Cedar Camps

Metaphysical Ideas

Search Metaphysicals
 

Metaphysical Newsletters

The weekly Metaphysical Newsletter is provided to campers, staff, alumni, friends and the CedarS family at no charge however contributions help defray the costs of running this service.

Click here for more about how you can provide support!
 

Delivered to You FREE!

Available in five languages, get it delivered to your inbox weekly!

Subscribe Now!

Aprecie ser um jardim cuidado por Deus Estudo Metafísico do Acampamento dos Cedros - Tema: Deus, a causa única e único Criador.

Rick Stewart, C.S., Dresden, Germany
Posted Monday, December 3rd, 2018

CIÊNCIA CRISTÃ - LIÇÃO BÍBLICA

Aprecie ser um jardim cuidado por Deus.

3 a 9 de dezembro de 2018

Deus, a causa única e único Criador.
__________________________________________________
Abreviações: Bíblia JFA Revista e Atualizada – B; Bíblia na Nova Tradução na Linguagem de Hoje – NTLH;
Bíblia A Mensagem - MSG; Ciência Cristã – CC; Ciência e Saúde – CS ou C&S; Lição Bíblica – LB
__________________________________________________

Este estudo metafísico foi preparado por Rick Stewart, CS
rickstewartcs@aol.com

Você já parou para pensar de como a Bíblia é um exemplo perfeito de tradução da língua humana que nos habilita a compreender mais, no caso mais da palavra de Deus? Por exemplo, o ‘Tanakh’ judaico, a base do Antigo Testamento, foi originalmente escrito em ‘hebraico bíblico’ e aramaico (sendo este o idioma de Jesus). Então a primeira tradução da Bíblia Hebraica foi para o grego. A Bíblia traduzida ao latim, foi considerada a única oficial e correta pela igreja católica, por muitos anos. Aqui na Alemanha um ex-clérigo católico, Martinho Lutero, traduziu a Bíblia ao idioma de seu povo, enquanto outros começaram a traduzi-la ao inglês. Ao longo dos anos a mensagem da Bíblia começou a alcançar cada vez mais pessoas na sua própria língua.
De acordo com os Wycliffe Bible Translators (Tradutores da Bíblia Wycliffe) em outubro de 2017, cerca de 3.312 idiomas tiveram acesso a algum dos livros da Bíblia, 1.121 idiomas com um ou mais livros, 1.521 grupos idiomáticos tiveram contato com o Novo Testamento em seus idiomas nativos, sendo que em 670 idiomas não se tem conhecimento de algum trabalho em andamento. Estima-se, também, haver cerca de 2.584 idiomas com projetos de tradução em andamento (ainda que sem informação de haver uma publicação).
Ano após ano a mensagem da Bíblia chega a cada vez mais gente numa linguagem que possam compreender. Ao mesmo tempo, há traduções adicionais feitas com o propósito de melhor expressar o significado original da Bíblia. Por exemplo o Texto Áureo (1Coríntios 3:9) desta semana na nossa Lição Bíblica soou para mim como inteiramente nova: “Vós sois jardim de Deus, edifício de Deus sois vós.”
Eu sempre conheci essa passagem pela versão King James (inglês): “Vós sois a agricultura da Deus; edifício de Deus, sois vós” (a palavra inglesa é ‘husbandry’). Essa palavra não me era muito clara. Mas “Jardim!” Isso sim. Então olhei essa palavra em 45 outras traduções; e vejam o que encontrei: campo de cultura de Deus, jardim e vinhedo, fazenda de Deus, campo cultivado por Deus, terra cultivada de Deus. A ideia ficou muito clara. E é por isso que não me preocupo se a tradução não é a de King James. Estou interessado na ideia mais clara, e não se a tradução é oficial ou não. Anseio pela “ideia de Deus” tal como nos veio de sua Palavra.
E é aí que entramos na Lição Bíblica da semana. Vamos compreender que Deus é, de fato, a única Causa e Criador!

Começando pela Leitura Alternada (Isaías 45:5;65:18,20-25) esta a lição olha para o homem de Deus e a obra de Deus de um ângulo espiritual e não distorcido. É assim que a LA começa a nos levar a uma perspectiva não distorcida de Deus e Sua obra, de Deus e Sua Criação.
A NTLH põe a LA nos seguintes termos: “(Isaías 65:18,20,21-25) – Alegrem-se, fiquem felizes para sempre com aquilo que eu vos criar; [...] Nunca mais morrerão ali criancinhas de poucos dias; ninguém morrerá antes de ficar bem velho. Vocês construirão casas e morarão nelas, farão plantações de uvas e beberão do seu vinho. Não construirão casas para outros morarem nelas, nem farão plantações de uvas para outros beberem do seu vinho. O meu povo viverá muitos anos como as árvores, e todos terão prazer de aproveitar as coisas que eles mesmos fizeram. Todo o seu trabalho dará certo, e os seus filhos não acabarão na desgraça; pois eles e seus descendentes serão a raça que eu abençoarei para sempre. Antes mesmo de acabarem de falar, eu responderei. Antes mesmo que me chamem, eu os atenderei. Os lobos e os carneirinhos pastarão juntos, os leões comerão palha como os bois, e as cobras não atacarão mais ninguém. E no meu santo monte não acontecerá nada que seja mau ou perigoso, diz o Senhor.”
Essas palavras nos introduzem àquela que poderia ser chamada de a norma divina. Nunca mais ficaremos prisioneiros a uma visão de um mundo material de causa e criação. Começaremos, praticamente, a aceitar o que é a verdade de Deus no tocante à vida e suas perspectivas! A norma não será bebês morrendo e idosos sofrendo. Nossa perspectiva de vida será como das árvores e Deus dará respostas, não trabalharemos em vão, e não seremos condenados ao infortúnio. Deus responderá nossas orações antes mesmo de chamarmos. E, finalmente, “não se fará dano nem mal algum em todo meu santo monte, diz o Senhor.”
A frase: “Meu povo viverá tanto quanto as árvores” me faz lembrar de um dia feliz cerca de 25 anos atrás. Naquele tempo estava morando um casal em minha grande casa, Margaret e Larry Burgos. Larry era uma inspiração. Gostava de cozinhar, pescar; aliás gostava de tudo o que fazia no dia a dia. Ao longo dos anos teve muitas aventuras. Sua visão de vida era que havia chegado à metade de suas aventuras. Não ligava nem um pouco para a idade. Tinha, então, 94 anos. Mas um dia ficou impressionado com sua idade de 94 anos, e começou a sofrer com a crença de “idoso”. Compartilhei alguns pensamentos inspiradores, e tive uma ideia.
Convidei Larry e Margaret para um passeio. Andamos de carro por uma hora até chegarmos a local desejado em Longwood, Fl, EUA. Descemos do carro fomos caminhando por um passadiço de madeira por sobre terreno banhado, até chegarmos ao ponto de destino. E ali estava diante de nós “O Senador”. Era um cipreste considerado a árvore mais antiga do mundo; teria cerca de 3.500 anos. Ela já tinha 1.500 anos quando Jesus andou entre nós. Larry e eu admiramos esse maravilhoso exemplar diante de nós, e nossas perspectivas mudaram. Não estávamos mais tão impressionados com nossos 94 ou 40 anos. Ao voltarmos ao carro, os passos de Larry estavam mais rápidos e seu coração mais alegre.

Seção 1: Deus é a única Causa e único Criador.
Os seguintes versículos foram tomados da NTLH (B2, Isaías 45:8,9,11,12,18): “Assim como a chuva vem de cima, eu enviarei do céu a minha vitória. A terra se abrirá para recebê-la e fará brotar a salvação e a liberdade. Eu, o senhor, farei isso. Um vaso de barro não briga com quem o fez. O barro não pergunta ao oleiro: O que é que você está fazendo? Nem diz: você não sabe trabalhar. O Senhor, o Santo Deus de Israel, o seu Criador, diz: Por acaso vocês vão exigir que eu explique como cuido dos meus filhos? Vocês querem me ensinar a fazer as coisas? Fui eu que fiz a terra e criei os seres humanos para morarem nela. Com as minhas próprias mãos estendi o céu e ordenei que o sol, a lua e as estrelas aparecessem... O Senhor, que criou os céus, é o único Deus. Ele fez a terra e lhe deu forma, e a colocou no seu lugar. Ele não a criou para que ficasse vazia, mas para que houvesse moradores nela. O Senhor Deus diz: ‘Eu sou o Senhor, e não há outro Deus’.”
B3, Isaías 61:11 (NTLH) – “Assim como a terra faz crescer o que nele foi semeado, também o Senhor Deus fará com que brote a sua salvação. E todas as nações cantarão hinos de louvor a Ele.”
Com tanta preocupação sobre mudança climática e terríveis projeções sobre nosso futuro, às vezes é bom olhar para o passado. Podemos aprender, quer com demonstrações de Jesus quer outras mais recentes de oração atendida, a demonstrar e saber que Deus, o Bem é a única causa e criador. Vejam o testemunho editado no CS Journal de 1890.

E ATÉ OS ELEMENTOS SERÃO SUBORDINADOS AO HOMEM.
I.P.H.
Da edição de Setembro de 1890 do CS Journal.
Há três semanas que o termômetro bate na média de 37°C na sombra, e há mais tempo nenhuma gota de chuva! Os vegetais plantados no cedo murcharam, e secaram onde estavam crescendo. Até a grama ficou amarelada; e as nuvens de poeira se levantavam quando o movimento de veículos começava pela manhã. Dia após dia, não havia nenhuma briza que aliviasse o suor na fronte de homens e animais. Temia-se doenças, que começaram a aparecer. As pessoas começaram a prever perda total das colheitas, tendo como consequência escassez de alimentos e desconforto.
Certa manhã, a mulher que nos trazia vegetais disse que toda sua plantação de milho, a qual esperava render pelo menos uns 35.0 dólares, agora achava que não cobriria o custo da semente; que se não houvesse chuva nos próximos dez dias, toda a produção da estação estaria perdida, em toda a região; mas se chovesse agora pelo menos as colheitas maiores ainda seriam salvas. Ela parecia desesperada e aflita, pois uma família de muitos filhos dependia da horta para o sustento. Eu lhe disse que Deus era capaz de tomar providências. “Sim”, disse ela; “mas parece que Ele está deixando para nós dar um jeito.”
Aquele dia ficou quente, chegando o termômetro a 37°C à sombra, às 10 horas da manhã. À tarde, as palavras daquela mulher continuavam ecoando nos meus ouvidos: “parece que Ele está deixando que o façamos nós mesmos.” Fazer, como? Por que? Compreendendo que temos o bem que desejamos, é lógico; mas não podemos realizar mais do que compreendemos.
Erguendo meu coração em oração para que minha fé e compreensão fossem fortalecidas o suficiente para a ocasião, comecei a orar pela chuva.
Percebi que Deus nunca causou calor abrasador e escassez de água para atacar a bela aparência da vida vegetal e fazê-la murchar e fenecer, e pobres e ignorantes animais de sofrer; mas que Ele dera domínio ao homem sobre todas essas criações inferiores: para que as mantivesse em harmonia e paz por seu governo, assim como entende o decreto do Pai de que Tudo é Bom, e que somente o Bem pode manifestar-se, em toda a parte, pelo Pai ou pelo Filho, em total abundância, para satisfazer a qualquer necessidade e atender qualquer emergência para homens ou animais; o que, aliás, fora provido “desde o começo”; e essa Ordem Divina não pode ter fim.
Comecei a sentir uma leve briza fresca, enquanto estava sentada sozinha na varanda com minha tarefa assumida. Encorajada, continuei meu trabalho. Para todos os fazendeiros, e outros ansiosos pelo bem-estar de suas colheitas, ou sofrendo em seus afazeres, percebi que o Espírito era sempre-presente e sempre harmonioso: que essa horrível ilusão de calor era um pesadelo do qual deveríamos despertar.
Para o lado do oeste começaram a juntar-se nuvens; e eu ouvia pessoas que passavam, dizendo ‘pode ser que vamos ter chuva’. Outras, descrentes: ‘Não, isso é pouca coisa. Essa seca é p’ra valer.’ Senti-me encorajada, e bendisse o ajuntamento das nuvens, assim como encorajaria crianças temerosas de entrarem em um quarto que acreditassem proibidas. “Não é aos temores da mente carnal que estais sujeitos, ó elementos da natureza”, pensei, “vocês estão sujeitos ao Espírito do Filho de Deus, cuja presença sinto estar proclamando que há—e haverá—paz, abundância e harmonia em todos os lugares, e que não há medo.”
Em pouco tempo, levantou-se um vendaval. Relâmpagos começaram estrondear, raios a fulgurar, como se proclamassem: Tudo Bem! Tudo Bem! Então veio o crescente tamborilar das gotas de chuva na sua missão de atender e amar a terra ressequida, das folhas encolhidas, e dos ofegantes animais. Algumas aves apressavam-se pelos caminhos tentando pegar as primeiras gotas para molhar suas gargantas secas, mas quando sentiam os pés encharcados, desistiam de perseguir as gotas para abrirem suas asas e colherem as frescas gotas que caíam.
E como choveu! Por toda a tarde e noite, até que todas as cisternas ficaram cheias para as ocupadas dona-de-casa, até que cada arroio nas pastagens fluía com o precioso líquido, para alegria das bestas do campo. Cada coisa ressequida voltou a ser limpa e fresca—até a humilde grama brilhando com suas tenras folhas verdes—tudo inconscientemente proclamando o Bem.
No dia seguinte, nas faces sorridentes das pessoas ao se cumprimentarem com alegria e louvor pela bela chuva, vi que os temores do dia anterior haviam passado; em seu lugar, havia em seus corações um vivo louvor pelo Bem. Pensei, cá comigo, que quando demonstramos ainda que seja um pouco da compreensão que na casa de nosso Pai tudo é e está Bom, estamos contentes que Ele deixa tanto para nós fazermos—de realizar por nós!

Seção 2: Abraão, Sara, e você, no lugar de Deus quanto à promessa que crianças trazem.
Abraão e Sara tiveram um filho. Era o desejo de seu coração. Mas a promessa de uma concepção aos 100 anos e aos 90, arrancou deles um leve riso. Mas, existe algo fora da única Causa e Criador? Não.
Nossa Líder escreve sobre obstetrícia em Ciência e Saúde, p. 463. Uma parte está incluída na lição desta semana (CS11, p. 463). “Para dar assistência adequada ao nascimento de uma nova criatura, ou seja, de uma ideia divina, deverias desprender o pensamento mortal de suas concepções materiais, de tal maneira que o parto ocorra com naturalidade e segurança. [...] A nova ideia, concebida pela Verdade e pelo Amor e deles nascida, está envolta em alvas vestes. Seu começo será manso, seu crescimento, vigoroso e sua maturidade sem declínio. Quando ocorre esse novo nascimento, o bebê que nasce na Ciência Cristã é nascido do Espírito, nascido de Deus, e já não pode causar sofrimento à mãe. Com isso sabemos que a Verdade está presente e realizou sua obra perfeita.”
Esta manhã recebi a seguinte carta de Slim Okezie, da Nigéria, AF. Estava indo para abrir a Sala de Leitura da Ciência Cristã em sua cidade, Abuja. Mas antes de sair escreveu:
“Quando estudava a lição sermão desta semana, cheguei à história de Abraão, na seção 2. Acho que minha esposa Christy e eu vivenciamos um pouco o que Abraão passou, antes do nascimento de Jenny, nossa filha mais velha. Minha esposa e eu ansiávamos por um filho, mas a crença de doenças, uma maldição que havia sido dirigida a nós, e nossos receios fizeram-nos duvidar da possibilidade de ter filhos. A mente mortal parecia colocar sugestões que nos amedrontaram. Mas o que gera é perfeito, e hoje permite que possamos rir daquelas mentiras! Somos muito gratos a Mary Baker Eddy pela descoberta da Ciência Cristã e pela compreensão que obtemos. Hoje em dia, rimos todos os dias com nossa querida filhinha Jenny. Slim Okezie e Christy Ofurum, Abuja, Nigéria.”

Seção 3: Jesus e a humildade que guia à capacidade divina.
Jesus deixa eternamente claro que suas habilidades extraordinárias dependiam de sua humildade. Ele sabia e afirmou sem sombra de dúvida que era o Pai quem era a fonte de suas habilidades. Mas isso não limitou Jesus, mas o capacitou. Afinal de contas, esta lição não é sobre o reconhecer Deus como a causa única e o único criador?
Em B9 (João 5:19,20,30) lemos “[...] o Filho não pode fazer nada por sua própria conta, pois ele só faz o que vê o Pai fazer. Tudo o que o Pai faz o Filho faz também, pois o Pai ama o Filho e lhe mostra tudo o que está fazendo. E vai mostrar a ele coisas ainda maiores do que essas, e vocês vão ficar admirados.”
Mary Baker Eddy, que também deu crédito a Deus por tudo o que ela fez, escreveu o seguinte para encorajar a todos nós, “É possível – é até dever e privilégio de cada criança, homem e mulher – seguir em certo grau o exemplo do Mestre, pela demonstração da Verdade e da Vida, da saúde e da santidade (CS17, p. 37).”
Com um sorriso enquanto escrevo, lembro-me de um incidente durante a minha primeira conferência na Igreja Mãe, em Boston. Foi uma conferência prática ajudando a me preparar para minha primeira turnê de palestras. Foi um pouco assustador estar naquele local. No dia anterior à minha palestra estive com um amigo e mentor maravilhoso, Gordon Clarke, que também deu uma conferência prática. Ele foi eloquente e cheio do Espírito Santo. Depois de curtir sua conferência, confesso que liguei para minha mãe. "Mãe, eu não posso fazer igual ao Gordon. Ele foi tão bom.” O apoio dela em oração foi imediato. Acho que ela se focou no fato de que tudo era Deus, e não sobre nós dois. Assim como Jesus, temos que aprender que só podemos fazer “o que ele (nós) vê que o Pai faz!
Na manhã seguinte, bem cedo, antes da minha conferência, recebi um telefonema de alguém que não se identificou, era simplesmente uma voz que eu conhecia muito, muito bem, e que disse: “Viste o Cristo?". O interlocutor desligou. Era a minha mãe. Aquele era o último verso do hino de Comunhão de Mary Baker Eddy. Que lembrete perfeito, "Viste o Cristo?".
Não houve nenhum único pensamento sobre a questão da minha conferência, e naquele momento tinha sido lembrado que eu era simplesmente o reflexo e a expressão do que Deus era. A conferência foi ótima e eu me diverti muito.
Eles dizem que a prova está no pudim (na sobremesa). No dia seguinte após a palestra, eu estava na sala de estudos da Sociedade Editora da Ciência Cristã. Um jovem funcionário da Igreja Mãe se aproximou de mim e se apresentou. Ele disse: "Você sabe que enquanto você estava falando, continuava vindo até mim um pensamento: 'Ei, eu poderia fazer isso!" Fiquei absolutamente emocionado. Sim, a oração de minha mãe e minha cura do falso orgulho haviam mostrado o suficiente para que um jovem cientista cristão vislumbrasse que ele também poderia seguir o Mestre e servir sua igreja. Todos nós podemos. Sem limites. “Toda criança, homem e mulher!”
Venha que a água está ótima!

Seção 4: O que já temos é o suficiente, Jesus provou isso.
“Jesus chamou os seus discípulos e disse: […] – Quantos pães vocês têm? – perguntou Jesus. – Sete pães e alguns peixinhos! – responderam eles. Aí Jesus mandou o povo sentar-se no chão. Depois pegou os sete pães e os peixes e deu graças a Deus. Então os partiu e os entregou aos discípulos, e eles os distribuíram ao povo. Todos comeram e ficaram satisfeitos; e os discípulos ainda encheram sete cestos com os pedaços que sobraram (Mateus 15:32,34-37).”
E você diz que não há o suficiente? Não há muitos membros, não há trabalhadores suficientes, não há bastante dinheiro, não há comida para todos, não há força suficiente, não há compreensão que baste, [….]
Oh sim, há o suficiente.
“Na relação científica entre Deus e o homem, constatamos que tudo o que abençoa um, abençoa todos, como Jesus mostrou com os pães e os peixes – sendo o Espírito, não a matéria, a fonte do suprimento (CS18, p. 206).”
“O Espírito alimenta e veste devidamente cada objeto, à medida que aparece na ordem da criação espiritual, expressando assim ternamente a paternidade e a maternidade de Deus (CS19, p. 507)”
Com a totalidade de Deus. Pelo fato de que Ele é a única causa e o único criador é possível confiar em Deus para suprir e prover o que precisamos.
Um dos colegas de trabalho de meu pai era filho de um pastor batista no estado da Geórgia-EUA na década de 1930. Eles tinham uma família muito grande e eram muito pobres. Houve um dia em que realmente não tinham nada para comer. Mas o pai confiava e orava. Naquela tarde aconteceu uma grande tempestade e, no meio da tempestade, um grande peixe de 5kg caiu no jardim da frente. Naquela noite eles tiveram uma deliciosa refeição de peixe fresco.
Orando com o coração aberto, confiando em Deus e sendo agradecidos, muitas vezes encontramos exatamente o que precisamos à nossa porta.
Por exemplo, em janeiro de 1986, eu estava numa reunião de testemunhos na Igreja Mãe da CC em Boston. Uma adorável senhora se levantou e eloquentemente compartilhou sua experiência como uma jovem noiva que oferecia um grande jantar em família. Tudo estava indo bem até que ela percebeu que tinha acabado os pãezinhos. Em sua família isso era quase imperdoável. Ela se retirou para a cozinha e simplesmente orou: Oh, querido Pai, ajude. Como expresso na Leitura Alternada desta semana, “Antes mesmo que me chamem, eu os atenderei; antes mesmo de acabarem de falar, eu responderei (Isaías 65:24).” Houve uma batida na porta da cozinha dela vindo da ruazinha ao lado da casa. Ela atendeu a porta e encontrou um jovem com pãezinhos recém-assados. Ele disse que estava começando um serviço de entrega de produtos de panificação e estava lá com amostras grátis. Deu-lhe os pãezinhos e disse que voltaria em outra hora para receber pedidos. Ela tinha os pãezinhos que ela desesperadamente precisava e agradeceu seu querido Pai-Mãe-Deus profusamente. Mas essa foi a primeira e última vez que ela viu aquele jovem.
Na verdade, temos o suficiente a cada momento, se estivermos dispostos a conhecer e não duvidar.

Seção 5: Saia da prisão com o cartão emitido para todos os que servem a Deus.
Que experiência maravilhosa, quando os apóstolos foram libertados da prisão numa noite, por um anjo. É claro que eles não mereciam estar na prisão, tudo o que eles estavam fazendo era curar. Mas, mesmo assim, os funcionários da igreja os trancaram e, mesmo que jogassem fora as chaves, isso não importava. Um anjo abriu as portas à noite, e anjos não precisam de chaves, não é?
Então, houve um desdobramento muito interessante, um fariseu veio em socorro dos apóstolos,(B 15,
Atos 5: 34) “Mas, levantando-se no Sinédrio um fariseu, chamado Gamaliel, mestre da lei, acatado por todo o povo, mandou retirar os homens, por um pouco, e lhes disse: Israelitas, atentai bem no que ides fazer a estes homens. Agora vos digo: dai de mão a estes homens, deixai-os; porque, se este conselho ou esta obra vem de homens, perecerá; mas, se é de Deus, não podereis destruí-los, e todos os dias, no templo e de casa em casa, não cessavam de ensinar e de pregar Jesus, o Cristo.” Que ocorrência maravilhosa. Como lemos em Ciência e Saúde, (CS28, p. 423) “O Cientista Cristão, compreendendo de modo científico que tudo é a Mente, começa a destruir o erro, tendo como ponto de partida a causalidade mental, a verdade a respeito do existir. Esse corretivo é um alterante que alcança todas as partes do organismo humano.”
Cada parte do sistema humano, corporal, religioso, governamental. Não há limite para a eficácia da prática fiel da lei espiritual. Ela faz os ajustes que precisam ser feitos.
Um querido amigo que foi voluntário no ministério de prisão com sua esposa esteve recentemente em um culto na igreja. Enquanto lá, surgiu um estranho, chamou-o pelo nome e depois lembrou-lhe quem ele era. Ele foi um dos beneficiários de suas ministrações que haviam sido libertos da prisão e era um estudante ativo da Ciência Cristã e participativo na igreja. Foi um grande prazer e prova da eficácia do Cristo na abertura das portas da prisão. Assim como para os apóstolos.


Seção 6: Somos de Deus agora e sempre!
Nossa suficiência vem de Deus, somos sua obra e somos os campeões.
(B17, 2 Coríntios 3) E é por intermédio de Cristo que temos tal confiança em Deus; não que, por nós mesmos, sejamos capazes de pensar alguma coisa, Pois foi Deus quem nos fez o que somos agora; em nossa união com Cristo Jesus, ele nos criou para que fizéssemos as boas obras que ele já havia preparado para nós.
Vamos lembrar que merecemos, todos merecemos ter sucesso, sermos abençoados, deixar que o Amor nos leve até nossos objetivos e necessidades.
No verão de nossa primeira viagem ao CedarS, eu planejava comprar nossas passagens aéreas através ofertas de última hora. Mas o fato é que estávamos sem passagens duas semanas antes da data da viagem. Havia muita oração envolvida. Naquele exato momento, um querido amigo ligou para oferecer algumas passagens de cortesia, para viajar, conforme a oferta de lugares. Por fim, o amigo piloto que havia oferecido as passagens chegou com passagens suficientes para toda a nossa família. Quando viajamos para Frankfurt, a cinco horas de distância, fomos informados pela agente da recepção que havia pessoas que esperavam três dias por assentos no avião usando passagens de cortesia. Ela disse: “Sr. Stewart, vocês todos deveriam ir para casa.” Expliquei que estávamos a cinco horas de casa. Assim, orando sem parar, continuamos a manter a esperança. O primeiro vôo possível saiu sem nós. Vários agentes de recepção começaram a agir como animadores de torcida enquanto nos encorajavam. "Não se preocupem, vocês estarão em um vôo." E assim fizemos. A graça de Deus era tão evidente quanto a certeza que voaríamos. Um maravilhoso condomínio na praia de graça, de amigos. Então descobrimos que o salva-vidas em frente ao condomínio na St. Augsustine Beach era alguém que eu conhecia desde antes de ele nascer. Johann disse: "Papai é como a nossa praia, já que conhecemos o salva-vidas que está no comando!". Ele tinha cinco anos na época. Então Susanne e sua irmã decidiram que gostariam de ficar na Flórida um pouco mais, então tivemos que encontrar uma maneira de chegar ao acampamento. Orações continuaram a toda velocidade adiante. Nós procuramos vôos, ônibus qualquer possibilidade.
Quatro dias antes, quando tive que me apresentar para trabalhar como praticista no acampamento, não havia nada definido. Então, ao passearmos em uma tarde de terça-feira, recebi uma ligação de nosso amigo íntimo da família, Tom Evans Jr. “Rick, podemos ter encontrado algo, mas tenho que fazer uma pergunta: 'Você estaria disposto a voar em um jato particular? ? ”Eu me virei e perguntei a Noah e Johann,“ Vocês estariam dispostos a voar em um jato particular para acampar? ”A parte de cima do carro quase explodiu quando responderam:“ Sim. ”A única coisa que teríamos que fazer, seria encontrar a família onde o avião era mantido em um hangar, em St. Augustine, Flórida. Nós já estávamos em St. Augustine, programados para partir na mesma manhã que o vôo para acampar. Apenas a 20 minutos de carro. Nossos anfitriões, Ken e Laurel New, estariam buscando seus filhos do acampamento. Foi a experiência mais maravilhosa que se possa imaginar. O amor havia coordenado tudo além da concepção humana.
Como minha professora de Ciência Cristã, Virginia Guffin, CSB, costumava dizer: "Quando você está trabalhando para Deus, Ele cuida de você como se fosse a única coisa que Ele tem para fazer."
O maravilhoso é que isso é verdade para todos e cada um de nós! Então, o que você está esperando, embarque.
Nós somos de fato o jardim de Deus e Seu edifício. Ele nos cuida. Ele nos constrói. E ele é um jardineiro muito bom e um edificador muito bom!
______________________________
A equipe de tradução para o português é composta por Ana Paula Wagner, Elisabeth Zir Friedrichs, Ovídio Trentini e William Trentini. Visite o site Associação dos Alunos de Ciência Cristã do Professor Orlando Trentini, CSB. Ali você encontrará esta tradução e as anteriores para estudo, podendo baixar e partilhar esse copo de água fresca com seus amigos.
Os estudos metafísicos dos Cedros sobre o estudo diário da Lição Bíblica da Ciência Cristã, contendo ideias de aplicação metafísica, são oferecidos, durante todo o ano, para que os amigos da Ciência Cristã vejam e demonstrem o grande valor do estudo diário da LB.
Os Cedros são um suplemento para a LB. O estudo em inglês será postado, no link abaixo, na 2a. feira. Sua tradução para o português será postada até a 4ªfeira. Busque e leia o texto em inglês em http://www.cedarscamps.org/metaphysical.

Metaphysical

See God in the Midst of Us - This Pentecost event transcended logical explanation.  The...
Latest Lesson Application Idea

Newsletters

Get free weekly uplifting newsletters (available in English, Spanish, French, German and now in Portuguese!)
Subscribe or Update Subscription

Facebook

Find CedarS on Facebook for the latest news, heart-warming fruitage, facility upgrades and more!
Go to the CedarS' Facebook Page