Cedar Camps

Metaphysical Ideas

Search Metaphysicals
 

Metaphysical Newsletters

The weekly Metaphysical Newsletter is provided to campers, staff, alumni, friends and the CedarS family at no charge however contributions help defray the costs of running this service.

Click here for more about how you can provide support!
 

Delivered to You FREE!

Available in five languages, get it delivered to your inbox weekly!

Subscribe Now!

Aceite Deus como a única Causa e o único Criador e veja que não existe mistura de bem e mal na criação. Estudo Metafísico do Acampamento dos Cedros - Tema: Deus, a causa única e o único criador.

Kerry Jenkins, C.S., House Springs, MO
Posted Monday, November 28th, 2016

CIÊNCIA CRISTÃ - LIÇÃO BÍBLICA

[Aceite Deus como a única Causa e o único Criador e veja que não existe mistura de bem e mal na criação.]

28 de novembro a 4 de dezembro de 2016

Deus a Causa única e o único Criador

__________________________________________________

Abreviações: Bíblia – B; Bíblia na Nova Tradução na Linguagem de Hoje – NTLH;

Bíblia Mensagem - MSG; Ciência Cristã – CC; Ciência e Saúde – CS; Lição Bíblica – LB

__________________________________________________

Nunca prestei muita atenção ao fato de que a Sra. Eddy usa a palavra "único/a" na afirmação da Lição Bíblica desta semana. Este poderia, entretanto, ser o ponto principal desse tema. Bom saber que Deus cria e causa coisas, mas o fato de que Deus é o único Ser no comando da causa e da criação, bem, esta é uma distinção importante. Todo o resto que se diz capaz de ser um criador "[…] é mentiroso e pai da mentira" (João 8:44). Eddy diz em sua Mensagem '02 que "A metafísica divina não concorda com nenhuma origem nem causa que não seja de Deus" (7:1-3). Talvez aceitemos a "unicidade" de Deus como a causa e o criador aos poucos, à medida que vamos demonstrando este glorioso fato ao seguirmos o modelo de Jesus. A Lição Bíblica desta semana revela vários exemplos da vida do Mestre que nos esclarecem esta única causa e única criação. Especificamente, é imperativo para nosso progresso espiritual que obtenhamos uma compreensão mais profunda de nossa própria origem espiritual (do homem) (CS2, p.170). Quando conhecemos melhor a Deus como essa Causa e Criador, acabamos por conhecer a Sua criação, o homem, com mais clareza. E juntamente com a aceitação de Deus como a única Causa e o único Criador está a compreensão de que não existe mistura de bom e mau, de espiritual e material nessa criação.

Lemos no Texto Áureo, em Apocalipse 15:3, "Grandes e admiráveis são as tuas obras, Senhor Deus, Todo-Poderoso". O todo-poderoso é o único poder que existe. O fato de que este poder cria coisas "grandes e admiráveis" indica, para mim, que o Todo-poderoso também deve ser todo o bem. O que parece ter outra forma é um produto de um senso falso de criação material. Em nossa Leitura Alternada (Salmos 33:6-9; 146:1,2,5-10), temos a introdução da ideia que é, posteriormente, ampliada em João 1:1-3 (B1, João 1:1) sendo o Criador todo-poderoso representado como "o Verbo". Pense na criação através do "verbo". Embora o "verbo" represente o pensamento do Cristo, e Deus, até mesmo em sua vastidão, esta ideia é supremamente simples. Pense em como a matéria sugere sua própria criação. Que processo complicado. E a maior parte das doenças parece ser muito desafiadora para ser tratada com segurança ou certeza. Há muitos fatores que entram no tratamento da doença de acordo com a matéria. Mas a criação pelo "Verbo" é a criação que é poderosa, bela, boa, inteligente (espiritualmente), pura e simples.

Seção 1: O homem era "no princípio" o "único" com Deus.

Eddy também nos afirma, na citação CS4 (p. 502), que só há "uma criação". Isso significa que não existe criação “alternativa” nem material, separada e poderosa, com a qual tenhamos de nos haver. A certeza de que isso leva ao progresso espiritual, na verdade, nos conduz mais diretamente do que qualquer outra questão que possamos considerar (CS2, p. 170). E aí? Quando ponderamos nossa causa espiritual, nós estamos realmente nos movendo profundamente no reino da demonstração do domínio sobre toda sugestão do erro. Pense nisso: um acidente sugere que tenhamos um corpo material, frágil, transitório, que obedece às leis materiais da gravidade; a genética nos deixa com uma série de tendências e doenças materialmente herdadas; o envelhecimento expressa a crença de que, como um corpo material, nós decaímos e somos desvalorizados, e assim por diante. Nesta seção, porém, [juntamente com a citação B6 (Isaías 43) na próxima seção], afirmamos que Deus nos criou não apenas "muito bons", mas também com o propósito de louvá-Lo. E Ele nos adornou como "noivo" e "noiva", ou seja, com beleza, alegria e radiância (B4, Isaías 61). Compreender, mesmo que seja um pouco, a nossa origem divina, abre nosso pensamento para as infinitas possibilidades que estão disponíveis para nós como Filhos de Deus.

Seção 2: Porque Deus é o Todo-Poderoso (D.T), o homem (a Sua criação) deve ter domínio.

Domínio é uma palavra de poder. Se o homem tem domínio, ele tem autoridade ou poder sobre tudo o que está ao seu redor. Uma vez que estamos falando do homem de Deus, não estamos falando de dominar a terra, mas, ao invés disso, estamos expressando autoridade sobre todas as crenças relacionadas com a possibilidade de ele ser feito “na” ou “da” matéria. Quando expressamos esta autoridade sobre a falsa crença da criação material ("A teoria mitológica de uma vida material […]" CS10, p.531), descobrimos que temos a cura física, ou o domínio sobre os nossos corpos e o nosso pensamento. Há pouco tempo, nossa família foi visitar um amigo para fazer um piquenique no domingo, depois da igreja. Vínhamos tentando combinar isso havia já muito tempo e em meio a muitos compromissos, de modo que estávamos todos muitos ansiosos por essa visita. Charlie, o nosso filho mais novo, mencionou que não estava se sentindo bem naquela manhã, mas fomos à igreja esperando que o próprio culto pudesse ajudá-lo. Depois da igreja e no caminho para o piquenique, ele começou a chorar. Ele não tinha certeza se conseguiria chegar lá sem ter de parar o carro no meio do caminho. Orei sinceramente sobre a maneira correta de agir; estávamos a poucos minutos de chegar. Então, decidi seguir em frente até a casa do meu amigo e ficar com Charlie em um quarto em separado. No começo, tudo eram lágrimas, um grande balde para o caso de vomitar e também muito medo. Mas então abri o livro Ciência e Saúde e lemos muito lentamente a própria definição de homem (encontrada na citação CS8, p.475), usando o nome de Charlie no lugar de "homem". Quando terminei a primeira leitura, repeti e li com ele tudo novamente. Falamos sobre as centenas de páginas de cura encontradas no capítulo final do livro Ciência e Saúde, as quais ocorreram apenas por meio da sua leitura, de modo que lhe assegurei que ele também poderia ter tal cura. Primeiro, ele parou de chorar, depois colocou o balde de lado, então, saltou para fora da cama, entrou na sala ao lado e comeu um almoço completo, e brincou com nossos amigos com todos os tipos de jogos, tanto dentro como fora de casa. Foi uma expressão inspiradora e rápida de domínio! Deus, o nosso Criador, nos chamou pelo nome (B6, Isaías 43:1,10,21). Ele conhece nossa própria natureza, nossa identidade, porque somos a própria expressão de Seu ser (CS6, pag.470). Como as próprias expressões do "ser de Deus", devemos ter domínio! [E devemos expressar o que a Sra. Eddy identifica como "O Ser de Deus" - "a infinidade, a liberdade, a harmonia e a felicidade ilimitada" (CS, p.481:3).]

Seção 3: Jesus demonstra que a origem espiritual revela o poder de Deus.

Podemos aprender muito sobre nós mesmos como criações puramente espirituais, quando olhamos mais de perto a origem de Jesus. Ele certamente tinha uma posição e concepção únicas (B8, Mateus 1:18,22,23). Mas Jesus também revelou a verdadeira natureza do homem como sendo divinamente derivada, não contaminada pela matéria e seus limites. Pense em todas as doenças e enfermidades que ele curou, até mesmo tendo ressuscitado mortos. Esse trabalho de cura ocorreu por perceber a natureza e a origem espiritual do homem, rejeitando a teoria mitológica deste homem como material ou feito de alguma combinação de matéria e Espírito. É digno de nota que, ainda que Jesus tenha vindo à humanidade no momento exato e na forma correta, ainda assim, o Cristo que ele encarnou, a fonte de seu poder de cura, sempre existiu, eternamente. Temos este exemplo maravilhoso de Jesus citando a profecia de Isaías sobre si mesmo (B10, Lucas 4:16-21) e, ao fazê-lo, mostrando a natureza atemporal dessa criação divina que se desdobra. Deus estava revelando essa compreensão a mais de 700 anos antes do nascimento de Jesus.

Seção 4: A criação de Deus é somente espiritual – somente boa.

Pode parecer difícil aceitar o fato de que há uma só criação. Por certo, parece que vivemos na matéria todos os dias. Mas a sugestão de uma mistura de Espírito e matéria, bem e mal é uma armadilha que nos afasta de nosso domínio inerente para onde reina a escravidão/servidão. “Toda boa dádiva e todo dom perfeito são lá do alto […]” é aqui uma afirmação de origem divina (B13, Tiago 1:17). A analogia da Bíblia entre a mistura de água amargosa e doce, ou da figueira que produz azeitonas é muito útil (B12, Tiago 3:11,12). São propostas ilógicas e impossíveis. Da mesma forma, a cura espiritual não tem nada, em absoluto, a ver com tornar a matéria mais saudável ou o homem material mais espiritual. A cura se apoia na compreensão de nossa causa espiritual (CS2, p. 270). Nós não tentamos espiritualizar ou purificar a matéria – é impossível! Nós nos elevamos acima das sugestões do “homem” material, demonstrando como Jesus fez, que o homem é, de fato, uma criação espiritual ilimitada. Essa criação expressa a harmonia e perfeição do Criador. A matéria nunca pode misturar-se ao Espírito. O homem é totalmente espiritual.

Seção 5: Nosso domínio se estende ao alimento

O alimento é só um exemplo que parece dominar um bocado o pensamento. E também não é uma consideração só dos dias modernos. A citação de Mateus em B21 (Mateus 6:25), é famosa por admoestar: “Não andeis ansiosos pela vossa vida, quanto ao que haveis de comer ou beber”. Tenho certeza que Jesus não teria citado isso se não fosse um desafio em sua época. Depois, a Sra. Eddy relata um exemplo de sua época de um caso de desordem alimentar (CS23, p. 221). Sabemos, com certeza, que teorias dietéticas são mais do que abundantes, e que tais desordens são um lugar-comum junto com toda sorte de outros receios sobre alimentação. Mas nesta seção somos presenteados com o remédio espiritual para tais temores e desordens. Nós podemos usar crescente compreensão de nossa origem divina para demonstrar nosso domínio sobre essa sugestão de que o alimento seja espetacularmente benéfico ou horrivelmente prejudicial à nossa existência. Uma receita (desculpe por essa palavra de alimento) brilhante para vencer pensamentos obcecados por alimento pode ser vista na citação CS26 (p. 268). Isso é uma crença em uma base material – origem material – da qual temos que desviar nosso olhar. Quando conscientemente nos volvermos a Deus para nossa satisfação, provisão, sustento, saúde, veremos que o alimento deixará de confundir nosso pensamento. Novamente, uma compreensão mais clara de nossa causa espiritual eleva nossa experiência.

Seção 6: A causalidade spiritual vence.

Nossa origem spiritual é vitoriosa sobre o modelo material de vida porque é a verdade. Esse modelo é infinito no escopo e ilimitado na expressão. Quanto mais compreendermos que somos uma ideia espiritualmente concebida e divinamente expressa, mais habilidade teremos para curar a desarmonia em qualquer circunstância. Estaremos vislumbrando mais de nosso inerente domínio e autoridade. Nós nos tornamos melhores seguidores de Cristo Jesus. E que melhor maneira de compreender, nesta época, a história de Natal em suas raízes?!

_________________

Este estudo metafísico foi preparado por Kathy Fitzer, CS314-323-4083 kathyfitzer@gmail.com

A equipe de tradução para o português é composta por Ana Paula Wagner, Dulcinea Torres, Elisabeth Z. Friedrichs, Leila Kommers e Ovídio Trentini.. Visite o site Associação dos Alunos de Ciência Cristã do Professor Orlando Trentini, CSB. Ali encontrará esta tradução e as anteriores para estudo, para baixar e partilhar esse copo de água fresca com seus amigos.

Os estudos metafísicos dos Cedros sobre o estudo diário da Lição Bíblica da Ciência Cristã, contendo ideias de aplicação metafísica, são oferecidos, durante todo o ano, para que os amigos da Ciência Cristã vejam e demonstrem o grande valor do estudo diário da LB.

Os Cedros são um suplemento para a LB. O estudo em inglês será postado, no link abaixo, na 2a. feira. Sua tradução para o português será postada até a 4ªfeira. Busque e leia o texto em inglês em http://www.cedarscamps.org/metaphysical.

Metaphysical

Find out what it takes to follow the Master Christian! - We have to be willing to leave the...
Latest Lesson Application Idea

Newsletters

Get free weekly uplifting newsletters (available in English, Spanish, French, German and now in Portuguese!)
Subscribe or Update Subscription

Facebook

Find CedarS on Facebook for the latest news, heart-warming fruitage, facility upgrades and more!
Go to the CedarS' Facebook Page