Cedar Camps

Metaphysical Ideas

Search Metaphysicals
 

Metaphysical Newsletters

The weekly Metaphysical Newsletter is provided to campers, staff, alumni, friends and the CedarS family at no charge however contributions help defray the costs of running this service.

Click here for more about how you can provide support!
 

Delivered to You FREE!

Available in five languages, get it delivered to your inbox weekly!

Subscribe Now!

Deixem a luz de Deus revelar a realidade! Estudo Metafísico do Acampamento dos Cedros - Tema: A Realidade.

Kathy Fitzer, St. Louis, MO & Park City, UT
Posted Monday, March 20th, 2017

CIÊNCIA CRISTÃ - LIÇÃO BÍBLICA
Deixem a luz de Deus revelar a realidade!
A Realidade
De 20 a 26-03-2017

_________
Abreviações: Bíblia – B; Bíblia na Nova Tradução na Linguagem de Hoje – NTLH;
Bíblia Mensagem - MSG; Ciência Cristã – CC; Ciência e Saúde – CS; Lição Bíblica – LB
_________
A realidade—como definida por Noah Webster em 1828—é: “verdade; fato; uma distinção da mera aparência.” Quando olhamos para coisas no escuro, elas podem parecer vagas, distorcidas ou parecidas como algo totalmente diferente do que são. Tudo isso muda quando a luz é acesa. A lição desta semana tem foco em Deus como luz—e de como essa luz revela a realidade daquilo que Deus criou em contraposição à distorcida visão mortal. Como nos diz o poema da Sra. Eddy: Manhã de Natal: “Nem nuvem má, nem temporal Teu céu toldou”.
Texto Áureo: (Salmos 18:1, 28; “Eu te amo, ó Senhor, força minha. ... fazes resplandecer a minha lâmpada; ó Senhor, meu Deus, derrama luz nas minhas trevas.”) Estamos nós cônscios, com frequência, de amar a Deus pela luz que Ele derrama em nossas vidas? Lembrâmo-nos de reconhecer Deus como a fonte de nossa força? Isso inclui a força para resistir qualquer coisa que nos tente a sentir separados da luz do Amor. Para mim, um dos melhores presentes que minha compreensão de Deus me deu é o conhecimento de que não preciso depender de minha própria habilidade, força ou compreensão. Deus ilumina nossos pensamentos obscuros e conceitos falsos—e mostra o bem presente. Geralmente apreciamos quando alguém lança luz sobre algum assunto—ou literalmente acende a luz para nós. Talvez até digamos: Te amo por esse favor! Asseguremo-nos de que estamos estarmos reconhecendo Deus—e respondendo de igual modo—por ser o “Deus da luz, o bem” que desfaz as trevas e revela a realidade! (Ver Hino 287).
Leitura Alternada (1 João 1:3, 5; Salmos 118:1, 14, 16, 19, 24, 27-29). João explica que há certas coisas que devemos compreender para termos uma relação íntima (amizade) com Ele e com o próximo. A mensagem central é que Deus é luz e que nEle não há treva nenhuma, nem na criação de Deus. Isso impede que treva de qualquer natureza obscureça nosso pensamento—nada de receios, de desespero, de ressentimentos ou incompreensões, nenhuma tristeza! Deus nos mostrou Sua luz. Ele é nossa força e é nossa tarefa (e direito divino) andarmos na luz, louvá-Lo, e regozijar-nos em Seu dia eternal. Então nossos olhos estarão abertos para tudo o que a luz de Deus revela de Sua criação perfeita e espiritual! “Saúde mental” é um tópico que está recebendo muita atenção nos Estados Unidos—especialmente nas escolas. Orar com a compreensão de que TODOS estão sob a influência da luz de Deus e vivendo no dia de Deus pode ser uma forte influência para o bem na cura dessa imposição. Depressão e luz simplesmente, não podem viver juntas! Expressai constantemente gratidão pela bondade de Deus—antes mesmo de verdes evidências!! Dar graças abre o pensamento para a luz!

Seção 1: Deus criou todas as coisas e separou a luz da escuridão
A criação de Deus está cheia de luz. Lemos de novo: "Deus é luz, e não há nele treva nenhuma" (B3, 1João 1:5). Alguns argumentam que Deus fez a escuridão também. Mas, a Ciência Cristã revela "a totalidade de Deus, o bem, e a nulidade do mal"(CS4, p. 293). Esse entendimento resulta em cura. A luz é o primeiro elemento mencionado na Ciência da Criação dada em Gênesis 1.
Antes disso, somos informados de que a terra estava sem forma e vazia; e a escuridão estava sobre a face da terra. Mas, isso não significa que Deus formou a escuridão. Significa apenas que a luz era necessária para mostrar todo o bem que sempre existiu. Sem luz, não pode haver reflexão. Sabendo que o homem foi feito à imagem e semelhança de Deus (como reflexo), podemos estar certos de que onde está o homem, a luz está! E nada mais que luz! Assim como não podemos ver as coisas claramente no escuro, a bondade de Deus não é vista até que nossos olhos sejam abertos à luz divina. Primeiro a luz, depois a reflexão, depois as "formas espirituais e imortais da beleza e do bem" (CS2, p. 503). Com a luz vem a vida, a orientação, a segurança e a beleza. "e fez separação entre a luz e as trevas" (B1, Genesis 1:4). Através desta separação, Deus assegura-nos que não pode haver interferência de influências da escuridão à luz da bondade de Deus.

Seção 2: A luz da vida traz cura à humanidade e muda a evidência
O segundo verso do hino 460, Siyahamba, lê: "Como nós viramos nossos rostos, para a luz da vida,
A harmonia substitui a dor, o medo e a contenda. Vêem a colheita do céu abundantemente derramada, enquanto levantamos nossas vozes de uma só vez!" Foi através da elevação de vozes a Deus (reconhecendo Seu poder) que o povo Hebreu foi repetidamente libertado da escravidão (B5, Isa 9:2), os gentios vieram a conhecer a Deus (B6, Isa 60:2, 32), e Jesus curou todos os tipos de doenças e ressuscitou os mortos (B9, Marcos 5:22-42).
A filha de Jairo estava morta, era a aparência. Mas essa era a visão distorcida vista no escuro. Jesus resplandeceu a luz de Deus (a luz do Cristo) sobre a situação e viu-se que a Vida sempre foi a realidade. O livro-texto da Ciência Cristã explica que a cura (então e agora) é o resultado da "operação [ou ação] do Princípio divino" (CS6, p. XI). Pode-se pensar no Princípio como uma "causa operante ou uma verdade" (Webster 1828). Quando a consciência está cheia da verdade da bondade e da luz de Deus, a escuridão e o erro do pecado e da doença desaparecem. Será que alguma vez duvidamos que quando uma luz é acesa a escuridão foge? Jesus entendeu assim a operação do Princípio divino, e ele estava sempre absolutamente certo do efeito de cura ao voltar-se a Deus, a Verdade, quando confrontado com qualquer coisa que não correspondesse com a plena expressão da Vida. A fim de raciocinar corretamente, temos de partir da premissa do que é verdadeiramente real. Temos uma grande regra nessa declaração: "A realidade é espiritual, harmoniosa, imutável, imortal, divina, eterna" (CS7, p. 335). São qualidades que podem ser vistas à luz da Verdade. Elas desaparecem na escuridão do erro. Mas, nunca precisamos nos conformar com a escuridão do pensamento.
A morte é a sugestão de que o que é real pode chegar ao fim - ou pelo menos desaparecer da vista. Nós erradamente tememos a morte (ou a interrupção) em todas as suas formas - morte da vida, morte da oportunidade, morte de uma relação, morte da fonte de suprimento, etc. Mas, seguindo o exemplo de Jesus, nós precisamos desafiar a crença da morte em todas as suas formas, e nos recusarmos a dar-lhe qualquer lugar permanente na consciência. "A vida é real, e a morte é a ilusão" (CS9, p. 427). Assim, diante de qualquer discórdia - qualquer coisa que conteste a realidade - siga o exemplo de Jesus e mude a evidência.
Jesus não esperou que a evidência mudasse para então reconhecer a cura. Ele reconheceu a presença da perfeição, desistiu das crenças materiais e admitiu os fatos imortais do ser/existir (CS10, p. 428). Quando trocamos o que parece ser com o que é, efetivamente: "Se “mudas a evidência, aquilo que antes parecia real a essa crença errônea desaparece, e a consciência humana se eleva mais alto” (CS11, p. 297). Quando iluminamos com a luz da Verdade uma situação, as sombras desaparecem e vemos as coisas claramente. E, se parece que a discórdia permanece, recusa-te a ser intimidado, aprofunda-te cada vez mais na Bíblia, e no livro Ciência e Saúde, deixando que a luz do Cristo, a Verdade, vença a escuridão de toda afirmação falsa e errônea.

Seção 3: A Ciência Cristã abre os olhos dos cegos para ver a luz da Verdade
O salmista estendeu um convite a todos os que queriam ouvir .... "Venham e vejam o que Deus tem feito" (B11, Salmos 66:5,7). A luz do Cristo está disponível para TODOS. Jesus compartilhou abertamente a verdade de Deus com todos os que queriam ouvir ... e fundamentou suas palavras com ação (por meio da cura). O Mestre viu isso como sua missão de resgatar aqueles que estavam perdidos em pecado - e dirigiu-se àqueles que tinham sido abandonados pelo governantes religiosos da época (B13, Mateus 9:10-13, 35). Jesus estabeleceu um exemplo para nós. A luz que estava nele está em nós (B12, II Coríntios 4:6). Mary Baker Eddy escreveu: "Os grandes fatos espirituais do existir, como raios de luz, brilham nas trevas, embora as trevas, por não compreenderem, talvez lhes neguem a realidade" (CS12, p.546). A mim, a escuridão aqui mencionada se refere à escuridão do pensamento mortal. Pode vir por se envolver com o testemunho do senso material (a dor ou o desânimo), ou se ocupar com distrações materiais (se focando em coisas como competição, ganhos materiais ou diversão frívola), de modo que nossos olhos estão fechados à luz da orientação e libertação de Deus. Alguns podem até ser tentados a acreditar que volver-se à Deus não faz bem ou que não há tempo suficiente para a oração e o estudo. Os problemas surgem quando começamos a colocar mais peso do lado da mente mortal e das condições materiais do que do lado da criação harmoniosa de Deus. Essa criação será reconhecida à medida que se admitir que Deus, a Verdade, é suprema. A escuridão não pode derrotar a luz, nem o erro pode derrubar a Verdade. À medida que entendemos mais sobre a Ciência Cristã e admitimos que Deus é onipotente, reconheceremos que "a realidade está em perfeita harmonia com Deus, o Princípio divino" e nenhuma sugestão de erro (nenhuma escuridão) pode derrubar essa realidade (CS15, p.130). A Ciência do Cristianismo é a luz que brilha nas trevas. E, embora o escuro pensamento mortal não reconheça a luz ... a escuridão (a doença, o pecado, o desespero e até mesmo a morte) deve fugir diante da luz do Cristo (CS14, p.347). Nada pode parar o amanhecer da verdade da Ciência Cristã.

Seção 4: O Cristo protege e destrói a escuridão da desarmonia e do ódio
Encontramos uma versão expandida do Texto Áureo na citação de abertura desta seção, cheia de referências à defesa e proteção (B14, Salmos 18:1-3,28-30)! Olhei o texto em hebraico para obter uma idéia melhor sobre tudo o que Deus é para nós. Rocha significa algo digno/elevado, uma rocha escarpada ou fortaleza. Uma fortaleza é um lugar forte, uma armadilha ou uma rede. E um libertador permite que se possa escapar ou ser libertado do perigo. Um escudo é uma defesa - a partir da qual flechas de ódio, medo, doença e qualquer coisa que tentaria destruir a nossa paz ricochetearia sem nos atingir. O significado de um chifre é um pico (de uma montanha) ou, curiosamente, um raio de luz que revela a salvação (ou graça salvadora) de Deus. E uma torre alta é um lugar elevado ou inacessível (como um penhasco) ou um refúgio que oferece uma posição privilegiada para estar alerta à aproximação de problemas e permanecer imperturbável acima do tumulto (B14). Jesus experimentou a segurança máxima oferecida por Deus quando foi confrontado por uma multidão enfurecida. Incompreendido e injustamente acusado, Jesus caminhou através da multidão como se fosse invisível, e prosseguiu com a sua missão de cura.
Deixando para trás sua cidade natal e aqueles que não podiam ver além de sua filiação humana, ele continuou a deixar sua luz brilhar, ministrando aos corações receptivos em Cafarnaum (B16, Lucas 4:14,22-24,28-31). Ao seguirmos o exemplo de Jesus, também experimentaremos a "luz da vida" que nos torna invisíveis a tudo o que tentaria nos derrubar ou nos distrair de nossa missão (B17, João 8:12). Para se ter uma idéia de como o permanecer na luz do Cristo traz segurança, note como você tem de às vezes proteger seus olhos para evitar que as coisas desapareçam no reflexo brilhante do sol. Enquanto vigiamos nosso pensamento, tendo a certeza de mantê-lo na luz, podemos fugir - intocados – das influências que pretendem ter poder de ameaçar a nossa segurança.
Há muito a aprender com a paciente persistência de Jesus (CS18, p.136). Aqueles que duvidavam dele estavam observando-o através de uma lente estritamente material, e assim viram apenas a sua filiação humana. Eles não conseguiram perceber o Princípio (ou a origem divina) que foi a fonte da Verdade demonstrada que resultou em cura (CS16, p.322)! A chave para entender como Jesus fez o que fez, e para ser capaz de seguir seu exemplo é lembrar que "ele não atribuía a si mesmo inteligência, ação, nem vida separadas de Deus" (CS20, p.136). Ele compreendeu que era completamente governado por Deus. E quando Deus governa é impossível ser "privado, nem por um instante, da luz e do poder da inteligência e da Vida". Isso é verdade sobre nossa identidade também. A escuridão não é real!!! A escuridão é apenas o "senso mortal da ausência de luz". E quando a luz vem, a escuridão desaparece (CS21, p.215). Observe que é apenas o "senso mortal" da ausência de luz. Porque a luz - o brilho perpétuo do Cristo de Deus - nunca pode realmente estar ausente!!! Não temos de fugir da escuridão - apenas temos de nos volver dela e nos firmar na luz sempre-presente!

Seção 5: Você está cheio de luz - vigie e brilhe!
Precisamos saber quem somos - e não ser confundidos ou intimidados por quem não somos. Nós somos os filhos da luz. Não podemos nos perder ou nos distrairmos com a escuridão, porque estamos totalmente separados dela! “Uma vez que somos criaturas do Dia, vamos agir como tal. Caminhe para a luz do dia, sóbrio, vestido de fé, amor e esperança de salvação. ... Seja alegre, não importa o quê; ore o tempo todo; agradeça a Deus, não importa o que aconteça. Esta é a maneira pela qual Deus quer que vocês que pertencem a Cristo Jesus vivam” (B18, A Mensagem). Como oramos sem cessar? Isso certamente significa mais do que estudar a Palavra. Significa, para mim, deixar nossa vida ser nossa oração. Significa ouvir (e esperar ouvir) a direção de Deus em relação a tudo o que fazemos! Significa expressar amor sempre. Significa ser grato sem parar (mesmo quando a escuridão parece muito real). Significa dar a Deus a glória de todas as coisas! Significa desejar "pôr de lado o velho homem com seus atos ... e vestir o novo homem" (B-19, Colossenses 3: 9,10). Pode ser tentador ter medo de desistir de quem pensamos que somos (baseados em uma personalidade material ) - incertos de como nossa identidade espiritual se parece. Mas, tudo o que realmente temos de estar dispostos a fazer é estar na luz. E deixar a luz trazer à superfície o melhor em nós - trazer à luz o que Deus nos fez ser! A reflexão é melhor vista em uma luz brilhante. Como reflexo de Deus, nossa verdadeira natureza é vista na proporção em que estamos na luz de Deus. E também somos capazes de ver a verdadeira natureza dos outros, assim como reconhecemos a sempre presença da luz de Cristo revelando a realidade! Estamos dispostos a ficar em pé sobre a colina e deixar a luz do Cristo (o homem ideal) irradiar através de nós? Na proporção em que o fazemos, tudo e todos ao nosso redor também ficam banhados nessa luz (CS24, p.367). É nossa alegria estar alerta, sóbrios e vigilantes, para abraçarmos a presença de Deus e estarmos alerta para não cairmos nem aceitarmos como nossos os pensamentos negros que não vêm de Deus. Deus é a única Vida. Compreendendo isso, podemos vencer as sugestões da carne (as sugestões da vida na matéria - a vida separada de Deus). Então, "a verdadeira existência do homem como filho de Deus vem à luz" (CS-26, p. 288). Nessa luz descobrimos a boa, harmoniosa e eterna criação de Deus como tudo o que existe (CS27, p.472)!

_________________
Este estudo metafísico foi preparado por Prepared by Kathy Fitzer, CS -314-323-4083 kathyfitzercs@gmail.com
A equipe de tradução para o português é composta por Ana Paula Wagner, Dulcinea Torres, Elisabeth Z. Friedrichs, Leila Kommers e Ovídio Trentini. Visite o site Associação dos Alunos de Ciência Cristã do Professor Orlando Trentini, CSB. Ali encontrará esta tradução e as anteriores para estudo, para baixar e partilhar esse copo de água fresca com seus amigos.
Os estudos metafísicos dos Cedros sobre o estudo diário da Lição Bíblica da Ciência Cristã, contendo ideias de aplicação metafísica, são oferecidos, durante todo o ano, para que os amigos da Ciência Cristã vejam e demonstrem o grande valor do estudo diário da LB.
Os Cedros são um suplemento para a LB. O estudo em inglês será postado, no link abaixo, na 2a. feira. Sua tradução para o português será postada até a 4ª feira. Busque e leia o texto em inglês em http://www.cedarscamps.org/metaphysical.

Metaphysical

Recognize Mind, God, as the source of all good and all understanding! - Whenever — for...
Latest Lesson Application Idea

Newsletters

Get free weekly uplifting newsletters (available in English, Spanish, French, German and now in Portuguese!)
Subscribe or Update Subscription

Facebook

Find CedarS on Facebook for the latest news, heart-warming fruitage, facility upgrades and more!
Go to the CedarS' Facebook Page