas do Espírito que sempre estiveram lá, mas não eram vistas porque estavam blindadas pelo raciocínio material (CS12). Ver Deus como a fonte de toda a Vida e bondade é essencialmente abrir nossos olhos e olhar de uma concepção material para a percepção espiritual.
Seção 3: Poder Transformador.
Por mais que saibamos das coisas terrenas, a única informação confiável que podemos ter das coisas celestiais vem do manancial da compreensão espiritual (B7). A compreensão espiritual não só muda a forma como vemos as coisas, mas também determina e nos diz como tomamos decisões e resolvemos desafios.
A tendência humana é coletar informações, verificar os prós e contras e tomar o que chamamos de uma decisão informada. Mas, a Bíblia, em Provérbios, nos ensina a não confiar em nosso próprio entendimento (B8). A compreensão humana é insuficiente. Reconhecer Deus como a verdadeira fonte de vida e de toda a misericórdia e bondade nos capacita atingir a lei da abundância espiritual que é sempre plena.
O Evangelho de João registra Jesus ter sido convidado para uma festa de casamento (B9). No entanto, pareceu haver uma escassez de vinho. Alguns acham que esta história é uma metáfora para a transformação do pensamento do judaísmo ao cristianismo. Isso é uma questão em aberto, mas há lições da história apontando para renovação. Maria viu uma imagem de necessidade e imediatamente viu uma oportunidade de demonstrar abundância. John Calvin tem uma versão interessante sobre os seis potes de água. Ele sentiu que eram deliberadamente visíveis para os hóspedes como uma demonstração de piedade judaica e compromisso com a limpeza. Então Jesus, transformando, a água em vinho foi também uma correção da falsa piedade. Jesus usou especificamente esses potes, em vez de os recipientes vazios do vinho já consumido. Desta forma, não haveria nenhuma dúvida sobre o que estava acontecendo. Maria teve o cuidado de ter a certeza de que os servos fizessem exatamente o que Jesus pedisse para eles fazer. Isso pode ser um modelo para nós também. Orientação divina para confiar plenamente a fim de experimentar [inspiração divina e] renovação em nossa vida [-em todos os aspectos da experiência humana, como os seis potes de água representados, de acordo com o Conferencista da Ciência Cristã, Geith Plimmer.]
Jesus exemplificou o que significa viver uma vida baseada na compreensão espiritual (CS13). É evidente que ele não parou com sua missão ao transformar água em vinho. Ele mostrou que um entendimento espiritual também poderia curar os doentes, reformar o pecador, e ressuscitar os mortos. Esses atos não eram milagres ou truques. Eram manifestações de sua compreensão divina (CS14).
"Vinho", no glossário, significa: inspiração e compreensão (CS15). Metaforicamente, Jesus substituiu uma imagem de falta com a inspiração de compreensão espiritual. Sua clareza de pensamento permitiu uma mudança de ponto de vista. Isto vale para todos. Eddy orou para este poder transformador do Cristo estar presente em cada um de nós (CS16). Quando vemos a vida de uma base espiritual, em vez de uma base material, “alcançamos a realidade da Vida, o controle da Alma sobre os sentidos, e percebemos o Cristianismo, ou seja, a Verdade, em seu Princípio divino” (CS17).
Lembremos que nós não sabemos se a água nos potes estava limpa. Mas, o Cristo transformou toda ela em vinho. Seja qual for a condição em que sua vida esteja, o Cristo está aqui agora para fazer você uma "nova criatura" (CS18).
Seção 4: Um novo você.
A maneira como pensamos determina cada aspecto de nossa vida. Isso inclui nossa saúde. Para o senso humano, parece que o corpo tem vontade própria. Mas a Ciência Cristã corrige esse erro. Como lemos em Ciência e Saúde (p.416): “O corpo material, a que chamas eu, é mente mortal”. As escrituras nos dizem que temos uma escolha: “Porque não tenho prazer na morte de ninguém [...]. Portanto, convertei-vos e vivei” (B11).
Em Provérbios, também aprendemos que a esperança adiada nos deixa doentes, mas os desejos elevados trazem vida, como uma fonte e, quando a sabedoria assume o comando, nós somos preservados (B12, 13). O apóstolo Paulo também nos impulsiona a não sujeitar nossos pensamentos aos parâmetros mundanos e a sermos transformados para provarmos o desejo de Deus (B14). Essa seção traz uma abundância de breves declarações de incentivo: “Sede fortes, não temais” (B15). Em cada uma delas, aprendemos que temos o poder de mudar nosso ponto de vista e, consequentemente, nossa experiência. A Amplified Bible (Bíblia Amplificada) tem esta versão para a citação de Salmos (69:32,B16): “Vocês que buscam a Deus, questionando-O e exigindo-Lhe [como sua primeira necessidade], deixem que seus corações revivam e vivam!” Nosso livro-texto ajuda a renovar nosso pensamento, lembrando-nos de que a vida nunca depende da matéria ou das condições materiais. O homem é espiritual e “Como [o homem] imagina em sua alma, assim ele é” (CS20) - você é o que você pensa que é. O que poderia ser mais claro que isso? Mas a Ciência Cristã dá um passo a mais - quanto mais compreendemos a nós mesmos espiritualmente, mais a visão espiritual ficará evidente em vidas renovadas e curadas. O que parece ser um corpo doente não é nada mais do que uma crença da mente mortal. A mortalidade recua quando aprendemos que a matéria nunca sustenta a existência (CS21). Vocês já perceberam que perdemos materialidade na proporção em que ganhamos compreensão espiritual? Quanto menos pensamos na matéria, mais possuímos imortalidade.
Nesta época do ano, vemos inúmeros anúncios sobre malhação e como transformar nossos corpos. Nosso livro-texto nos diz que obtemos um corpo melhor quando dominamos a fé na matéria (CS21). Os noticiários estão cheios de relatos sobre os efeitos dos alimentos na nossa saúde. Saber que o corpo está subordinado à Mente rompe todo o medo de que o corpo, ou os alimentos que consumimos, possam nos destruir. Os orgãos corporais e suas funções não têm nada a ver com a vida (CS22). Toda a função de nosso ser está e é governada pela Mente divina. A mente humana não tem poder de criar leis nem de fazer coisa alguma. Temos que ter a convicção de que o corpo não é mantido pelas leis da mente humana, mas sim, pela Mente divina - Deus.
Seção 5: Sempre escolha a Vida.
Para o senso material, parece que o corpo pode tornar-se doente e desligar por vontade própria, sem nossa permissão. Às vezes, aceitamos um prognóstico médico o qual atemoriza informando que temos pouco tempo para viver. Significa que somos obrigados a aceitá-lo? De jeito nenhum - nós sempre temos uma escolha. O salmista escreve: “Não vou morrer; pelo contrário, vou viver e anunciar o que o Senhor Deus tem feito” (B17). Jeremias também promete que Deus vai restaurar a nossa saúde e curar-nos das nossas feridas (B18). Nunca temos que aceitar a doença, a decrepitude ou a decadência como inevitáveis. O poder da Verdade pode nos restaurar completamente – nosso “corpo será forte como era na juventude” [assim como Jó foi curado em Jó 33:25,B19]. Jesus sabia que estávamos impelidos somente a Deus e que Seu "mandamento é a vida eterna" (B20). Falando sobre 2Coríntios 5:17 ( B21), o fundador Metodista John Wesley comenta que, "apenas o poder de Deus pode fazer um cristão", ou como Paulo coloca - "uma nova criatura". Isso significa que tornar-se cristão ou "uma nova criatura" não é simplesmente uma decisão pessoal, mas sim, toda a transformação é iniciada através do poder de Deus que criou o novo homem. A frase "nova criatura" em grego refere-se a algo completamente novo e original. Indica que as velhas crenças materiais desaparecem completamente quando a realidade é compreendida.
Eddy escreve: "A vida é real, e a morte é a ilusão" (CS23). Lembram de que na seção 2 dissemos que a matéria não tem qualquer vida? Isso porque a vida material é uma ilusão e a Vida, Deus, é a única realidade. Provamos isso mantendo a consciência da existência. Eddy esperava que acreditássemos e fôssemos capazes de provar isso. Na verdade, ela sentiu que não havia nenhum jeito de evitar esse fato.
Ela provou isso através de sua prática. Na história do Sr. Clark (CS24), o médico foi completamente tomado pela evidência material e disse a Eddy que "o paciente estava morrendo". Eddy enfrentou a situação sob um ponto de vista totalmente oposto. Ela sabia que nunca temos que sucumbir à doença. Sempre temos a opção da vida e ela fez essa escolha. Não sabemos o que Eddy estava pensando, junto ao leito do Sr. Clark, mas ela deve ter tido uma idéia muito clara da Verdade divina. Em poucos minutos, o Sr. Clark adormeceu e quando despertou disse que se sentia "como um novo homem", livre do sofrimento (CS25). Eddy não sugeriu que ele fosse com calma ou gradualmente se recuperasse. Ela disse a ele para imediatamente levantar-se, vestir-se, e ir comer com a família, e foi o que ele fez, e em duas semanas voltou a trabalhar. Através desta cura e de inúmeras outras, Eddy estava convencida de que a vida é Deus. Esta não era uma questão de vontade humana. Era o humano cedendo ao poder da verdade. Ciência e Saúde diz que precisamos de "um só momento" de realização para a cura ocorrer (CS26). Nesse momento percebemos que a vida é "puramente espiritual, - não está na matéria nem é constituída de matéria" (CS26).
Em CeS a autora nos diz que se sabemos que a doença é incapaz de destruir a vida, então, naturalmente perdemos o medo dela e somos despertados para "uma vida sempre nova" (CS27). Observe que o Sr. Clark disse que se sentia "como um novo homem". Esse é o ponto chave. Ser curado [-- "uma cura total" -- conforme o Cristo faz para um homem no sábado, em João 7:23] não se refere a estar voltando a ser um mortal saudável. Ele está sendo criado de novo.
Seção 6: Despertar para o dia de Deus.
Este "momento" da realização espiritual, referido na citação CS26, é por vezes referido como acordar com "o dia do Senhor" - "o dia que o Senhor fez" (B22). O dia de Deus é o único dia que existe. O dia de Deus é a realidade da Vida. Isaías diz que o despertar para a compreensão do poder de Deus ilumina a nossa consciência como se num só dia brilhasse a luz de sete dias (B23). Neste dia de realização, a morte, a doença, a tristeza, a perda, a dor e o choro desaparecem no nada. Todos os nossos velhos medos e preocupações desaparecem de vista. Tudo é novo.
Nosso livro-texto discorre sobre esse momento de realização como um "vislumbre antecipado da eternidade" (CS28). Quando mantemos e sustentamos o ponto de vista espiritual, a crença da morte desaparece totalmente e nós despertamos para a realidade da existência espiritual e da vida eterna. Este despertar para a vida eterna descreve a Ascensão – que é o despertar para a Vida em Deus. Quando o senso espiritual toma conta, todo tempo e espaço material se dissolvem (CS29). Este é o dia de Deus, em que não há "nenhuma noite". Uma vez mais, percebemos que a mortalidade desaparece em proporção direta conforme a eternidade e a nova vida são reveladas e compreendidas (CS30). Podemos começar a atingir esse despertar final para a nova vida seguindo as instruções que nos foram dadas no início desta Lição Sermão. A partir de hoje, podemos nos esforçar a não nos apoiarmos na compreensão humana, mas em Deus, "o infinito sustentador" (CS31). Na proporção em que o fizermos, seremos renovados e "uma vida sempre nova" abrirá o caminho para bênçãos infinitas.
_________________
Este estudo metafísico foi preparado por By Craig L. Ghislin, C.S. Glen Ellyn, Illinois (Bartlett) - EUA - craig.ghislincs@icloud.com / (630) 830-8683
A equipe de tradução para o português é composta por Ana Paula Wagner, Dulcinea Torres, Elisabeth Z. Friedrichs, Leila Kommers e Ovídio Trentini, com a leitura final por Orlando Trentini, CSB. Visite o site www.trentinicsb.com. Ali encontrará esta tradução e as anteriores para estudo, para baixar e partilhar esse copo de água fresca com seus amigos.
Os estudos metafísicos dos Cedros sobre o estudo diário da Lição Bíblica da Ciência Cristã, contendo ideias de aplicação metafísica, são oferecidos, durante todo o ano, para que os amigos da Ciência Cristã vejam e demonstrem o grande valor do estudo diário da LB.
Os Cedros são um complemento para a LB. O estudo em inglês será postado, no link abaixo, na 2a. feira. Sua tradução para o português será postada até a 3ªfeira. Busque e leia o texto em inglês em http://www.cedarscamps.org/metaphysical
________________________________
“Quando o Senhor tratar as feridas de seu povo e curar os ferimentos [...],
a lua brilhará tanto como o sol, e a luz do sol será sete vezes mais forte,
como se num só dia brilhasse a luz de sete dias” (Isaías 30:26, NTLH)

Metaphysical

Christ Jesus shows how to overcome all challenges! - It’s difficult to imagine another...
Latest Lesson Application Idea

Newsletters

Get free weekly uplifting newsletters (available in English, Spanish, French, German and now in Portuguese!)
Subscribe or Update Subscription

Facebook

Find CedarS on Facebook for the latest news, heart-warming fruitage, facility upgrades and more!
Go to the CedarS' Facebook Page