Cedar Camps

Metaphysical Ideas

Search Metaphysicals
 

Metaphysical Newsletters

The weekly Metaphysical Newsletter is provided to campers, staff, alumni, friends and the CedarS family at no charge however contributions help defray the costs of running this service.

Click here for more about how you can provide support!
 

Delivered to You FREE!

Available in five languages, get it delivered to your inbox weekly!

Subscribe Now!

Desperte do sonho de vida na matéria. Progrida na realidade de nossa origem espiritual! Estudo Metafísico do Acampamento dos Cedros - Tema: Adão e a queda do homem.

Kerry Jenkins, C.S., House Springs, MO
Posted Monday, October 30th, 2017

CIÊNCIA CRISTÃ - LIÇÃO BÍBLICA

[Desperte do sonho de vida na matéria. Progrida na realidade de nossa origem espiritual!]
30 de outubro a 5 de novembro de 2017
Adão e a queda do homem

__________________________________________________
Abreviações: Bíblia – B; Bíblia na Nova Tradução na Linguagem de Hoje – NTLH;
Bíblia Mensagem - MSG; Ciência Cristã – CC; Ciência e Saúde – CS; Lição Bíblica – LB
__________________________________________________
Na lição desta semana, somos convidados a “despertar” e “sacudir” o “pó” da história de uma falsa origem. A forma como compreendemos nossa origem é a chave para encontrarmos harmonia duradoura e genuína, além de alegria e vigor. Como o diz a Sra. Eddy em CeS: “A causalidade espiritual é a única questão a considerar, pois mais do que todas as outras, a causalidade espiritual tem relação com o progresso humano” (CS5, p. 170). Como vamos sacudir esse falso senso de uma vida confinada completa ou parcialmente é exatamente a questão do tema desta semana. Vamos a ele!
O Texto Áureo (Isaías 52: 1, 2: “Deserta, desperta, [...] Sacode-te do pó”) ordena que despertemos e paremos de viver, ou nos satisfazer, no sonho da existência material. Este é o “sonho adâmico” mencionado em Gênesis 2 (B5, Gen. 2:21-23). Mais adiante é ordenado que “sacud[amo-nos] do pó”. Podemos nos livrar de qualquer pensamento que intente obscurecer nossa verdadeira identidade de semelhança a Deus; podemos nos livrar de qualquer coisa que cause dúvida, vergonha ou obscureça ou confunda nosso pensamento a respeito do homem ou de Deus. O homem verdadeiro é o “novo”, o qual feito à imagem e semelhança de Deus: ‘...em retidão e verdadeira santidade” (Leitura Alternada, Efésios 4:24; 1 Cor 15:22, 48-50, 57, 58). Somos feitos à Sua imagem; assim, somos santos e justos. Esse homem semelhante a Cristo, nossa percepção de nossa identidade semelhante o Cristo, põe o ‘sonho adâmico’ no lixo da falsidade. Em Adão, somos condenados a morrer. Em Cristo, experimentamos a vida, a vida que jorra da Vida/Deus (B16, 1Cor15:22, 55,57; CS24, p. 545). Não podemos nos ‘espiritualizar’ na matéria. (É por isso que temos de nos ‘sacudir’ e nos livrar da ideia da matéria!) É impossível reconciliar a verdadeira criação com a falsa. Como diz na LA: “…a carne e o sangue não podem herdar o reino de Deus, nem a corrupção herdar a incorrupção.” O que fazemos por Deus, vivendo como o homem semelhante a Cristo, e não de acordo com a matéria é útil e produtivo, nosso ‘trabalho não é em vão”, como diz no final da LA. Levar uma vida produtiva e cheia de progresso, envolta no amor divino, é viver em Cristo. Esta é a única origem verdadeira, e que promove o progresso.

Seção 1: Não existe “mas” na criação espiritual!
Gosto de ver como a criação em Gênesis 1 é completa. Não há nenhum “mas uma neblina subia da terra”. Essa declaração completa da criação da citação B1 é a “simplicidade e pureza devidas a Cristo” (B8, 2Cor11:3). Embora seja conceitualmente simples, é um desafio ao senso material. A Ciência Cristã nos dá as ferramentas para que as coisas sejam esclarecidas, e nos ajuda a ver as coisas por intermédio dos sentidos do Espirito, a Verdade. Não estou dizendo que seja fácil. Mas de uma coisa estou certa, de que o senso material muitas vezes pretende tentar-nos com a sugestão de uma resposta mais simples e depois meter-nos em um labirinto de confusão, quando seguimos seu caminho sinuoso. Os efeitos colaterais podem ser páginas e mais páginas de remédios, por exemplo. O “Mas…” do segundo capítulo do Gênesis me lembra dos pensamentos de dúvida e de medo que se intrometem quando estamos trabalhando em alguma cura. Exatamente quando afirmamos nossa perfeição e nos regozijamos, a dúvida se intromete e sugere que: “alguém tossiu na sala de aula; acho que foi lá que peguei um resfriado.” Se voltamos à causação espiritual e lhe damos mais atenção, se começamos como Jesus a partir do ponto Deus perfeito e homem perfeito, então, temos uma base segura a partir da qual progredir. Neste verão, tive uma cura importante com base desse ponto de vista da origem divina, uma causa boa. Havia dois dias, eu lutava com sintomas de dor de cabeça e náuseas. Deixei de fazer várias refeições. Quando liguei para um praticista para apoio metafísico para que eu pudesse seguir no meu próprio trabalho sanador, suas primeiras palavras foram: “Há só uma causa” (significando Deus/o Bem). Despertei na manhã seguinte e acompanhei um grupo numa caminhada de quase 20km, nas altitudes montanhosas, com vigor e alegria. Este é só um exemplo do progresso disponível quando desviamos a sugestão de que derivamos da matéria e estejamos sujeitos a “leis” materiais, quaisquer que sejam.

Seção 2: Não obtenha suas informações por meio de seus sonhos.
Nunca tomaríamos uma decisão no dia-a-dia com base em algo que sonhamos! (OK, talvez se nossos sonhos estiverem ancorados na inspiração espiritual, sim, mas de maneira geral…) De toda forma, a maioria dos meus sonhos não faz sentido algum, e, portanto, isso resultaria em uma existência bem peculiar! A citação CS7 (p. 306) nos diz que “a origem de toda desarmonia humana foi o sonho de Adão, o sono profundo no qual se originou a delusão de que a vida e a inteligência procederam da matéria e nela foram introduzidas.” Toda discórdia humana provém desse sonho da vida na matéria! Isto é muita discórdia humana, e talvez verdadeiramente nos encoraje a olhar para um outro tipo de origem! Podemos pensar a respeito disso como se nos ajudasse a ver que, quando estamos “adormecidos” ou “sonhando”, estamos inconscientes da realidade e criação espiritual que está continuamente se desdobrando. Estamos tendo a experiência do mundo dos sonhos, o mundo da matéria, enquanto que a realidade espiritual e Deus estão se desdobrando ao nosso sentido espiritual, a gama infinita da criação espiritual (CS11, p. 502). Da mesma forma, uma vida que é vista como enraizada em origens materiais, é como um sonho, é irreal. Aprendi nas anotações da My Bible Lesson dessa semana, que a citação B6 (Isa 52:2), que nos: “levanta-te e toma assento”, fala sobre levantar e sentar num lugar de honra, como em um trono. Isto realmente elucida essa passagem. Podemos despertar e levantar do sentido limitado do sonho da vida na matéria, e sentar no trono honroso do homem semelhante ao Cristo. Ali podemos ter a experiência de harmonia da criação espiritual! Isto demanda ação, esforço mental e protesto de nossa parte. Nós nos “elevamos” mentalmente, tomamos nosso lugar no reino do Espírito. Isto acontece agora, e não num tempo futuro. A Criação verdadeira está eternamente desdobrando ideias espirituais, como a Sra. Eddy diz na citação CS11 (p. 502), não num tempo limitado no sonho de vida na matéria.

Seção 3: Para obter o progresso verdadeiro, reconheça a serpente pelo que ela é: o sentido material!
A sugestão da serpente de que devemos "[...] ser como deuses [...]" não é diferente das sugestões do atual sentido material, as quais nos dizem que um conhecimento mais profundo da matéria levará a uma saúde melhor, felicidade, satisfação, inteligência e assim por diante. Sua arrogância é revelada quando afirma que seremos como "deuses"; primeiro, por sugerir que há mais de um Deus e, segundo, que teremos mais conhecimento e estaremos mais felizes se admitirmos que o mal é tão real quanto o bem. A verdadeira natureza de Deus e do homem nunca foram profundamente compreendidas através do conhecimento do mal. O mal não faz parte de nenhuma das duas. A citação CS14 (p. 537) nos faz refletir: você já foi tentado a pensar que seríamos mais "cosmopolitas, legais, atualizados, normais, populares, felizes" e assim por diante, se aceitássemos a crença "simples" de que o mal faça parte da existência? Podemos ganhar um senso temporário de inclusão ao renunciar à visão científica da realidade como sendo todo o bem e totalmente espiritual. Mas, no fim, essa visão é difícil de ser mantida quando baseada na matéria como fonte da existência e do progresso. Muitas vezes, nossa comunhão com o que parece ser esses pontos de vista "normais", leva à vergonha e à subjugação, em vez de à alegria e à liberdade. Isso acontece porque tendemos a ver a nós mesmos como seres "ruins" ou "pecadores". A partir dessa base, não podemos alcançar livremente a nossa verdadeira individualidade porque, ao invés de compreendermos que a nossa verdadeira origem é todo o bem, estamos tentando elevar o nosso sentido material do ego a uma melhor versão desse ego. Isso é muito mais difícil de fazer e, por fim, é um objetivo muito limitado. A Sra. Eddy ressalta que, na alegoria desta seção, é o reconhecimento de Eva do sentido corpóreo como a serpente que lhe permite ser a mulher a primeira a abandonar a crença nas origens materiais do homem e, assim, se tornar a mãe de Jesus, ser a primeira no túmulo a ver o Salvador ressuscitado, a primeira a interpretar as Escrituras em seu verdadeiro sentido [...] (CS13, p. 533). Não desejamos todos nós esse senso progressivo do existir?! Este progresso exige que possamos nos livrar desse falso senso da origem do homem. Gosto muito de saber que temos uma citação (CS15, p. 95) que fala que por ser "Embalado por ilusões entorpecentes, o mundo está adormecido no berço da infância e passa horas sonhando". Eu nunca ampliaria essa ideia de "berço da infância" como sendo um lugar de progresso paralisado. O sentido espiritual revela uma ideia completamente desperta e dinâmica do homem de Deus, ao invés de alguém preso na infância e na apatia. Este é o progresso de um homem que tem sua origem no Espírito.

Seção 4: faça as perguntas corretas e progrida!
Esta seção inclui a história do homem nascido cego. Jesus responde as perguntas dos discípulos sobre a origem desse homem com a afirmação de que estão fazendo a pergunta errada. A cura é sempre sobre o que Deus é e o que o homem é como o reflexo de Deus. Se estivermos nos aprofundando na causa material, na melhor das hipóteses, faremos progressos tortuosos. Isso ocorre porque é como tentar resolver equações matemáticas sem a informação matemática correta. Podemos conectar os números e informações erradas o dia todo e nunca obteremos uma resposta correta. Quando curamos, temos que "conectar" somente aos fatos espirituais e isso inclui apenas uma origem espiritual. Paulo reafirma em B14 (Romanos 8:16, 17) que somos herdeiros e filhos de Deus e co-herdeiros com Cristo! Esse entendimento é progressivo. Em CS18 (476: 32-6) temos essa amada declaração de como Jesus viu “o homem perfeito, que lhe era visível ali mesmo onde os mortais veem o homem mortal e pecador.” É essa visão verdadeira que traz um ajuste em nossa visão, para que vejamos apenas o homem da criação de Deus. Também percebemos que o reino de Deus está sempre "intacto", não é corrompido pela tentação da serpente nem sentido material. Somos livres, então, para nos elevarmos "cada vez mais" a partir desta base espiritual, verdadeira e "ilimitada" (CS19, 258:14-16). Essa é a base do progresso real!

Seção 5: O progresso espiritual não inclui a morte.
Jesus não foi imediatamente ao auxílio de Lázaro, ainda que pudesse ter evitado a morte do amigo. Jesus sabia que o progresso da vida de Lázaro como expressão de Vida / Deus nunca se limitava à matéria. Embora não possamos alcançar essa demonstração, somos convocados como seus discípulos para enfrentar a ideia de que a morte é inevitável. De fato, a vida, tal como criada em Gênesis 1, não inclui a matéria, apenas imagem, semelhança, domínio. Estas são descrições espirituais de um homem que busca a Deus. O sentido espiritual traz isso a cada vez que temos uma cura. Jesus usou a analogia do sono ao descrever a condição de Lázaro e esta não é a primeira vez que ele faz isso (veja Marcos 5 ou Lucas 8). Penso que, em parte, é por isso que essa história sobre o sonho da vida na matéria está incluída nesta lição.
Através de uma visão da criação espiritualmente elevada, podemos superar a sugestão de morte. Vislumbramos a realidade da vida como nunca contida na matéria, em primeiro lugar, portanto, nunca saindo da matéria (CS22, p.75:13). Jesus nos mostrou como podemos progredir em nossa compreensão da vida eterna, demonstrando nossa compreensão de Deus como o Bem, como Tudo, como um criador amoroso do homem espiritual e verdadeiro. Desse ponto de vista, podemos progredir eternamente e infinitamente, em vez de diminuir gradualmente ou precipitadamente por idade, doença ou acidente. A origem espiritual promove o progresso contínuo.

Seção 6: Pecado original ou Deus como a origem de tudo o que é bom e verdadeiro?
O homem não é pecador. Aceitamos isso e as velhas visões do homem como derivadas da matéria se afastam de nós como um sonho. Em seguida, podemos vestir esse "homem novo" a cada dia (B19, 2 Cor. 5: 17). O progresso espiritual brota de um relacionamento ininterrupto com nosso Pai-Mãe. Se parece que essa relação está rompida, é um sinal de que estamos confiando no sentido material para determinar a compreensão de nossa relação com Deus. Esta relação não pode ser alterada de forma alguma, por qualquer coisa. Às vezes, parecemos vagar em um sonho de separação que pode incluir várias tentativas de um viver mais vibrante através do mergulho mais profundo na matéria. Mas isto dá lugar à percepção de que o Amor satisfaz mais profundamente do que a matéria possa reivindicar e muito menos ser. Nossa eterna e satisfatória identidade como homem de Deus é estabelecida, sustentada e impulsionada pelo Amor. Esta identidade sempre se desdobra para nós.
_________________
Este estudo metafísico foi preparado por Kerry Jenkins, CS, House Springs, MO, Kery.helen.jenkins@gmail.com
A equipe de tradução para o português é composta por Ana Paula Wagner, Dulcinea Torres, Igor Souza, Leila Kommers, Ovídio Trentini e William Trentini. Visite o site Associação dos Alunos de Ciência Cristã do Professor Orlando Trentini, CSB. Ali você encontrará esta tradução e as anteriores para estudo, podendo baixar e partilhar esse copo de água fresca com seus amigos.
Os estudos metafísicos dos Cedros sobre o estudo diário da Lição Bíblica da Ciência Cristã, contendo ideias de aplicação metafísica, são oferecidos, durante todo o ano, para que os amigos da Ciência Cristã vejam e demonstrem o grande valor do estudo diário da LB.
Os Cedros são um suplemento para a LB. O estudo em inglês será postado, no link abaixo, na 2a. feira. Sua tradução para o português será postada até a 4ªfeira. Busque e leia o texto em inglês em http://www.cedarscamps.org/metaphysical.


Metaphysical

This is the day the Lord hath made! - ... examples in the third, fourth, and fifth sections...
Latest Lesson Application Idea

Newsletters

Get free weekly uplifting newsletters (available in English, Spanish, French, German and now in Portuguese!)
Subscribe or Update Subscription

Facebook

Find CedarS on Facebook for the latest news, heart-warming fruitage, facility upgrades and more!
Go to the CedarS' Facebook Page