Cedar Camps

Metaphysical Ideas

Search Metaphysicals
 

Metaphysical Newsletters

The weekly Metaphysical Newsletter is provided to campers, staff, alumni, friends and the CedarS family at no charge however contributions help defray the costs of running this service.

Click here for more about how you can provide support!
 

Delivered to You FREE!

Available in five languages, get it delivered to your inbox weekly!

Subscribe Now!

Jesus demonstra a luz sanadora do Cristo e nos convida a fazer o mesmo! Estudo Metafísico do Acampamento dos Cedros - Tema: Cristo Jesus.

Kim Hedge, St. Louis area, Missouri
Posted Monday, August 27th, 2018

CIÊNCIA CRISTÃ - LIÇÃO BÍBLICA
Jesus demonstra a luz sanadora do Cristo e nos convida a fazer o mesmo!
27 de agosto a 2 de setembro de 2018
Tema: Cristo Jesus

__________________________________________________
Abreviações: Bíblia – B; Bíblia na Nova Tradução na Linguagem de Hoje – NTLH;
Bíblia Mensagem - MSG; Ciência Cristã – CC; Ciência e Saúde – CS; Lição Bíblica – LB
________________________________________
Introdução
Há duas palavras que me chamaram a atenção nesta lição: “luz” mencionada oito vezes, e “demonstrar” ou “demonstração” mencionada nove vezes ao longo da lição. De modo geral, o que notei nesta lição foi como Jesus — professor, sanador, líder, guia — demonstrou a luz do Cristo, ou a luz sanadora da Verdade em tudo que realizou. Ao projetar luz sobre o erro e expor o erro, ou falsas crenças que tentam esconder a verdadeira semelhança do homem como filho e filha de Deus, ele redimiu o pecador, curou os enfermos e ressuscitou os mortos, e nos mostrou como também fazê-lo. De fato, ele nos convida a não só seguir seus passos, mas também a sair por aí e fazer mais do que ele fez. Quando fazemos isso, obtemos a maior recompensa, mas isso vem mais tarde, e não quero estragar o final.

Texto Áureo (2. Cor. 4:6 - “Deus, que disse: das trevas resplandecerá a luz, ele mesmo resplandeceu em nosso coração, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Cristo.”)
A parte inicial do TA é uma referência ao relato bíblico da criação, Gênesis 1:3: “E Deus disse: ‘Haja luz’, e houve luz”. Essa luz era para o mundo todo ver. Essa luz que brilha em nosso coração é a nossa oportunidade de despertar para a mensagem do Cristo. Não é apenas luz fora de nós, mas dentro de nós, irradiando de nós, e que não pode ser escondida. Ela brilha por nosso intermédio quando incorporamos o Cristo e deixamos que essa luz brilhe também em nossas faces. Como veremos nesta lição, Jesus demonstra muito claramente a Verdade-Cristo deixando sua luz brilhar em tudo o que faz, e nos mostra como fazer também.
Jesus disse em Mateus 5:16 “... a luz de vocês deve brilhar para que os outros vejam as coisas que vocês fazem e louvem o Pai de vocês que está no céu” (NTLH). Assim como Jesus fez de tudo para glorificar a Deus sabendo que por si só não poderia fazê-lo, mas somente com e por meio de Deus, o mesmo acontece conosco quando deixamos nossa luz brilhar. Assim como costumamos pôr uma face em um nome ou uma voz, Jesus incorpora o Cristo e nos dá o humano visível que mostra que a luz pode brilhar em nossa vida aqui e agora, e não somente em algum dia mais tarde ou num distante pós-morte.

Leitura Alternada (LA)
A LA é de 1 Coríntios (1:1-6, 30: 3:11, 23). Esse livro da Bíblia é uma epístola do apóstolo Paulo à igreja de Corinto para lembrar aos membros quem eles realmente são como cristãos, seguidores de Cristo. Vejam que Corinto era uma agitada metrópole portuária à beira de um lago; era conhecida por sua vida leviana (ou imoral); era basicamente uma cidade de jogatina e, de acordo, com experts da Bíblia, tais como J.B. Phillips, Paulo estava desapontado que os membros da igreja houvessem esquecido sua moral e o que significa deixar sua luz brilhar e ser bons uns aos outros. Assim, na primeira parte desse livro, Paulo os lembra de quem realmente são, como diz em 1 Coríntios 1:30: “Cristo Jesus, o qual se nos tornou, da parte de Deus, sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção” Ou como diz a Versão Contemporânea (inglês): “Vós sois filhos de Deus. Ele enviou Cristo Jesus para nos salvar e tornar-nos sábios, aceitáveis e santos.” Paulo os lembrava de que era isso que eles realmente eram e que não poderiam ser seduzidos a pensarem que não eram. Paulo segue lembrando-os de seu forte fundamento em Cristo, porque “Cristo é o único fundamento” e que eles pertencem a Cristo: “Vós sois de Cristo; e Cristo é de Deus” (1 Coríntios 3:11, 23).
Que belo começo para a lição sobre Cristo Jesus, com esse lembrete de que o Cristo é a única luz que brilha em nosso coração e nossa vida, que é o forte fundamento que nos faz lembrar que somos puros e santos. No momento em que nos afastamos do que quer que estejamos fazendo em desacordo com o bom e verdadeiro, e nos voltamos a Deus, à luz do Cristo e nos lembramos de quem somos, ficamos livres! Somos redimidos! Essa luz ilumina e traz à tona qualquer pensamento negativo, ou comportamento, e nos ajuda a eliminá-los. E essa luz não brilha só em nós, mas eleva todos ao nosso redor. Quanto mais luzes estiverem brilhando no mundo, tanto mais a aparente escuridão é expulsa. Vejamos os vários modos com que o Cristo resplandece sua luz e elimina a escuridão no restante da lição, e aprendamos como aplicar essa ideia em nossa vida.

Seção 1: Jesus veio para demonstrar a luz e a pureza do Cristo.
A primeira seção relata o início da história de Jesus a partir de seu nascimento virginal, e Mary Baker Eddy nos ajuda a distinguir entre Jesus, o homem, e o Cristo, o título ou designação. A seção começa com a mensagem de luz que Deus nos mostra, conforme B1 (Salmos 118:26, 27) e na profecia de Isaías do nascimento de Jesus e de como a luz do Cristo brilhará sobre cada um que ande em trevas por meio do nascimento de Jesus (B2, Isaías 9:2, 6). Segue-se a citação B3 (Mateus 1:18-23), dando o relato do nascimento de Jesus em cumprimento da profecia de que Jesus nasceria de uma virgem, representando a pureza e santidade inerentes ao Cristo, mas vindo a nós em forma humana que as pessoas pudessem se relacionar, como explicado por Mary Baker Eddy nas citações CS1 (p. 332) e CS2 (p. 333).
O Cristo é o homem ideal, a ideia pura e santa de Deus que ilumina nossas vidas, nos protege e defende, e nos livra do pecado, da doença e da morte. Jesus era um homem humano nascido de uma mulher, uma virgem (pura, íntegra, santa), cujo pensamento foi tão receptivo à Verdade, que se dispôs a receber essas novas (novidades) e participar do nascimento dessa criança que veio para representar o Cristo. Jesus demonstrou por seu nascimento e suas obras de vida o poder do Cristo, e veio para nos mostrar como achar o Cristo em nossa vida. Vejamos como ele demonstra a luz do Cristo por meio de suas ações, mostrar-nos como ele nos envia a fazer as mesmas obras vai dar algum trabalho, mas a recompensa é a vida eterna cheia de graça e bondade – aqui, e agora e sempre.

Seção 2 - Jesus, o filho de Deus, é protegido da tentação, e assim somos nós, quando seguimos seu exemplo.
Esta seção começa com um batismo de água, ou purificação, e o pronunciamento de que Jesus é, não somente o Filho de Deus, mas o “Filho amado, em quem me (Deus) me comprazo” (B5, Mateus 3:17). Não somos todos filhos e filhas de Deus, e Ele não se compraz com todos nós? Sim! Como sabemos disso? Porque em Gênesis 1, Deus criou-nos à Sua imagem e semelhança e toda sua criação é “muito boa”, e no final de Sua criação, Ele descansou, satisfeito com sua obra. E Jesus nos diz na Oração do Senhor que Deus é “Nosso Pai”, de todos nós. Portanto, podemos ter a certeza de que nós também somos filhos amados de Deus, “em quem (Ele) está muito contente.” Mas não termina por aqui; sendo filhos de Deus e bons, podemos resistir a tentação de duvidar, ter medo, ou nos comportar de alguma maneira que não seja boa (nem pura e santificada). Já estabelecemos que o Cristo é puro e sagrado, e que Jesus veio para demonstrar essa pura bondade. Nesta seção, Jesus mostra para nós como combater qualquer tipo de tentação, e como confiar somente em Deus. Que tipos de tentação precisamos combater?
Estava tentando pensar em algumas enquanto trabalhava nesta seção, mas inicialmente nada me veio à mente. Depois de eu ter decidido voltar a trabalhar nessas anotações, me veio o pensamento - mas não seria mais divertido assistir um ou dois episódios do meu show de TV favorito? Ou quando pegava meu iPad para ler e estudar a lição, às vezes vinha o pensamento: você poderia clicar naquele app de jogo primeiro e jogar só um joguinho rápido. Ah, você perdeu, jogue novamente para ganhar. Ah veja você ganhou, não se sente ótimo? Vamos jogar novamente! Essas pequenas tentações parecem inocentes, certo? Talvez você já tenha sido tentado por esses tipos de pensamentos ou algo semelhante, quando sentava para fazer sua tarefa de casa ou trabalhar num projeto? E às vezes nós nos justificamos, certo? Não que eu esteja sendo tentado a sair e fazer algo ruim ou errado, mas seria esse o meu sentido mais elevado do correto? Às vezes nos deixamos levar por essas tentações quase que inconscientemente e, no final das contas, essas atividades estão nos trazendo alegria verdadeira e duradoura, e realização? Elas estão permitindo que sejamos produtivos e prestativos com o próximo e com nós mesmos? Elas estão nos permitindo expressar qualidades divinas? Este é um bom teste: que qualidades estarei expressando quando estiver fazendo X? Não que um show de TV ou filme ou jogo ocasional seja ruim, e tirar uma pausa do trabalho pode ser bom também. Simplesmente saiba quando está escolhendo essas atividades como forma de evitar o trabalho e se entregando a tentação, ou se essa escolha está sendo consciente.
Talvez as tentações sejam maiores como as que Jesus encontrou com Satanás no topo da montanha na citação B6. Estava conversando recentemente com uma amiga que estava com temores em relação ao senso de abundância e tentada a aceitar um emprego que ela realmente não queria ou gostava, somente pela quantidade de dinheiro que receberia, por ela estar tentada a acreditar que isso era a fonte de abundância para ela. Mas quando Jesus foi tentado a transformar uma pedra em pão, ele respondeu “Não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus” (Mateus 4:4). Não é somente o pão (que é outro nome para dinheiro) ou o dinheiro de um emprego que nos sustenta, mas escutar as palavras de Deus e estar disposto a fazer o trabalho dEle e seguir o nosso propósito, que é simplesmente expressar a Ele!
Satanás também tentou Jesus dizendo que se Jesus o venerasse, que ele lhe daria o reino todo. Isso seria como ganhar na loteria, certo? É como ele dizer “aqui, tome essa solução fácil e rápida e você será rico e poderoso e todo o reino será seu.” Já fui tentado, algumas vezes, a pegar a saída mais fácil, ou pensar que se eu conseguisse encontrar uma maneira rápida de ficar rico, eu poderia passar a minha vida fazendo trabalho voluntário! Mas isso não é realista e demanda trabalho e tudo bem! (Veremos mais sobre o que significa fazer o trabalho mais adiante na seção.)
Jesus nos mostra como chutar Satanás para o cordão da calçada, e que adorar somente o único, verdadeiro Deus nos salvará de todo outro mal que vem quando caímos em tentação. Gosto muito também dessa frase no Pulpit and Press da Sra. Eddy e a uso frequentemente para combater a tentação: “Saiba, então, que você possui poder soberano para pensar e agir corretamente, e que nada pode te desapropriar da tua herança e transgredir o Amor” (Pul. 3:7).
Às vezes, a tentação é muito mais sutil, como, estava trabalhando muitas horas e quase sem dormir, e agora estou me sentindo doente. Ou acabei de fazer um treino pesado, portanto estarei dolorida amanhã. Mas espere um momento! Esses pensamentos são de Deus? Isto é uma “lei” que quero seguir? De jeito nenhum! São simplesmente tentações e não a verdade. Então, temos o poder para contrariar tentações pequenas e grandes porque somos filhos de Deus e somos todos muito amados, e temos o poder do Princípio Divino governando nossos pensamentos e ações.
Mas a Sra. Eddy nos dá mais instruções de como fazer isso na citação CS9: “Quando a ilusão da doença ou do pecado te tentar, agarra-te firmemente a Deus e Sua ideia. Não permitas que coisa alguma, a não ser Sua semelhança permaneça no teu pensamento” (p. 495). Esta é uma das minhas favoritas, e é muito fácil de ler essas bem-amadas e conhecidas passagens, mas devote alguns pensamentos a elas - como nos agarramos a Deus? Como permitimos somente Sua bondade em nossos pensamentos?
Bem, MBE nos diz numa dissertação chamada “O que nossa líder diz” na Primeira Igreja de Cristo, Cientista, e Miscellany: “Amados Cientistas Cristãos, mantenham suas mentes tão preenchidas com a Verdade e o Amor, de modo que o pecado, a doença e a morte não consigam penetrar nelas. É simples e aparente que nada pode ser adicionado a uma mente que já está cheia. Não existe uma porta pela qual o mal possa entrar, e nenhum espaço para o mal preencher numa mente repleta de bondade. Bons pensamentos são uma armadura intransponível; revistam-se dela e estarão completamente protegidos de quaisquer ataques do erro. E não somente vocês estarão seguros, mas todos sobre quem seus pensamentos descansam serão beneficiados” (My. 210:2).
Portanto, os bons pensamentos não somente abençoam a nós, mas todos a quem amamos e incluímos em nossos pensamentos!

Seção 3: Os ‘milagres’ de Jesus podem ser demonstrados hoje por meio da Ciência da cura.
Você, por acaso, já pensou: “não posso curar; não sou Jesus”? Eu já pensei (é outra tentação). Mas o estudo da Bíblia e a leitura de Ciência e Saúde me permitiram ver que os chamados milagres que Jesus realizou, na realidade, são provas e demonstração da nossa unidade com Deus, as quais são tão relevantes e poderosas hoje como foram na época! E tem mais; há uma ciência que está por trás de tudo isso. Como MBEddy explica em várias passagens em Ciência e Saúde:

“A missão de Jesus confirmou a profecia e explicou os chamados milagres dos tempos antigos como demonstrações naturais do poder divino” (CeS, p. 131).
“A prova, pela demonstração atual, de que os chamados milagres de Jesus não pertenciam de forma especial a uma dispensação que já não vigora, mas exemplificavam um Princípio divino sempre atuante” (CeS, p. 123).
“A cura física pela Ciência Cristã resulta hoje, como no tempo de Jesus, da operação do Princípio divino, ante o qual o pecado e a doença deixam de ter realidade na consciência humana e desaparecem tão natural e tão necessariamente como a escuridão dá lugar à luz, e o pecado cede à reforma. Hoje, como outrora, essas obras poderosas não são sobrenaturais, mas supremamente naturais” (CeS, p. xi).

Algumas vezes fiquei imaginando o que faria se fosse o nobre referido na citação B8 (João 4:46-53)? Teria eu fé suficiente para aceitar a verdade se Jesus me dissesse: “Volte para tua casa; teu filho vai viver” (NTLH)? Será que eu não duvidaria perguntando: “Tem certeza? Mas como você sabe?” Ou pediria algum tipo de explicação ou comprovação? Talvez até pedisse desculpas e daria razões por não crer que isso fosse possível? Eu gostaria de pensar, como o nobre, que eu também creria quando Jesus desse uma ordem; mas às vezes não tenho certeza.
No passado, quando pedia a ajuda de uma praticista ou quando apenas lia alguma linha de Ciência e Saúde, eu me via argumentando contra o que me diziam, e argumentando a favor do problema ou de qualquer falha que a mente mortal quisesse me fazer crer sobre mim, e que não é verdadeira. É complicado, às vezes, porque a mente mortal gosta de posar como nosso próprio pensamento; e às vezes fica difícil de notar a diferença. Mas nesses momentos, tento parar e pensar: o que Deus sabe sobre esta situação?
Como MBEddy com a citação CS16 conclui esta seção: “Caro leitor, tu mesmo podes pôr a prova a Ciência da cura e averiguar, assim, se a autora te deu a interpretação correta das Escrituras” (p. 547). E nós podemos provar que não são apenas milagres, mas a demonstração dessa Ciência de curar.
Tive, de fato, uma prova rápida e simples há poucos dias. Estávamos nos preparando para receber uma família de amigos para o jantar. Ao abrir o forno para retirar um objeto, queimei o braço seriamente. Mas naquele exato momento, declarei que Deus estava presente e que não haveria a possibilidade de que eu fosse castigada ou sofresse um aparente acidente ao realizar um ato de amor! Havia tanto amor e alegria nesse encontro da família, que não havia a mínima possibilidade de que isso fosse tirado de nós. Deus nunca o permitiria! O Amor estava presente ali mesmo, e nada poderia tocar-me que não viesse de Deus. Senti fortemente a presença do Cristo, a qual brilhou como uma luz que me iluminou de modo a não ver ou sentir qualquer coisa diferente, ou de ser tentada a ceder ao quadro material diante dos sentidos. A cura foi instantânea. A dor desapareceu totalmente, e não pensei nela pelo resto da noite. Sou muito grata por essa demonstração de que o poder curativo do Cristo está aqui hoje e sempre. Que tipos de provas e demonstrações você tem vivenciado? Sempre é bom lembrar e ser grato; é outro modo de deixar nossa luz brilhar!


Seção 4 - Jesus envia seus discípulos com o poder de curar os outros.
Na última seção, discutimos se é somente Jesus quem teve e tem o poder de curar, e nesta seção vemos mais uma prova de que a resposta é um forte NÃO! Porque, como vemos na citação B10, ele enviou seus discípulos para “curar toda sorte de doenças e enfermidades” (Mateus 10: 1, 5, 7 e 8). Ele não os enviou para receber mais instrução dizendo que um dia poderiam saber o suficiente, e ele não os enviou para obter instrução para curar através de meios materiais; ele os enviou como curadores já experientes. Eles o haviam seguido e aprendido com ele enquanto ele curava os outros, e como ele os ensinou através de suas parábolas e sermões, assim como podemos também fazer lendo os Evangelhos. Ele os enviou para pregar e curar e ressuscitar os mortos! Como aponta MBE na citação CS19: “Jesus instruiu seus discípulos a curar os doentes por meio da Mente em vez de por meio da matéria” (CS, p. 281).
E ele não disse que só se poderia curar certas pessoas, mas que outras são indignas; e ele não disse que só se pode curar certas doenças, mas não as outras porque elas são muito assustadoras ou difíceis ou reais; ele ordenou que curassem todas as pessoas de todas as doenças e, além disso, ele os enviou para ressuscitar os mortos, e eles o fizeram!! (Ver o livro de Atos dos Apóstolos para as histórias de Pedro levantando Tabitha / Dorcas (9: 36-42) e Paulo levantando Êutico (20: 7-12); e eles não são os únicos, os profetas ressuscitaram mortos antes mesmo de Jesus aparecer, provando a natureza eterna do poder de cura do Cristo - veja 1 ° e 2 ° Reis para os relatos de Elias (1 Reis 17: 17-24) e Eliseu (2 Reis 4: 18-37) cada um ressuscitando alguém dos mortos.)
Como descrito na citação B11 (Lucas 10: 1, 17-20), Jesus enviou outros 70 além dos 12; e daí na citação B12 (João 14: 12) ele nos diz que nós podemos e iremos sair e curar como ele e os discípulos fizeram, e ele até espera que façamos ainda mais demonstrações, demonstrações ainda maiores do poder do Amor Divino para curar.
Isso soa como uma tarefa difícil, mas quando percebemos que é o Amor que realmente cura e não nós, parece totalmente natural. MBE explica: “Se o Cientista alcança seu paciente por meio do Amor divino, o trabalho de cura se realiza em uma só visita, e a doença desaparece, voltando ao seu nada original como desaparece o orvalho sob o sol da manhã” (CS p.365). O que significa “alcançar o paciente por meio do Amor divino”? Bem, certamente não é pena e não é apenas afeição ou compaixão humana, embora seja um bom começo. Mas é ver uma pessoa como Deus a vê e amá-la como Deus a ama - hoje e sempre perfeita, inteira, completa, boa e santa. Saúde não é um estado que estamos tentando alcançar, é uma qualidade inerente dentro de nós porque é uma qualidade de Deus que é Vida, Verdade e Amor.
Então, para resumir, o trabalho de cura que Jesus demonstrou não era apenas para ele e nem apenas para seus discípulos, mas para todos como ele disse, “qualquer um que crê em mim fará as mesmas obras que eu fiz, e obras ainda maiores ”(João 14:12 NLT). E MBE nos dá esta instrução na citação CS21 (CS, p.367) “O Cientista Cristão ocupa nesta época o lugar de que Jesus falou a seus discípulos, quando disse: ‘Vós sois o sal da terra’. ‘Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder a cidade edificada sobre um monte.’ Vigiemos, trabalhemos e oremos para que esse sal não perca o sabor e essa luz não fique escondida, mas irradie e resplandeça até alcançar a plenitude de sua glória.” Então deixe sua luz brilhar hoje e todos os dias, ajude a iluminar o mundo!

Seção 5 - O convite de Jesus para nós - “Tome a cruz e siga-me”.
O que significa levar a cruz? Significa fazer o trabalho. Não há saída fácil. Eu ouço reclamações, às vezes, de que a Ciência Cristã exige muito trabalho, muito esforço. Bem, é verdade que é preciso trabalho. Mas eu descobri que quanto mais eu sigo o exemplo de Jesus e vivo minha vida de acordo com os ideais do Cristo, o trabalho requer menos esforço e torna-se uma alegria de fazer. Porque Jesus também disse: “Venham a mim, todos vocês que estão cansados ​​e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso. Tomem meu jugo e aprendam de mim, pois sou gentil e humilde de coração, e vocês encontrarão descanso para a alma. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve” (Mateus 11: 28-30 NVI). E quando seguimos a Cristo e ouvimos a Deus, podemos encontrar não apenas descanso, mas o que MBE chama de “paz inefável que provém de um amor espiritual que preenche todo o pensamento” (CS 264:28). E isso parece um lugar maravilhoso para se estar, não acham?
É fácil esquecer-se de estudar ou ler a lição, ou fazer o trabalho quando a vida é boa e as coisas estão indo bem e harmoniosamente. Mas é quando é bom manter a prática, porque ela constrói seu arsenal para se defender e contra-atacar quando esses pensamentos negativos ou temerosos tentam invadir nossa consciência e nos tentam a acreditar em algo que não seja verdadeiro. E quando as coisas são desafiadoras, nós mergulhamos no trabalho, tomamos a cruz, mas fazer isso com o Cristo nos sustentará e nos dará o descanso de que precisamos. Qual é o trabalho? Na verdade, é apenas um desejo voluntário de aprender mais sobre Deus e crescer em nossa compreensão da nossa unidade com o Amor Divino sempre presente.
Eu também aprecio ver, nesta seção, a mensagem de que as recompensas estão lá para qualquer um e para todos que estão dispostos a fazer o trabalho e andar com o Cristo. E qual é essa recompensa? A bondade eterna, a saúde, a integridade, a graça e a harmonia. Mas não é preciso se preocupar com o que seus amigos estão fazendo, sua família, seus colegas de classe ou colegas de trabalho. Pergunte a si mesmo se você está disposto a fazer o trabalho. Na citação B14 (João 21:20, 21, 22), Jesus repreende Pedro por se preocupar com outro discípulo, mas Jesus diz, não se preocupe com ele. “Quanto a ti, segue-me.” E ele diz “se alguém quer vir após mim” (é possível) “tome a sua cruz e siga-me” (B13, Mateus 16: 24,25).

Seção 6 - Jesus demonstrou que a vida é eterna e podemos provar isso também.
Nesta seção, o apóstolo Paulo está falando aos Hebreus e aos Romanos sobre Jesus e sua vida, que ele foi ungido ou escolhido por Deus para sair e fazer o bem e curar todas as pessoas que estavam sofrendo de algum tipo de opressão - ou doença, pecado ou morte. Ele também encorajou os primeiros cristãos, e todos nós hoje, a saber que a Vida é eterna e que, ao aprendermos sobre a vida de Jesus, como nosso exemplo, nós também podemos ter fé no poder do Cristo. É essa luz do Cristo que nos mostrará o caminho e nos ajudará a ter paciência com nós mesmos e com os outros, porque todos nós estamos nesta “carreira” ou nesta jornada juntos, como referenciado na citação B17, (Hebreus 12: 1, 2).
MBE fala de como Jesus representou e demonstrou o Cristo na citação CS28 (p.54): “Pela grandiosidade de sua vida humana, ele demonstrou a Vida divina. Graças à amplitude de seu puro afeto, ele definiu o Amor. Com a afluência da Verdade, ele venceu o erro. O mundo não reconheceu a retidão, por não vê-la; mas a terra recebeu a harmonia que seu exemplo glorificado introduziu. Quem está disposto a seguir-lhe o ensinamento e exemplo?” E então, ela nos diz como fazer isso na citação CS31 (p. 496): “Mantém perpetuamente este pensamento - de que é a ideia espiritual, o Espírito Santo e o Cristo, que te habilita a demonstrar, com certeza científica, a regra da cura, baseada em seu Princípio divino, o Amor, que está por baixo, por cima e em volta do verdadeiro existir”.
Obrigado por seu estudo desta Lição Bíblica! Eu acho tão útil ir fundo nesses estudos, porque eles me ajudam a me aprofundar na compreensão de Deus e do poder de cura do Cristo, que deixa minha luz brilhar ainda mais. Então, juntos, podemos tomar essas lições que Jesus demonstrou para nós e sair pelo mundo com sua mensagem de cura. Você pode dizer: bem, Jesus foi escolhido e ungido, e quem sou eu para pensar que posso curar ou ser curado? Bem, como vimos aqui, Jesus nos mostrou como e nos pediu para sairmos pelo mundo e fazer o que ele fez: amar com amor compassivo.
_____________________________
Este estudo metafísico foi preparado por Kim Hedge, CS Maryland Heights, MO, EUA, kimhedge@gmail.com, 202.677.2936
A equipe de tradução para o português é composta por Ana Paula Wagner, Dulcinea Torres, Elisabeth Zir Friedrichs, Leila Kommers, Ovídio Trentini e William Trentini. Visite o site Associação dos Alunos de Ciência Cristã do Professor Orlando Trentini, CSB. Ali você encontrará esta tradução e as anteriores para estudo, podendo baixar e partilhar esse copo de água fresca com seus amigos.
Os estudos metafísicos dos Cedros sobre o estudo diário da Lição Bíblica da Ciência Cristã, contendo ideias de aplicação metafísica, são oferecidos, durante todo o ano, para que os amigos da Ciência Cristã vejam e demonstrem o grande valor do estudo diário da LB.
Os Cedros são um suplemento para a LB. O estudo em inglês será postado, no link abaixo, na 2a. feira. Sua tradução para o português será postada até a 4ªfeira. Busque e leia o texto em inglês em http://www.cedarscamps.org/metaphysical.


Metaphysical

Walk in the Pathway of Life! - As many worthies in the Bible have, you might feel far from God...
Latest Lesson Application Idea

Newsletters

Get free weekly uplifting newsletters (available in English, Spanish, French, German and now in Portuguese!)
Subscribe or Update Subscription

Facebook

Find CedarS on Facebook for the latest news, heart-warming fruitage, facility upgrades and more!
Go to the CedarS' Facebook Page