Cedar Camps

Metaphysical Ideas

Search Metaphysicals
 

Metaphysical Newsletters

The weekly Metaphysical Newsletter is provided to campers, staff, alumni, friends and the CedarS family at no charge however contributions help defray the costs of running this service.

Click here for more about how you can provide support!
 

Delivered to You FREE!

Available in five languages, get it delivered to your inbox weekly!

Subscribe Now!

Respondam ao chamamento ao discipulado! Sigam nas pegadas do Guia! Estudo Metafísico do Acampamento dos Cedros - Tema: Cristo Jesus.

Kathy Fitzer, St. Louis, MO & Park City, UT
Posted Monday, February 22nd, 2016

CIÊNCIA CRISTÃ - LIÇÃO BÍBLICA
“Bem-vindo às Lições Bíblicas da Ciência Cristã!
Deus é Tudo e Ele tem grande amor por toda Sua criação. Esse fato e nosso amor por Ele, por nosso próximo e por nós mesmos, constituem a essência das Lições Bíblicas. Elas proporcionam um mergulho profundo nesse amor, e isso tem trazido cura, conforto, reforma e regeneração às pessoas há várias gerações.
Portanto, mergulhe profundamente você mesmo [no estudo] das Lições Bíblicas e no amor de Deus! À medida que o fizer e, especialmente, na proporção em que viver esse amor, dia após dia, até mesmo, momento a momento, você verá a cura e os benefícios que dela resultam, ajudando não só a você mesmo, mas a todos que cruzarem seu caminho” (Livrete Trimestral da Ciência Cristã, p1).
O Acampamento dos Cedros preparou este Estudo Metafísico para auxiliar na sua compreensão do estudo da Lição Bíblica que é estudada diariamente em 18 línguas, incluindo agora o chinês, em todo o globo, cujo tema para a semana de 22 a 28 de fevereiro de 2016 é:
CRISTO JESUS
Respondam ao chamamento ao discipulado! Sigam nas pegadas do Guia!
Abreviações: Bíblia – B; Bíblia na Nova Tradução na Linguagem de Hoje – NTLH; Bíblia Mensagem - MSG;
Ciência Cristã – CC; Ciência e Saúde – CS; Lição Bíblica – LB
Esta lição debulha passo a passo o que é necessário para ser um discípulo (um estudante e seguidor) do Cristo. À medida que lerem cada seção, reparem na exigência sob o foco. E lembrem-se das recompensas de aprender a viver e curar como Jesus fez. Considerem o extraordinário convite estendido a cada um de nós no Texto Áureo (Mateus 19: 21): “...vem e segue-me”. Se você estivesse na presença de Cristo Jesus e ouvisse as palavras: “Vem e segue-me!”, como você responderia? Essa pergunta não é tão hipotética, na verdade, porque o Cristo, “a divina mensagem de Deus aos homens”, está constantemente falando à consciência humana com o mesmo convite. Estamos nós dispostos a deixar uma bagagem material que só nos atrapalha e mantém acorrentados a uma visão limitada, e a seguir a Palavra de Deus? Por acaso hesitamos, ou até nos afastamos, por não estarmos prontos para tal comprometimento? É importante respondermos sinceramente e deixarmos que nossos reais desejos e amor a Deus governem nossas ações. Esta lição nos mostra que quando estamos dispostos a seguir o Cristo (a voz da Verdade), temos tudo o que precisamos para curar o que quer que cruze nosso caminho. O que poderia ser mais importante ou recompensador do que isso?

Leitura alternada (Isaías 21: 2-4, 6, 14, 15, 20-22; Romanos 8: 35, 37). Acho que não sou a única pessoa a sentir, de vez em quando, certa afinidade com Pedro. Jesus já havia se mostrado anteriormente aos discípulos em duas ocasiões, mas Pedro e os outros discípulos sentiam-se desgarrados e desorientados - talvez até abandonados. Eles não haviam antecipado que seu mestre tinha sido tomado deles depois de três curtos anos. O que fazer agora!? Alguém que tenha perdido um mentor espiritual talvez tenha sentido a mesma coisa. Vem a tentação de deixar tudo de lado e voltar ao que fazia antes. Mas, como no caso dos discípulos, talvez não encontremos a mesma satisfação de antes. Podemos aprender uma grande lição com a mensagem que Jesus deu a seus discípulos na manhã em que haviam voltado a pescar. (1) - Jogar a rede para o lado direito. Isto é, olhar para a direção certa — para Deus, em vez da pessoa, para dar-lhes o que precisavam. Os discípulos estavam dispostos a obedecer a instrução de Jesus, embora a lógica fosse não apanhar nada depois do raiar do dia — ainda mais que não haviam apanhado nada durante a noite. Também nós podemos jogar longe a lógica e ter a coragem de mudar metaforicamente para como e onde lançamos nossas redes. (2) - Por acaso amamos mais a Verdade do que a minúcia de nossa vida diária? Jesus incluiu uma exigência com esta ordem: mostrem seu amor compartilhando sua compreensão por meio da cura. (3) - Preocupem-se com seus pensamentos — e não com os dos outros. Jesus fez exigências a seus discípulos, mas ele compreendia o que Paulo mais tarde destrinchou, que podemos escolher seguir o Cristo porque temos o amor dele conosco. Nada pode separar-nos desse amor sustentador e, portanto, podemos vencer tudo o que tenta nos vencer.

Seção 1: Segui (e permanecei) na luz divina como apresentada e demonstrada por Jesus.
Quando estamos trancados na escuridão, a luz é uma visão muito bem-vinda. Desejosos de escapar da escuridão, nós naturalmente seguimos a luz (na esperança de que nos leve para fora do túnel ou caverna). A Bíblia usa a analogia da luz ao descrever o alvorecer do Cristo na consciência humana. (Ver citações B1, Isaías 9:2, e B6, 2 Coríntios 4:6). Deve ter sido a luz do Cristo incorporada tão perfeitamente em Jesus que atraía homens e mulheres e os impelia a deixar de lado o que faziam para seguirem a Jesus. Lemos na Bíblia que muitos foram os curados, mas muito poucos os que se sentiram movidos pela luz do Cristo a assumirem o compromisso de segui-lo. Embora nossos nomes não venham a constar na Bíblia, façamos um compromisso semelhante de nos juntarmos a esse grupo de fieis seguidores. Lemos que algumas mulheres “lhe prestavam assistência com seus bens” nas necessidades humanas de Jesus. Hoje em dia, dar assistência ao Cristo não é só receber o que a luz tem a oferecer, mas também servir e apoiar tal luz, provendo um lugar para ela em nossa vida para que possa ser demonstrada em curas. Ser um discípulo exige participação de coração. Jesus (o homem humano) apresentou o Cristo (a ideia divina) de modo mais claro que qualquer outra pessoa antes ou depois (CS2, p. 333). Mas, esse Cristo — a ideia espiritual ou reflexo de Deus — é tão presente e poderoso hoje como sempre foi. O Cristo é eterno. Eddy fala do Cristianismo que Jesus ensinou, como “a demonstração do Amor divino, que expulsava o erro e curava os doentes” (CS3, p. 135). Gostei da explicação de Marjorie Dagnall que apareceu na Seção Perguntas e Respostas do Journal de Agosto de 2012: Você pode explicar a frase “ciclos da luz divina”? Ela se referiu a essa definição de ciclo como “círculo”— como a roda de uma bicicleta. Ela então confrontou a crença em ciclos como ‘sobe-desce’ (altos e baixos) e falou deles como sempre progressivos. Deu como exemplo: se um ponto branco fosse marcado numa roda de bicicleta dando voltas, o ponto sempre ficava avançando enquanto a bicicleta se movia. O artigo também continha a seguinte explicação, que me parece muito útil: “Assim, a luz do Amor continuamente evidencia — por meio da revelação — o universo da contínua demonstração da Mente”. Contínua = sem interrupção. E assim, a cura que vem de seguir e servir ao Cristo é tão demonstrável hoje como era no tempo de Cristo Jesus, quando continuamos a reconhecer o ciclo sempre-progressivo da luz.

Seção 2: Cure com a autoridade de Deus - a fonte da luz de Cristo.
Com grande humildade, Jesus foi sempre rápido em direcionar a atenção de seus seguidores de volta ao Pai - a fonte de luz e de todo o bem que surgiu a partir da luz (B7). Jesus ordenou aos seus discípulos que compartilhassem a boa notícia de que o Reino de Deus é uma realidade presente. Uma vez que esse fato é percebido, os doentes são curados, os leprosos (a impureza) purificados, os mortos (e todos os fins mortais) ressuscitados e os demônios (as falsas sugestões e tentações) expulsos! Por que eles (e nós) devem fazer isso? O que tem sido recebido de graça, precisa ser compartilhado livremente. Como podemos pensar sobre o comando para não entrar no "caminho dos gentios"? (B8) Certamente, os discípulos de Cristo (especialmente Paulo) finalmente aventuraram-se para fora das terras dos judeus. Phillips traduz esta frase como "Não se desviem em qualquer das estradas pagãs". Isso faz sentido para mim - um aviso para manter a consciência incontaminada pelas falsas crenças; tomando cuidado para não adulterar a pura palavra da Verdade. Eddy interpretou a ordem de Jesus de "Pregai o evangelho a toda criatura", como o comando de "Dize a verdade a toda a forma de erro" (CS7).
Será que Jesus teve a intenção de revelar o princípio da cura que ele tão bem demonstrou limitado a seu tempo, ou para uma determinada região? Improvável (CS8). Então, talvez nós precisemos continuar a expandir o nosso senso da ordem de Jesus para que não limitemos de forma alguma tudo o que Deus pode curar - e o que podemos esperar ver curado. Voltamos a ter referências à luz nesta seção. "A cura física pela Ciência Cristã resulta hoje, como no tempo de Jesus, da operação do Princípio divino, ante o qual o pecado e doença deixam de ter realidade na consciência humana e desaparecem tão natural e tão necessariamente como a escuridão dá lugar à luz e o pecado à reforma” (CS10). Acaso duvidamos que a escuridão desapareça quando a luz estiver está acesa? Então, por que duvidaríamos de que uma imagem escura do pensamento (embora expressa fisicamente) será curada quando o erro for confrontado com a luz do Princípio divino? "Uma influência divina sempre presente na consciência humana,” reconhecendo a constante presença de "Emanuel, ou Deus conosco" permite que a autoridade divina - e fonte de luz de cura - expurgue tudo o que é diferente de Deus, da consciência e da experiência. O Princípio divino - o que dá autoridade ao homem sobre o mal, e a fonte de todo o bem - é sempre operacional e demonstrável!

Seção 3: Deixe tudo para seguir a Cristo.
As exigências feitas nesta seção podem parecer muito difíceis. Jesus fez exigências radicais aos seus discípulos. Deveriam eles abandonar um sentido tradicional de casa e de família? O dever de enterrar os mortos era obrigatório para todos os judeus devotos. No entanto, Jesus disse para deixar isso para aqueles preocupados com a morte (mortalidade), enquanto os discípulos estavam preocupados com a vida - o reino de Deus. Ele os mandou ir sem olhar para trás. Afinal de contas, olhar para trás faz com que fique impossível avançar em uma linha reta (B10). Eddy também faz exigências rigorosas sobre os discípulos modernos. "Mas só a sinceridade, o Cristianismo, a perseverança e a renúncia ao ego obtêm a recompensa, como geralmente acontece em todos os setores da vida" (CS15). Mas, nós temos uma escolha. Nós podemos nos sentir sobrecarregados por todas as coisas que pensamos ter de desistir - ou nos alegrar com as recompensas que acompanham a escolha de sair da matéria para o Espírito. Tentar dividir nossa fidelidade nos deixa totalmente desequilibrados - sendo puxados em uma direção e em seguida noutra. É de grande ajuda ficarmos satisfeitos em “deixar os falsos pontos de referência” e termos “a alegria de vê-los desaparecer” (CS14). À medida que progredimos em qualquer empreendimento da vida, deixamos para trás as coisas que costumavam parecer importantes, e ficamos prontos para novos desafios. É natural - e daí resultam novos, e ampliados pontos de vista e experiências. O que realmente significa "tome a [nossa] cruz"? Em termos mais simples, podemos pensar na cruz como um símbolo de autosacrifício (Dicionário Bíblico de Hastings). Em vez de ser dito que temos que carregar uma cruz como punição, nós temos que escolher sacrificar um sentido mortal de ego (negar "as reivindicações da matéria") em troca das "alegrias da Alma". Assim, superamos as limitações da matéria passo a passo (B9 & CS13). Como discípulos de Cristo e estudantes da Ciência Cristã, estamos em guerra contra o erro (CS12). E, a vitória estará garantida quando deixarmos de lado toda a crença em uma realidade diferente do bem, Deus e Seu reflexo. “Há um único caminho para o céu, para a harmonia – e o Cristo, na Ciência divina, nos mostra esse caminho. Consiste em não reconhecer nenhuma outra realidade – em não ter nenhuma outra consciência de vida – a não ser o bem, Deus e sua reflexão, Seu reflexo, e em elevar-nos acima das chamadas dores e prazeres dos sentidos”(CS13). O mundo dirá que ser um cristão e um Cientista Cristão é difícil! Mas, quando fazemos o que é necessário para romper os limites da crença mortal e obter um vislumbre da realidade do ser espiritual harmonioso, vale a pena o esforço! E nós nunca estamos sozinhos! Nós podemos compartilhar livremente o jugo do Cristo. Como Jesus disse: “Os deveres que eu exijo de vocês são fáceis, e a carga que eu ponho sobre vocês é leve” (Mateus 11:30).

Seção 4: Reconhecendo a Verdade.
Jesus destacou que ser um discípulo inclui continuar a viver de acordo com os seus ensinamentos - ater-se à palavra de Deus que Jesus pregava e vivia - e que cura. Jesus prometeu que, quando as pessoas seguissem na Palavra de Deus, elas conheceriam a Verdade e esta Verdade as libertaria (B13). Embora os judeus associassem liberdade com uma definição limitada de não ser escravos, o Salvador certamente a via em um contexto mais amplo de estar livre do pecado, da doença e da morte. Nesta seção, temos a história de um homem que chega a Jesus e pede-lhe que cure seu filho que sofre de convulsões. Jesus estava voltando da transfiguração com Pedro, Tiago e João e ficou sabendo que os outros discípulos não conseguiram curar o jovem. Jesus, por sua vez, "repreendeu o demônio" e o garoto foi imediatamente curado. Os discípulos perguntaram por que eles não foram capazes de curar o garoto. Sei que muitos de nós lutamos com a mesma questão quando, apesar de nossos melhores esforços, nossas orações não resultam em cura - quer por nós mesmos, quer por outra pessoa. Em resposta aos questionamentos dos discípulos, Jesus falou sobre a necessidade da fé, da oração e do jejum (B14). Uma pergunta que podemos fazer a nós mesmos é "Em que estamos colocando nossa fé: em nossas habilidades e nossa compreensão OU na fé em Deus, a fonte de todo o bem? É um requisito para podemos invocar o poder de Deus conosco. Eddy descreve três fatores que compreendem a "oração que reforma o pecador e cura o doente" (CS18).
(1) "Uma fé absoluta em que tudo é possível a Deus". Esse é o PRIMEIRO! Depois,
(2) "uma compreensão espiritual acerca dEle" e, finalmente,
(3) "um amor isento de ego".
O único lugar em que encontrei alguma referência à palavra unselfed (despojado de ego), quando pesquisei no Google, foi no contexto da Ciência Cristã. Não encontrei em nenhum dicionário. Significa um amor que transcende um senso humano de amor e coincide com o Amor divino. Se desejar explorar mais esta ideia, este artigo é bem interessante: What Is Unselfed Love? de Barbara Blech Dunbar, publicado no Christian Science Journal de julho de 1973 (em inglês). No contexto dos ensinamentos de Jesus, não poderíamos pensar no amor despojado de ego em termos de "jejum" - jejum de toda crença em uma individualidade separada de Deus? Quando seguimos os ensinamentos e o exemplo de Jesus, o pensamento fica "em linha com o amor despojado de ego" e "o poder divino" irradia e a cura acontece. Sempre obtenho grande conforto com a declaração: "se a tua fidelidade equivaler à metade da verdade em que se apoia tua defesa, curarás os doentes" (CS21). Precisamos nos agarrar "firmemente à verdade do existir" e "fazer nossa defesa com uma convicção sincera", sabendo que DEUS, a VERDADE, é que cura. Quando amarmos a Deus supremamente, veremos a cura.

Seção 5: Sua expressão de amor é o que define você como um discípulo.
A quinta seção tem apenas uma citação bíblica, mas é bem poderosa. Ela inclui o mandamento de amar uns aos outros como Jesus amou! E, em seguida, especifica como os discípulos deveriam ser reconhecidos como seus discípulos - pelo amor que eles demonstram por seus companheiros (B15). Não seria pela maneira como curavam? Bem, a cura será natural uma vez que o discípulo tenha aprendido a modelar em si o amor despojado de ego de Jesus. Podemos memorizar e repetir toda "verdade" contida na Bíblia e em todos os escritos de Eddy. Mas as palavras não curam. É o Amor, por trás das palavras, - compreendido e praticado - que traz a cura. Quando amarmos a Deus supremamente, nós naturalmente amaremos a prole e toda a criação de Deus. E não há espaço para nada que seja desagradável (qualquer tipo de discórdia) na presença desta expressão do Amor! Quando o Amor ilumina o caminho, toda a escuridão desaparece (CS22). Quando parecer que estamos empacados e não estamos vendo a cura, lembremo-nos de nos afastar do problema - pare de tentar descobrir como consertar algo e simplesmente ore por mais graça. Ore para sentir mais a influência divina e o toque terno do amor infinito do Amor. Humanamente, vivemos este desejo ao expressarmos mais paciência, mansidão e boas obras, e ao nos esforçamos para seguir o exemplo de Jesus em todos os aspectos de nossa vida. E não nos esqueçamos de expressar sinceramente nossa gratidão por Deus e pelo Seu filho (CS25). Onde estaríamos sem o exemplo de Jesus?

Seção 6: Paciência.
Quando as coisas parecem estar difíceis demais de suportar - quando parecemos ser levados ao nosso limite - podemos sempre nos lembrar do exemplo de Jesus. Não importa o quanto o trabalho dele tenha sido bom - não importa quantas pessoas ele ajudou e curou – ele, ainda assim, enfrentou uma perseguição ininterrupta. Popularmente falando, parecia que as coisas para Jesus iam de mal a pior. Porém, mesmo enfrentando o martírio da crucificação, ele sabia que Deus estava sempre com ele! E não desistiu e nem mesmo reagiu. Ele pacientemente enfrentou tudo o que surgiu em seu caminho. Paulo incentivou os hebreus a "correr com perseverança", independente da prova em que se encontrassem - enfrentar qualquer desafio que surgisse. Ele disse: "Mantenham os olhos em Jesus, que começou e terminou a corrida de que participamos. Observem como ele fez" (B17, A Mensagem).
Nunca precisaremos lidar com nenhum desafio que Jesus não tenha enfrentado e que ele não tenha nos mostrado como encarar. Jesus prometeu "não vos deixarei órfãos, voltarei para vós outros" (B19). O que significa isso de "voltar" para nós? É a presença do Cristo - "a ideia verdadeira que proclama o bem". O Consolador vem a esta era como a Ciência do Cristo - "Ciência Divina" (CS6). Quando aceitamos a posição privilegiada de ser um discípulo de Jesus - um discípulo do Cristo - recebemos as bênçãos que Jesus prometeu aos seus discípulos: “Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós outros, me odiou a mim”. Não estamos sozinhos - e temos um exemplo a seguir. Também a promessa "Eis que estou convosco todos os dias — querendo dizer, não só em todos os tempos, mas de todas as maneiras e em todas as circunstâncias" (CS28). Não estamos sozinhos.“O Cristo rasga .o denso véu do erro, e vem abrir as portas da prisão” (hino 412) Aceitemos isso como um privilégio e como nosso dever de "seguir em certo grau o exemplo do Mestre, pela demonstração da Verdade e da Vida, da saúde e da santidade" (CS30). Falamos anteriormente sobre as duras exigências que são colocadas sobre os discípulos. Porém, aqui está o gentil incentivo de que nós podemos conseguir! Mesmo que não estejamos nesse patamar - eu com certeza não estou - precisamos continuar a fazer o que Deus nos criou para realizar e que nos possibilita fazer. Podemos seguir o exemplo de Jesus. E, quanto mais praticamos, mais natural se torna. Pense em algo que você tenha dado duro para aprender e se especializar. As alegrias da realização fazem com que a prática valha a pena. E nada é mais recompensador do que testemunhar o poder sanador de Deus! Então, diga "sim!" ao convite - "vinde após mim.”
_____________
Este estudo metafísico foi preparado por Kathy Fitzer, CS of Lake St. Louis, MO and Park City, UT - kathyfitzer@gmail.com 314-323-4083.
A equipe de tradução para o português é composta por Ana Paula Wagner, Dulcinea Torres, Elisabeth Z. Friedrichs, Leila Kommers e Ovídio Trentini, com a leitura final por Orlando Trentini, CSB. Visite o site www.trentinicsb.com. Ali encontrará esta tradução e as anteriores para estudo, para baixar e partilhar esse copo de água fresca com seus amigos.
Os estudos metafísicos dos Cedros sobre o estudo diário da Lição Bíblica da Ciência Cristã, contendo ideias de aplicação metafísica, são oferecidos, durante todo o ano, para que os amigos da Ciência Cristã vejam e demonstrem o grande valor do estudo diário da LB.
Os Cedros são um complemento para a LB. O estudo em inglês será postado, no link abaixo, na 2a. feira. Sua tradução para o português será postada até a 3ªfeira. Busque e leia o texto em inglês em http://www.cedarscamps.org/metaphysical.

Metaphysical

True Freedom Comes from Spirit! - Everyone wants to feel true joy, love, wisdom, energy. We...
Latest Lesson Application Idea

Newsletters

Get free weekly uplifting newsletters (available in English, Spanish, French, German and now in Portuguese!)
Subscribe or Update Subscription

Facebook

Find CedarS on Facebook for the latest news, heart-warming fruitage, facility upgrades and more!
Go to the CedarS' Facebook Page